Os 10 piores momentos da TV em 2016

Séries de televisão vivem uma fase de ouro aqui e lá fora, mas ainda assim tem gente que não acertou...

Piores momentos da TV
 

Ainda relembrando o que aconteceu no mundo em 2016, depois de mostrarmos os 16 melhores momentos da TV em 2016, agora é a vez de acompanharmos os piores. Como nem tudo é perfeito, teve muita coisa ruim, ou que foi bem abaixo do esperado.

Conseguimos separar dez deles que deram o que falar, e com certeza muita gente gostaria imensamente que nunca tivessem existido. Prepara a vergonha alheia!

Veja a lista abaixo:

 

10 – Rick Springfield em Supernatural

Atualmente em sua décima segunda temporada, a série Supernatural contou com uma adição em seu elenco que talvez não tenha agradado tanto assim o público. Trata-se do cantor Rick Springfield, que vem interpretando o poderoso vilão Lucifer.

Não que sua atuação esteja ruim (ok, ela é um pouquinho), mas o personagem já foi interpretado por tanta gente na série, que acabou ficando mesmo imortalizado na pele de Mark Pellegrino (Lost). Springfield deu um ar mais sombrio ao coisa ruim, sendo com certeza esse alguns dos fatores que levou a rejeição do público.

 

9 – Flaked

Nem sempre dá para agradar a todos, principalmente quando falamos da Netflix. Apesar de ter produções originais que sempre prendem o público, algumas delas acabam não tendo a mesma sorte. Um dos casos ocorridos esse ano foi a comédia Flaked.

Criada e estrelada por Will Arnett (The Millers), a história de um falso guru que tenta manter suas mentiras para que as pessoas continuem acreditando nele não cativou tanto. A série recebeu diversas críticas negativas, além de ter uma audiência baixa em seus oito episódios.

Mesmo assim a plataforma de streaming optou por sua renovação.

 

8 – Sharon Osbourne

Integrante da formação original da bancada de jurados do reality show musical The X Factor, Sharon Osbourne retornou ao programa em sua recém finalizada edição. O acontecimento dividiu opiniões do público, e essa foi a tentativa do canal britânico ITV em reerguer a audiência do show, trazendo também de volta Louis WalshNicole Scherzinger.

A participação da Sra. Osbourne na atração não foi tão bem vista dessa vez, começando por sua ausência em diversos momentos das audições. Sem contar que ela foi duramente criticada pelo público por conta de escolhas inexplicáveis na disputa, além de ter virado piada por conta de alguns momentos de “insanidade”. Sua permanência no reality para 2017 ainda é incerta.

 

7 – Supermax

Uma das apostas no quesito “séries” na TV brasileira em 2016, Supermax não agradou tanto como era esperado. Com criação de José Alvarenga Jr, a atração mostrava um grupo de pessoas participando de um misterioso reality show, onde diversas coisas começam a acontecer durante o confinamento.

Investindo no suspense, a série era inicialmente para ter estreado em 2015, mas misteriosamente foi adiada para o ano que passou. A audiência não atendeu as expectativas.

 

6 – Machismo em Masterchef

Um dos maiores sucessos da TV brasileira atualmente, a recente edição do reality show culinário Masterchef deu muito o que falar. Com uma temporada exclusiva para profissionais do ramo de gastronomia, a atração recentemente teve evidência na mídia por um motivo não tão bom assim.

Tudo começou por conta de uma das provas na disputa em que uma das equipes, formada por dois homens e uma mulher, teve desavenças durante a execução da prova em questão pelo fato de nenhum deles terem dado bola para a participante Dayse, que veio a ser vencedora posteriormente. As coisas tomaram rumos mais tensos quando o capitão da equipe, Ivo, declarou que a cozinheira deveria pegar uma vassoura e varrer o chão, caso ela estivesse achando ruim o andamento da equipe.

Depois da polêmica, Ivo ainda foi além, declarando que durante a prova os nervos ficam à flor da pele, assim se tornando mais difícil trabalhar com mulheres na cozinha, por ficarem mais “frágeis”. Claro que a internet não perdoou, e o público caiu matando em cima do candidato.

