Podcast TMDQA! #2 – Por que não valorizamos ídolos vivos?

 

Nas últimas semanas, perdemos Jerry Adriani, ídolo da Jovem Guarda, e Belchior, um dos maiores compositores da música brasileira, ambos aos 70 anos. Não foram exatamente perdas prematuras ou inesperadas. Teria dado tempo de absorver tudo que eles produziram e devolver um pouco de reconhecimento.

Será que o fizemos? Valorizar só após a morte é algo do brasileiro ou uma condição natural do ser humano? Aliás, qual a melhor forma de homenagear um artista em vida?

Pra ajudar a responder essas perguntas, convidamos o produtor musical João Marcelo Bôscoli, filho de Elis Regina, que regravou “Como Nossos Pais”, de Belchior.

Abaixo, o episódio no nosso SoundCloud, que você pode ouvir online, baixar e comentar. Mas nosso feed também já está em todas as plataformas de podcasts, então não deixe de assinar, seguir e dar suas opiniões! Grave uma mensagem de voz para o WhatsApp (11) 98947-8056 que você poderá aparecer no próximo!

Ficha técnica

Duração: 59’13”
Apresentação e edição: Rafael Teixeira
Debatedores: Tony Aiex e Daniel Pandeló Correia
Vinhetas: Natália André
Ilustrações: Henrique Codonho

Links

A divina tragédia de Belchior – revista Época
Fantástico encontra Belchior no Uruguai
Os 100 maiores artistas da música brasileira – revista Rolling Stone
“CAETANO” – Porta dos Fundos
Sepultura e Lobão adiam turnê conjunta – TMDQA!
Lô Borges toca o “Disco do Tênis” – Folha de S. Paulo

Músicas (em ordem)

“Redneck”, de Marceau
“Pequeno Mapa do Tempo” e “A Palo Seco”, de Belchior
“Doce Doce Amor”, de Jerry Adriani
“A Luz de Tieta”, de Caetano Veloso e Gilberto Gil
“The Seeker”, do The Who
“Tudo Azul”, de Lulu Santos

Comentários