Steve Vai diz que tocar guitarra como Kurt Cobain “não é tão fácil assim”

Músico também fala sobre Billie Joe Armstrong, do Green Day

Steve Vai e Kurt Cobain
 

Desde que o mundo é mundo e as guitarras elétricas tornaram-se populares, há discussões acaloradas sobre “tocar mais” ou “tocar menos”, como se a música e, principalmente o Rock And Roll, fosse uma competição a respeito de quem emprega mais ou menos técnica em suas canções.

Pois bem, em conversa com a Ernie Ball, o guitarrista Steve Vai, conhecido por estar no lado dos músicos “virtuosos”, falou a respeito de outros que utilizam ou utilizaram abordagens bem menos complexas, e os elogiou por conta de como eles fizeram as suas músicas assim.

Mais especificamente, o talentoso guitarrista falou sobre Kurt Cobain, saudoso líder do Nirvana, e Billie Joe Armstrong, líder do Green Day que continua na ativa:

Em qualquer área, há duas maneiras de você construir sua obra. Uma delas é através do lado técnico. Para alguém como Allan Holdsworth, seu desejo de atingir uma escala técnica é diferente do que pretendia Kurt Cobain. Mas ambos são válidos pois são indivíduos que passam sua mensagem. Há um lado técnico, mas há um ponto onde você tem que ir além da técnica, você tem que deixar aflorar seus instintos musicais. Dizem que Kurt Cobain não foi um grande guitarrista. Bem, ele ele virtuoso? Com certeza não. Mas ele foi eficaz no que fez? Tente tocar com ele, não é tão fácil. Ou tente tocar como Billie Joe Armstrong (Green Day). Você já o viu tocando? É uma coisa visceral, cada nota e cada acorde se sobressai, soa como se fosse uma grande orquestra, não é uma coisa fácil de fazer. O que ele cria está em sua cabeça e é preciso dominar uma determinada técnica para por pra fora o que ele quer.

E aí, concorda?

Por aqui a gente acha que dos Ramones até o guitarrista mais técnico do planeta, se a música é boa e a mensagem é transmitida, o papel do artista já foi feito.

Comentários