Resenha: Alicia Keys acerta a mão e escancara convicções em “HERE”

Alicia Keys lançou seu sexto álbum de estúdio, intitulado HERE, se aproximando mais da sonoridade R&B.

Alicia Keys - Here
 

Em meio a um ano em que decidiu se livrar dos “padrões de beleza imposto pela sociedade”, além de ter entrado para o The Voice, Alicia Keys escolheu o fim de 2016 para lançar seu novo álbum de inéditas.

HERE é o primeiro material da artista em quatro anos, desde Girl On Fire, um de seus discos mais comerciais já lançado. Dessa vez ela decidiu fugir da pegada mais mainstream e focar em algo que vem dando muito certo, o conceitual. Com uma pegada bem mais urbana e totalmente focada no R&B – contemporâneo e misturado com de décadas passadas -, a cantora convocou um time com nomes como Pharrell Williams, Emeli Sandé, Mark Baston, entre outros, para seu desenvolvimento.

Tendo sempre sua amada Nova York como fundo de tudo, Alicia explorou temas complexos, porém bastante cotidianos. A violência de todas as formas, feminismo e religião são apenas alguns dos assuntos abordados nas 18 novas faixas.

Após um interlude intitulado “The Beginning”, podemos dizer que o disco então começa com a incrível e maravilhosa “The Gospel”. Com uma letra poderosa e uma melodia indescritível, a canção traz o piano de fundo, marca registrada da cantora, com vocais poderosos e um leve coral acompanhando-a. Simplesmente uma das melhores faixas de HERE.

Avançando um pouco mais, somos apresentados à incrível “Kill Your Mama”. Com uma letra que enaltece a ambição e o poder, a canção é marcada por sua simplicidade ímpar, com apenas voz e violão.  Avançando duas faixas, é a vez de “Illusion Of Bliss”, que fala sobre a luta contra o vício, vindo com vocais impecáveis e, mais uma vez, tendo seu famoso piano como principal instrumento. Devemos prestar boa atenção nela também.

“Girl Can’t Be Herself” definitivamente é a canção que a inspirou em fazer aquele discurso cheio de atitude meses atrás, o qual revelou que abriria mão do uso de maquiagens. A letra dela vem com um feminismo consistente e encorajador, mostrando que não é uma marca ou ter o corpo perfeito que são capazes de lhe impedir de ser uma mulher de atitude. Tudo isso embalado com uma melodia leve, deixando a música bem empolgante e incentivadora, acertando justamente em seu foco, que é a auto aceitação, sem rótulos.

O álbum se encerra ao som de “In Common”, primeiro single do material. Comparada às demais, essa é uma das faixas mais comerciais do disco, e é fácil entender a sua escolha para o início das divulgações. É claro que não chega perto de “Blended Family”, bem radiofônica, comparada a seus lançamentos anteriores, porém com uma sonoridade mais equilibrada e calma.

HERE é o sexto disco da carreira de Alicia Keys, e podemos considerá-lo um verdadeiro divisor de águas. Em 15 anos de estrada, esse é o seu trabalho mais consistente e realista, que combina muito mais com a sua pessoa.

Depois do empoderamento libertador desse ano, a artista soube ponderar cada detalhe nas faixas, e esse com certeza é um de seus melhores álbuns, senão o melhor em quase uma década.

Ótimo trabalho, girl on fire!

  
REVIEW GERAL
Nota
9
Compartilhar

Comentários