Resenha: Cícero e Ventre no Circo Voador, no Rio (13/01)

Casa de shows icônica do RJ teve uma noite mais do que especial

Cícero no Circo Voador, 2017
 

A nova fase da MPB e o rock experimental se encontraram nessa sexta-feira (13 de Janeiro), e se deram muito bem.

Encerrando a turnê de seu terceiro álbum de estúdio A Praia, Cícero encheu o Circo Voador, palco mais importante da história cultural do Rio de Janeiro, com a ajuda ilustre da banda que abriu a noite, a também carioca Ventre. Ambos fizeram shows juntos em São Paulo na noite anterior.

 

Ventre

Ventre-Circo-13-01-17

Uma das bandas independentes mais elogiadas da cena brasileira atual, a Ventre fez um show de alto nível. Até quem não conhecia as músicas do álbum homônimo de estreia captou a energia do show e, no mínimo, balançou a cabeça ou deu uns pulinhos. O som forte da banda, aliado a uma performática presença dos integrantes e à plateia envolvida com o espetáculo, garantiram uma experiência inigualável para todos os presentes, inclusive para a própria banda.

As músicas foram bem distribuídas na setlist da apresentação. As canções mais impactantes do grupo se misturaram com as menos famosas. Foram 9 músicas ao todo, começando e terminando com dois de seus maiores sucessos: a impactante “Bailarina” no início e a despedida com a porrada “Pernas”.

Conversamos com Larissa Conforto, a carismática baterista da banda. Para ela, ter começado o ano tocando no Circo Voador foi um grande passo para a banda.

Essa é a segunda vez que a gente toca um show inteiro nosso no Circo. É uma realização muito grande! Pela primeira vez, a gente teve um público muito grande e muito atento! Foi muito, muito especial para nós três (Larissa, Gabriel Ventura e Hugo Noguch, os integrantes da Ventre). Foi uma catarse, uma coisa meio divina. Abrir o ano tocando no Circo, que é uma casa que a gente ama, ainda com esse público tão atencioso… Inacreditável. Fiquei com vontade de chorar em vários momentos. O pessoal gritando ‘Larissa, eu te amo!’; eu nunca vivi isso na minha vida. Foi muito incrível!

Cícero

Cícero-Circo-13-01-17-2

Cícero, que tem mais tempo de carreira, com três álbuns já lançados, fechou sua turnê com maestria. Após cerca de meia hora de intervalo entre os shows, o cantor e sua banda emendaram a energia positiva gerada pela Ventre com “O Bobo”, primeira canção de sua setlist.

Mesmo as músicas mais novas eram cantadas a plenos pulmões pelo público. Foram tocadas 8 das 10 músicas do álbum mais recente de Cícero. A setlist, no entanto, misturou bem os clássicos com as novas. Foram cinco músicas do Canções de Apartamento (álbum de estreia lançado em 2011) e seis de Sábado (álbum lançado em 2013). Para completar as vinte da lista, teve música nova, tocada pela segunda vez ao vivo (a primeira foi no show de SP no dia 12). O nome da canção é “À Deriva”, e deve estar presente no próximo álbum.

O pessoal que estava na arquibancada da casa ficou na presença da família do cantor. “Eu admito que estou meio nervoso: tem mãe, tio, cachorro, papagaio, minha família toda aqui”, disse Cícero após cantar “Soneto de Santa Cruz”.

O músico estava acompanhado de sua banda formada por Uirá Bueno (bateria), Bruno Schulz (acordeon), Cairê Rego (baixo) e Felipe Pacheco (violino), sendo os últimos dois integrantes da banda Baleia. O guitarrista Gabriel Ventura teve trabalho, pois tocou tanto como frontman da sua banda Ventre como voltou ao palco para tocar guitarra e fazer vocais de apoio no show do Cícero.

Após encerrar a apresentação com a canção “Terminal Alvorada”, Cícero voltou e fez uma versão “acústica” para “Ensaio Sobre Ela”, do álbum Canções de Apartamento. É uma música que não esteve presente em grande parte dos shows dessa turnê, mas Cícero cedeu aos pedidos. “Vou tocar essa aqui porque eu vi muita gente pedindo lá no evento”, justificou o cantor, sempre carismático e com sorriso no rosto.

E o que vai ser de Cícero com o término da turnê?

O show também contou com algumas revelações. Depois de tocar a canção “Isabel (Carta de Um Pai Aflito)”, Cícero comentou sobre o valor que sua banda tem para ele. Diante disso, anunciou que, a partir do próximo álbum, as músicas serão creditadas a uma banda, e não apenas a Cícero. Durante o discurso, o cantor revelou o nome da nova banda, que já começa a gravar novo material a partir desse ano. O grupo se chamará Albatroz, que é o nome de uma canção do disco A Praia que foi tocada logo depois. A inédita “À Deriva” já deve fazer parte do novo projeto.

Confira a setlist da banda Ventre e do Cícero:

Ventre:

1 – Bailarina
2 – FR
3 – Ali
4 – Quente
5 – Carnaval
6 – Mulher
7 – Aperto e um beijo
8 – Peso do Corpo (com participaçao de Uirá Bueno)
9 – Pernas

Cícero:

1 – O Bobo
2 – Pra Animar o Bar
3 – Tempo de Pipa
4 – A Praia
5 – De Passagem
6 – Vagalumes Cegos
7 – Ela e a Lata
8 – Camomila
9 – Isabel (Carta de Um Pai Aflito)
10 – Albatroz
11 – À Deriva
12 – Açúcar ou Adoçante
13 – Ponto Cego
14 – Fuga Nº3 da Rua Nestor
15 – Capim-Limão
16 – Duas Quadras
17 – Soneto de Santa Cruz
18 – Porta, Retrato
19 – Terminal Alvorada
20 – Ensaio Sobre Ela

A banda Ventre lançou há pouco tempo o seu primeiro DVD, “Ao Vivo no Méier”, que foi disponibilizado no Youtube.

Cícero disponibilizou na última semana um clipe para a canção “Terminal Alvorada, feito e gravado durante a turnê do A Praia, com imagens dos show feitos em Portugal.

 
 Deslize a tela para baixo e continue lendo as notícias do TMDQA automaticamente! 

Comentários