Chris Cornell foi o melhor compositor de Seattle, diz membro do Pearl Jam

“Eu me sinto tão sortudo de ter participado em um projeto com ele, ter convivido com ele e simplesmente ter presenciado a sua grandeza”

Chris Cornell em Porto Alegre
Foto por Doni Maciel
 

Além de ser o baixista do Pearl Jam, Jeff Ament também tocou no Temple of the Dog, onde foi companheiro de banda do grande cantor Chris Cornell, que faleceu no último mês.

E em uma entrevista para o podcast da NBA.com, Ament não poupou elogios ao músico:

Incluindo Jimi Hendrix, Chris foi o maior compositor a surgir de Seattle. Hendrix conseguia tocar a guitarra como um monstro, mas Chris tinha a habilidade de escrever de um jeito invejável… ele levava jeito em criar uma melodia ao redor de estruturas sonoras estranhas e torná-las cativantes. E ele era um grande letrista.

Se você olha para as letras dele, ele obviamente estava processando sua dor e sua depressão e tudo mais. Eu acho que isso é parte do que as pessoas, incluindo eu, se relacionavam quando ele estava cantando. E além das letras, ele tinha aquela voz. Não existem muitas pessoas que tinham tantas opções sobre o que fazer com a voz. Ele poderia criar vários personagens diferentes com ela. Eu me sinto tão sortudo de ter participado em um projeto com ele, convivido com ele e simplesmente presenciado a sua grandeza.

O Temple of the Dog foi criado por Cornell no começo dos anos 90 como uma espécie de tributo a Andrew Wood, seu amigo de longa data que havia falecido em 1990 devido a uma overdose.

A banda lançou apenas um álbum, homônimo, durante sua carreira, e acabou se reunindo no ano passado para uma pequena turnê celebrando os 25 anos do álbum.

 Deslize a tela para baixo e continue lendo as notícias do TMDQA automaticamente! 

Comentários