Corey Taylor, do Slipknot e Stone Sour
Reprodução/YouTube
 

Corey Taylor, frontman das bandas Slipknot e Stone Sour, tem compartilhado assuntos bem pessoais ultimamente.

Entre elas, o vocalista contou que quando criança foi abusado sexualmente e passou por momentos em que o suicídio era uma opção.

Agora, em uma entrevista para a Rolling Stone, Corey falou abertamente sobre a sua batalha contra a depressão.

Foi preciso duas bandas, um livro e um programa de rádio para eu conseguir balancear isso [a depressão]. E eu ainda não estou 100% durante metade do tempo. Eu faço exercícios. Eu tento estar saudável o máximo possível. Eu tento cortar tudo de negativo em minha vida, drogas, bebida, toda essa merda.

O vocalista explica que o importante é focar nas coisas boas, como sua carreira, seus filhos e sua criatividade, pois ele quer manter tudo isso por um bom tempo.

“Nem sempre isso funciona”, ele diz, “eu tenho crises fortes de depressão, o que às vezes são muito difíceis de lidar. Mas eu também sou um viciado, então eu tento ficar o mais longe possível de remédios que podem viciar.” Taylor revelou também que faz terapia para ajudar no processo.

Ao falar sobre a recente entrevista no programa The Therapist, onde ele abordou o abuso que sofreu, Corey diz que, através do tratamento, ele entendeu sua responsabilidade em falar sobre o assunto.

Gostando ou não, as pessoas me escutam. Se há um jeito de ajudar as pessoas, eu vou fazê-lo (…) O motivo de eu ter ido ao The Therapist foi que eu sabia que se eu pudesse ir lá e falar sobre essas coisas, eu podia tirar esse preconceito e mostrar às pessoas que não tem nada de errado em sentar com alguém e conversar sobre seus problemas (…) É sobre mostrar para as pessoas que é ok, por falta de um termo melhor, estar fodido. Você pode pedir ajuda.

Ainda na entrevista, Corey falou sobre o novo álbum do Stone Sour, Hydrograd, que possui letras bem pessoais como “Mercy” e “Song #3”.

Eu odeio mentir e sou muito ruim nisso (…) Eu parei de tentar ser desonesto. A verdade é tão mais interessante.

Ele comenta também que pretende deixar o Slipknot de lado por mais dois anos e se concentrar em divulgar o novo álbum do Stone Sour. “Não tem pressa. […] É por isso que as pessoas ficam animadas quando voltamos. Nós damos a chance delas ficarem com saudade.”