Caso você tenha perdido, saiba que os indicados ao Grammy foram anunciados esses dias e, dentre algumas escolhas curiosas, a cantora pop Beyoncé está competindo na categoria de “Melhor Performance de Rock” pela música “Don’t Hurt Yourself”, que conta com a participação de Jack White.

A artista estará disputando contra o Disturbed com sua versão de “The Sound of Silence” (da dupla Simon & Garfunkel), Alabama Shakes com “Joe”, David Bowie com “Blackstar” e também contra a dupla Twenty One Pilots com a faixa “Heathens”.

Após a notícia sair, David Draiman, o frontman do Disturbed, fez alguns comentários “criticando” o modo de que os artistas são escolhidos na categoria.

Quando você tem, com todo o respeito, Beyoncé e Disturbed na mesma categoria, algo saiu errado. Não estou criticando ela nem nada – nós apenas somos bem diferentes uns dos outros.

Agora, Bill Freimuth, vice-presidente da Recording Academy (organização que escolhe os indicados), resolveu abrir o jogo sobre os motivos da escolha da Academia.

Em entrevista com a Metal Injection, Freimuth comentou: “Quando você exclui o metal, a categoria do rock é um dos nossos maiores ‘guarda-chuvas'”.

Não tão amplo quanto o pop, mas está quase lá. Eu penso que nós descobrimos esse ano que vários artistas que estavam no rock ou algo próximo a ele tomaram mais riscos sonoros esse ano do que nos outros. Acabou contribuindo para um cenário dinâmico bem interessante.

Sobre a indicação de Beyoncé, ele afirmou:

Aquela faixa tem participação de Jack White e samples do Led Zeppelin. Eu acho que a Beyoncé está ‘expandindo’. É uma artista no topo de seus poderes musicais, buscando novas direções, e todos nós estamos satisfeitos por isso.

A cerimônia do Grammy irá ao ar no dia 12 de Fevereiro de 2017.

 
 
Compartilhar