Incubus
 

Enquanto o Incubus se prepara para lançar seu próximo álbum de estúdio, intitulado 8, o grupo participou de uma entrevista bem interessante para a Forbes.

Nela, além de comentar sobre trabalhos futuros e inspirações, a banda chegou a mencionar o presidente dos Estados Unidos Donald Trump e até mesmo a cantora pop Beyoncé em algumas partes.

Sobre o político, o vocalista Brandon Boyd comentou:

É realmente uma das épocas mais interessantes socialmente e politicamente, ‘interessante’ sendo usado como um termo pela falta de outro melhor. Eu sinto que os tipos de sentimentos criativos que serão mais beneficiais serão aqueles mais amorosamente subversivos. Sim, existe a necessidade de protestos abertos, como os protestos de rua. Eu fui para a marcha das mulheres no centro, foi uma das tardes mais lindas que eu já passei nessa cidade. Eu estava tão orgulhoso de Los Angeles, eu estava tão orgulhoso que tantas pessoas puderam pacificamente se reunir e andar nas ruas em protesto a tantas coisas que a nova administração federal apoia. Mas, pelo meu ponto de vista, eu acho que os tipos de ideias que serão as mais amorosamente efetivas e duradouras são aquelas em que as pessoas nem percebem que estão sendo infectadas com. Então as pessoas no ‘país de Trump ‘ficarão tipo, ‘Eu amo essa música’. E elas estarão infectadas com esse nosso espírito da costa oeste.

Em outro momento, o entrevistador comparou alguns comentários de Boyd sobre a sua voz à cantora pop Beyoncé, mencionando em particular algumas técnicas vocais utilizadas na canção “Sandcastles”, presente no último álbum da cantora. Sobre a faixa, Boyd teve muito o que falar:

É, existe algo desse tipo. Curiosamente, eu ouvi a canção pela primeira vez hoje e eu pensei na mesma coisa. Eu estava tipo ‘Wow, eu nunca ouvi a [voz da] Beyoncé ‘falhar’, eu nunca escutei o rosnar da voz dela antes e isso me faz gostar dela ainda mais’. É interessante porque nós vivemos nessa época de tecnologias incríveis onde qualquer pessoa pode ir para um estúdio de gravação e ir tipo ‘Ah, ah’ num microfone e um produtor consegue transformar isso num hit. Então sempre existe algo fascinante nisso, mas também existe algo perdido, onde nós temos que nos lembrar que somos humanos com instrumentos e que nós fazemos sons a partir do nada. Eu acho que é algo que o Dave [Sardy, um dos produtores do novo álbum ao lado de Skrillex] nos ajudou a alcançar e eu espero que os nossos ouvintes percebam isso ao ouvir o disco.

Você pode ler a entrevista na íntegra, em inglês, clicando aqui.

Embora ainda não exista uma data para lançamento e nem muitas outras informações concretas sobre o próximo registro em estúdio da banda, foi revelado recentemente que Skrillex co-produziu e mixou o álbum. Ouça o primeiro single dele, “Nimble Bastard”, logo abaixo.