David Bowie em 1968
 

Em 1967, David Bowie, aos 20 anos de idade, lançava seu primeiro disco, homônimo. O trabalho pouco lembra as músicas poderosas que o levariam ao estrelato alguns anos depois, mas também é de muita qualidade. Tanto que fez sucesso também nos Estados Unidos.

É o que mostra uma correspondência revelada pela Entretainment Weekly. Sandra Dodd, que tinha, então, 14 anos e morava no Novo México, decidiu enviar uma carta ao cantor que tinha acabado de ouvir. Bowie, se sentindo honrado, decidiu responder.

A carta faz parte do novo livro de Shaun Usher chamado “Letters of Note: An Eclectic Collection of Correspondence, Volume 2”. Trata-se daquelas compilações com correspondências curiosas enviadas por famosos como John Lennon e Winston Churchill.

Nós traduzimos a íntegra da resposta de Bowie pra você. Leia abaixo!

A resposta

Querida Sandra,

Quando cheguei ao escritório do meu empresário, há pouco, me foi entregue a minha primeira carta de uma fã americana – e foi a sua. Eu fiquei tão satisfeito que tive que sentar e escrever uma resposta imediatamente, embora Ken [Scott, produtor de Bowie nos primeiros anos] esteja gritando comigo pedindo pra eu começar um roteiro que ele tanto necessita. Isso pode esperar [brinca com a palavra ‘wait’, usando a variação ‘wi-at’, digitada de forma equivocada, que ele diz ser uma nova gíria inglesa].

Eu estava mesmo esperando por alguma reação ao álbum dos ouvintes norte-americanos. Li comentários na Billboard e na Cash Box, mas feitos por críticos profissionais, e eles raramente refletem as opiniões do público. No entanto, os críticos foram muito lisonjeiros. Eles até gostaram do single ‘Love You Till Tuesday’. Eu recebi uma cópia da versão americana do álbum e percebi que eles imprimiram a imagem um pouco amarela demais. Eu não sou tão loiro. Penso que a imagem na parte de trás do disco seja mais a minha cara. Espero que você goste.

Em resposta às suas perguntas, meu nome real é David Jones e eu não tenho que lhe dizer por que eu o mudei. ‘Ninguém vai fazer de você um macaco’, disse o meu empresário. Meu aniversário é em 8 de janeiro e eu tenho mais ou menos 1,78 m. Há um fã clube aqui na Inglaterra, mas se as coisas correrem bem nos Estados Unidos, nós vamos ter um aí também, eu suponho. É um pouco cedo demais até para pensar nisso.

Espero um dia chegar à América. Meu empresário me diz muito a respeito, já que ele já foi até aí muitas vezes com outros artistas que administra. Eu estava assistindo a um filme antigo na TV uma noite chamado ‘No Down Payment’, um grande filme, mas bastante deprimente se aquilo for de fato o ‘american way of life’. No entanto, pouco depois eles mostraram um documentário sobre Robert Frost, o poeta americano, filmado principalmente em sua casa em Vermont. Ele igualou o placar pra mim. Estou certo de que aquilo está mais próximo da América real. Eu fiz meu primeiro filme na semana passada. É só um curta de quinze minutos, mas ele me deu uma boa experiência para um longa que eu devo começar em janeiro.

Obrigado por ser tão amável de escrever para mim e, por favor, escreva novamente e deixe-me saber um pouco mais sobre você.

Com os melhores cumprimentos,

David Bowie

Em tempo

Vale lembrar que há pouco foi lançada uma coletânea com 104 faixas trabalhadas pelo cantor entre 1974 e 1978. Incluindo um disco inédito!