 

5 – Cancelamento de Limitless

Uma das grandes estreias da TV americana em 2015, a série Limitless não teve um final feliz no término de sua primeira e única temporada. Baseada no filme homônimo, que aqui no Brasil leva o nome de Sem Limites, a série do canal CBS até que teve desempenho satisfatório, porém não o bastante para seguir em frente.

O cancelamento gerou uma revolta muito grande por parte dos fãs, ainda mais por conta de séries que tiveram desempenho inferior de audiência, como o drama médico Code Black, terem sido renovadas. Uma segunda temporada chegou a ser negociada com outras emissoras, inclusive plataformas de streaming como a Netflix, porém a tentativa de salvar o show não deu certo.

 

4 – Episódio ao vivo de Os Simpsons

Sucesso há quase três décadas, Os Simpsons decidiram inovar esse ano, sendo a primeira animação a ter um episódio exibido ao vivo. É claro que isso animou muita gente, afinal de contas se tornaria um ato inédito na história da TV.

O acontecimento, entretanto, acabou frustrando os brasileiros. Na tentativa de fazer a transmissão por aqui em tempo real também, a FOX acabou enfrentando problemas técnicos, e a exibição ficou sem som algum em certos momentos. Para consertar o incidente, um vídeo com Homer pedindo desculpas ao Brasil foi divulgado logo depois. Erro feio!

 

3 – X Factor Brasil

The X Factor se tornou um verdadeiro fenômeno mundial, lançando diversos nomes da música pop como One Direction, Little Mix, Fifth HarmonyLeona Lewis. Por conta de seu devido sucesso, diversos países adquiriram os direitos para produzir o formato do programa britânico criado por Simon Cowell, e esse ano foi a vez do Brasil fazer a sua versão.

O canal Band foi o responsável pela produção, que já encontrou diversos problemas na fase de seletivas, assim manchando a imagem do programa antes mesmo de sua estreia. Quando o X Factor Brasil finalmente foi ao ar, problemas de edição, etapas exaustivas, excesso de intervalos comerciais e sonoplastia sofrível foram diversos fatores para o público perder o interesse, que já era pouco.

A atração não emplacou, amargurando baixos índices de audiência. A bancada de jurados, composta por Rick Bonadio, Alinne Rosa, Di Ferrero (NX Zero) e Paulo Miklos (Titãs) também não colaborou muito para o sucesso do programa, sendo o produtor musical a única salvação entre eles. Mesmo assim a emissora decidiu dar uma nova chance, e o reality show voltará em 2017 com algumas mudanças, na tentativa de finalmente decolar.

 

2 – Marco Polo

Estreada no final de 2014, a série Marco Polo foi considerada como uma das maiores apostas da Netflix no sentido de ter a sua “própria Game Of Thrones“. O tiro saiu pela culatra, pois a história não atraiu o público na forma como era esperado.

Apesar disso a plataforma de streaming decidiu dar uma nova chance a ela, renovando-a para sua segunda temporada. Disponibilizados no começo desse ano, os novos episódios tiveram um fracasso ainda maior, fazendo com que o público nem lembrasse praticamente de sua existência.

Por conta disso e por um prejuízo estimado em 200 milhões de dólares, a Netflix decidiu recentemente pelo cancelamento da série.

 

1 – Cancelamento de Vinyl

Produzida por Martin ScorseseMick Jagger, Vinyl estreou na tela da HBO em Fevereiro desse ano. Após a exibição do primeiro episódio, o canal decidiu anunciar sua renovação, para a alegria de muita gente que assistiu e curtiu o show.

Meses depois a emissora decidiu voltar atrás em sua decisão, optando pelo cancelamento da série, pegando muita gente de surpresa. A justificativa dada foi pelo fato de que ela não teve a audiência esperada no decorrer da temporada, e seu custo era muito alto. Para ter uma noção, o primeiro ano teve orçamento de 100 milhões de dólares. Eles poderiam ter esperado a exibição de mais alguns episódios, para então verificar se a renovação valia a pena ou não, ao invés de ter criado esse papelão todo.

  

Comentários