Biquini Cavadão
 

Você provavelmente leu as palavras Biquini Cavadão e já começou a tocar “Janaína” ou “Vento Ventania” no mais profundo do seu cérebro. Mas é necessário se dizer: o Biquini continua na ativa e tem dado duro para continuar presente no dia a dia dos fãs e no calendário do rock nacional brasileiro. Depois de mais de 30 anos de carreira, essa função parece ser cada vez mais difícil.

Mas Bruno, Miguel, Álvaro e Coelho não se deixam abalar. O novo disco As voltas que o mundo dá é prova disso. O trabalho mistura as melhores notas da história da banda com uma pitada das baladas rock que têm lugar garantido no coração dos fãs. É o caso de “Soltos pelo ar”, que abre o novo show da nova turnê e também o novo disco, e já é visivelmente uma das mais cantadas pelo público ao vivo.

bruno_biquini

Intercalando novidades e clássicos, o Biquini montou um set para ninguém botar defeito. Se você quer a essência da banda, vai ser divertido ver Bruno correndo de um lado para o outro do palco enquanto canta “Zé Ninguém” “Chove Chuva”, mas se quer novo ânimo, a fofa “Um rio sempre beija o mar” é acompanhada de projeções no telão para fazer você viajar.

Num set variado e sem economia, o quarteto se revezava em voltas pelo palco e interações com o público, sendo Bruno o mais próximo da parcela de fãs que se aglomerava na frente do palco, deixando suas cadeiras ao longo do teatro permanecerem vazias. Antes de cantar “Múmias” o músico lembrou Renato Russo e pediu um viva ao rock nacional. Não é necessário dizer que ele foi aclamado até quase o refrão da canção.

Em uma de suas paradas para conversar com a plateia, Bruno respondeu à pergunta que rodeia a cabeça dos críticos mais ardilosos: “Será que vocês não se cansam de cantar sempre as mesmas músicas?”

Não cansamos porque nós nunca cantamos para a mesma plateia. Nós adoramos fazer novos arranjos para as mesmas músicas, adoramos fazer a distância entre o músico e o público ser a menor possível, nos sentimos muito à vontade em sempre cantar para vocês essas canções em um formato muito especial.

Após aplausos acalorados, Bruno se sentou em um banquinho próximo para iniciar a parte “acústica” do evento. Uma série de canções quse num formato “voz e violão” arrancaram suspiros da galera. “Vou te levar”“Quanto tempo demora um mês”“Quando eu te encontrar” deram a cara desse momento no palco, enquanto no teatro os casais se levantavam para dançar juntos, ignorando cadeiras e corredores. O músico então voltou a se levantar para as músicas mais animadas ao fim do set, interagindo com os fãs, chamando jovens e até crianças para cantar no palco com ele, segurando todo mundo pelas mãos, garantindo sua dose de carisma bem espalhada por cada canto daquele teatro.

A banda fechou sua apresentação agradecendo a presença de todos e novamente trazendo clássicos para a conta. “Tédio” “Timidez” encerraram a apresentação e deixaram os fãs pedindo mais enquanto a banda saía do palco e seus sucessos ainda ecoavam na mente da galera.

biquini cavado

1 – Soltos pelo ar
2 – Zé Ninguém
3 – Chove, chuva
4 – Um rio sempre beija o mar
5 – Janaína
6 – Roda gigante
7 – Daniela + Uma brasileira (Paralamas)
8 – No mesmo lugar
9 – Múmias
10 – Arco-íris
11 – Vento ventania
12 – Vou te levar
13 – Quanto tempo demora um mês
14 – Meu reino
15 – Quando eu te encontrar
16 – Em algum lugar
17 – Livre
18 – Carta
19 – Camila
20 – Tédio
21 – Você marcou
22 – Entre beijos
23 – Timidez
24 – Impossível