Conversamos com Allie X, canadense que encantou o Brasil recentemente

Cantora fala sobre planos para o ano de 2017

Allie X
 

Em Dezembro de 2016 o TMDQA! esteve na Semana Internacional de Música, em São Paulo.

Consolidando-se cada vez mais como um evento importante para os mais diversos players da indústria, a SIM SP promoveu uma série de showcases no Centro Cultural São Paulo, bem como shows em parcerias com casas da cidade.

Quem se apresentou tanto em uma casa de show quanto no CCSP foi a cantora canadense Allie X e, cara, ela nos surpreendeu demais.

Com uma voz impecável, grandes canções e um parceiro brasileiro no violão, Allie contou com a ajuda de centenas de fãs no showcase lotado e fez bonito, agradando seus seguidores e conquistando outros tantos.

Conversamos com Allie X e, em entrevista exclusiva para o TMDQA!, ela falou sobre carreira, planos para o futuro, situação do mundo, cultura e mais.

Divirta-se!

 

TMDQA!: Olá Allie! Nós assistimos ao seu show na SIM São Paulo em Dezembro e ficamos impressionados com a recepção dos fãs principalmente no showcase do CCSP. Como foi sua viagem recente pelo Brasil? Você estava esperando todo esse amor? As pessoas já estão perguntando sobre quando você irá voltar!

Allie X: Sim, eu fiquei maravilhada com aquele show na SIM. Porque a gente não havia anunciado, então não esperava tantos fãs lá. Eu cheguei no palco e das sombras apareceram centenas de fãs que eu reconheci do meu show na noite anterior. Foi maravilhoso. Eu me senti muito especial no Brasil e mal posso esperar para voltar novamente.

 

TMDQA!: Você é uma cantora muito talentosa e ficamos todos maravilhados com a sua performance vocal ao vivo. Por outro lado, você escreve canções pop baseadas em batidas e outros elementos eletrônicos. Como você faz esse balanço entre a experiência musical com a composição das músicas em si? Como adapta essas canções ao vivo? “Catch” é uma grande canção pop que virou uma bela balada acústica na SIM.

Allie X: Muito obrigado pelas belas palavras! A minha voz continua evoluindo. Eu adoro cantar bem alto, mas para o próximo disco eu experimentei com várias partes mais suaves da minha voz. Sobre a questão de vocais e a criação das músicas, para mim, sou apenas guiada pela vibe.


TMDQA!: Sua carreira começou há algum tempo, mas até agora você só lançou EPs. Há planos para um disco cheio em breve? Quais são as expectativas para 2017?

Allie X: COLLXTION II será um álbum cheio e será lançado esse ano.

 

TMDQA!: Quando você começou a lançar suas músicas, a Internet já era a mídia mais comum para publicá-las e divulgá-las, mas você provavelmente comprou vários discos físicos quando era mais jovem. Como se sente com as mudanças da indústria da música nesses anos todos? Você acha que é melhor ou pior para os artistas hoje em dia, com questões que vão das gravações caseiras até o streaming?

Allie X: A indústria da música mudou radicalmente. Eu acho que a Internet e a tecnologia permitiram que aqueles que não poderiam ser artistas em outras épocas, tivessem carreiras. É uma coisa muito empolgante e libertadora. Infelizmente, ao mesmo tempo, a música se tornou cada vez mais difícil de ser monetizada.

 

TMDQA!: O mundo ficou louco em 2016 e muita gente diz que ano passado foi um dos piores da história. 2017 parece ser desafiador e muita gente está falando sobre como a música provavelmente terá um impacto forte na cultura, na política e mais, porque será uma resposta a tudo que está acontecendo de errado por aqui, nos Estados Unidos, na Europa, no Oriente Médio e mais. Como você enxerga esse cenário e como você acha que isso tudo tem impacto em sua música?

Allie X: Wow. Sim. 2016 foi um ano difícil e muito doloroso. Às vezes parece que a dor se transforma em crescimento e eu espero que esse seja o caso em relação a 2016 e 2017. Pessoalmente eu tive alguns desafios nos últimos tempos e eu sei que sem eles eu não teria tomado algumas direções artísticas que serão ouvidas no meu álbum. A juventude tem se tornado cada vez mais instruída e cheia de cultura por causa da Internet, e eu tenho fé neles para que tragam mudanças e vejam as verdades atrás de todas as merdas. Sou otimista quanto a isso.

TMDQA!: Por outro lado, se 2016 foi um ano ruim no geral, para a música foi ótimo, com lançamentos de David Bowie, Beyoncé, Frank Ocean e mais. Quais foram os seus álbuns favoritos do ano passado?

Allie X: Eu amei o disco da Beyoncé e o disco da irmã dela [Solange]. Puberty 2, da Mitski, é maravilhoso. E Starboy [The Weeknd] é tão bom…

 

TMDQA!: Muita gente que não te conhecia ficou surpresa com o showcase acústico na SIM SP. Como você descreveria seu som para alguém que nunca ouviu uma das suas canções? Quais são as suas influências quando escreve e canta?

Allie X: Eu descreveria como Dream pop eletrônico desafinado. As minhas influências vocais provavelmente são nomes como Kate Bush, PJ Harvey, Bjork, Stevie Nicks e Liza Minnelli!

TMDQA!: Seu parceiro de palco é um músico brasileiro! George tocava em uma banda punk chamada Holly TREE no início da carreira e agora toca com você. Como você o conheceu e como vocês têm trabalhado ao compor e tocar?

Allie X: Jungle George é meu bff. Nós criamos coisa pra caramba juntos: músicas, fotos, GIFs, vídeos, jantares gourmet

 

TMDQA!: Que mensagem você gostaria de deixar para os fãs brasileiros?

Allie X: “Estou com saudades” [a resposta veio em Português mesmo].


TMDQA!: Você tem mais discos que amigos?

Allie X: “Sim” [também em Português].

Comentários