Tiago Iorc faz show ao estilo voz e violão no RJ e encanta público

Em turnê do álbum "Troco Likes", lançado no ano passado, o cantor nascido em Brasília fez uma apresentação acústica em que não faltou animação

Tiago Iorc no Rio de Janeiro
 

Um dos nomes mais bombados da música brasileira atualmente, Tiago Iorc se apresentou novamente para o público carioca na última sexta-feira (28), dessa vez no Metropolitan, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Antes do artista brasiliense, subiu ao palco o veterano Humberto Gessinger, que contagiou a plateia com diversos sucessos da carreira do Engenheiros do Hawaii.

Entre os hits da banda, já com 30 anos de estrada, que animaram os fãs estavam “Somos Quem Podemos Ser”, “Dom Quixote”, “3×4”, “Pra Ser Sincero”, “Era um Garoto que Como Eu Amava os Beatles os Rolling Stones” e “O Papa é Pop”. Além do baixo e guitarra, Gessinger, durante o show, iniciado às 22h40, mostrou suas habilidades musicais tocando outros instrumentos como sanfona, gaita e um sintetizador que modificava sua voz em determinados refrães.

Depois de 1h40 de apresentação, Gessinger se despediu dos presentes sob muitos aplausos. Era chegada a hora do aguardo por Tiago Iorc. E que espera! O cantor de 30 anos só deu as caras quando o relógio marcava 1h13 e o público aparentava estar muito cansado. Mas foi só o suposto namorado de Tatá Werneck entrar no palco que o cansaço se transformou em euforia, como em um passe de mágica. Cercado por holofotes que compuseram o cenário, o cantor apareceu centralizado no palco levando os fãs ao delírio. Sem banda e com o seu violão em punho, Tiago cantou apenas o primeiro trecho de “Amei Te Ver”, de seu mais recente álbum, Troco Likes (2015), para abrir a apresentação.

Ao término da execução, ele saudou a plateia: “Boa noite, Rio de Janeiro!”. Na sequência veio “Bossa”, deixando claro, diante da empolgação dos fãs, que a noite seria animada, apesar do set acústico. Depois de “Coisa Linda”, Tiago questionou qual candidato da Cidade Maravilhosa teria o voto da galera e aproveitou para falar de respeito, já que a política tem sido protagonista de debates acalorados por todo o país nos últimos tempos.

Em seguida, Tiago foi acompanhado em coro pelo público em faixas como “Alexandria”, composta em parceria com Humberto Gessinger, que também incluiu a música em seu repertório horas antes, em versão mais rock n’ roll, “Liberdade ou Solidão” e “Um Dia Após o Outro”, do disco Zeski (2013). Muito simpático, Tiago, antes de “Mil Razões”, brincou com o fato de muitos pedirem diferentes canções para ouvir. “Pode pedir música, mas isso não quer dizer que vá tocar”, disse, arrancando risos da plateia.

Em “Bang”, cover do mega hit de Anitta, o cantor fez as moçoilas suspirarem com suas caras e bocas, além das fortes batidas no violão, conforme o ritmo da interpretação. “Me Espera”, parceria de Tiago com Sandy, foi mais uma que envolveu a plateia, que sacou seus celulares do bolso para registrar o momento. Pouco depois veio o cover de “Sentimental”, do Los Hermanos, levando o público a se arrepiar.

Na hora de “Cataflor”, o cantor prendeu um buquê de flores no pedestal do microfone e embalou a plateia com os versos românticos da canção. Próximo da reta final de sua apresentação, Tiago emocionou o público com “Dia Especial”, talvez o ponto mais alto da noite, emendada em “Sorte”, cover da famosa música de Caetano Veloso, lançada em 1985, ano do nascimento de Tiago. Seria coincidência? Vai saber. Fato é que o carisma e talento do artista se evidenciam cada vez mais.

O encerramento do show por volta de 2h30, após a versão completa de “Amei Te Ver” e diante de fãs ainda com a energia lá em cima, pode ser uma boa prova. E antes de deixar o palco, Tiago Iorc revelou aos fãs que uma conjuntivite quase fez com que ele não se apresentasse. Porém, o cantor honrou o compromisso por todos àqueles que saíram de casa para vê-lo. Definitivamente o esforço de ambos os lados valeu a pena.

 

 
 Deslize a tela para baixo e continue lendo as notícias do TMDQA automaticamente! 

Comentários