Michael Moore (créditos: Divulgação/TrumpLand)
(créditos: Divulgação/TrumpLand)

O documentarista que é um dos principais inimigos de quase todos os governos norteamericanos está “preparando o bote” no mais novo presidente do país, Donald Trump.

Michael Moore é escritor e diretor dos aclamados “Fahrenheit 9/11”, “Capitalismo: Uma História de Amor” e “Michael Moore in TrumpLand”, que têm um estilo próprio, participativo e muito sarcástico.

Agora, o documentarista vai voltar a falar sobre Trump, mas com mais veemência. Tanto que vai usar um nome similar ao filme que usou para criticar George W. Bush: “Fahrenheit 11/9”, se referindo à data em que o resultado das eleições de Trump foi divulgado, enquanto no filme original, “Fahrenheit 9/11”, a data fazia menção aos ataques terroristas que derrubaram as torres gêmeas em Nova York.

Em entrevista à revista Variety, Moore disse que está trabalhando no documentário há meses, e lembrou todos os escândalos que têm atingido o presidente desde a posse:

Até agora, todas as denúncias que foram feitas contra ele não funcionaram. Apesar de tudo que foi revelado, ele resiste. Até quando ele mesmo faz alguma besteira contra si, no dia seguinte ele está lá fazendo tweets. Tudo isso acaba com esse filme.

Parceria com The Weinstein Company

Michael Moore vai trabalhar novamente com os produtores Bob e Harvey Weinstein, que participaram de quase toda a filmografia dele.

E os irmãos estão animados:

Nós já quebramos vários recordes com ele, e queremos fazer o mesmo agora. Esse filme vai ter um dos planos de distribuição mais inovadores da história. Agora, mais do que nunca, o apetite do Michel pela verdade é crucial. Nós estamos eufóricos por sermos parte dessa revolução.

O jeito é esperar por “Fahrenheit 11/9”, que deve sair ainda este ano. Assista abaixo ao trailer do outro documentário de Moore sobre Trump.