Outroeu
 

Finalista da edição deste ano do “Superstar”, da TV Globo, a OutroEu se apresentou no último sábado (8) no Vintage Hall, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, cidade natal do grupo. Por isso, a noite não poderia ser mais especial para os seus quatro jovens integrantes, Mike Tulio (voz e violão), Guto Oliveira (guitarra), Felipe Lopes (baixo) e Rennan Azevedo (bateria), que estavam bastante empolgados mesmo antes de subir ao palco e sentir a energia emanada pelo público.

A noite começou cedo, por volta de 21h, com a abertura das bandas Flores pra Ramona e Bellamore, que também havia chegado à final da terceira temporada do programa apresentado por Fernanda Lima. Porém, somente pouco antes de 00h é que a OutroEu surgiu em cena. Mas quem ligava? A plateia aguardou pacientemente, como se soubesse que cada minuto de espera valeria a pena. E valeu.

O grupo, que contou ainda com a presença do sanfoneiro Victor Huggo, foi responsável por uma apresentação sólida e competente, que definitivamente o coloca entre as principais novas bandas do rock nacional. Simpáticos e comunicativos, antes mesmo da primeira música os integrantes já interagiram com os fãs. “Boa noite! O que é isso, galera? Me falaram que estava incrível isso aqui, mas superou todas as expectativas”, disse o vocalista Mike.

Para dar início ao seu show, a OutroEu escolheu o hit “Zade”, que fez todo mundo pular sem parar e cantar cada verso da canção. Mais tarde, depois de “O que Te Faz Feliz”, Mike agradeceu o suporte das pessoas durante a caminhada do grupo: “A gente está vendo aqui várias pessoas que fizeram parte da nossa história e também novos amigos. A gente quer agradecer o apoio da galera de Nova Iguaçu durante o programa”.

O show da OutroEu seguiu com a vibe lá no alto e após “Dona Cila” eles aproveitaram para se apresentar aos presentes. Antes de “Até Mais”, Mike anunciou que tratava-se de uma nova canção escrita pelo guitarrista Guto. O público então pareceu ter aprovado a faixa, pois ao final da execução os fãs responderam com muitos aplausos. Na hora de “Hold back the river”, cover de James Bay, a Outroeu convocou o vocalista da Bellamore, Pedro Sárria, de volta ao palco para cantar a música com a banda, sob gritos da plateia.

Pouco mais para frente, Mike chamou mais um convidado: Bernardo Legrand. “Eu queria chamar um grande amigo que sempre tocou com a gente aqui em Nova Iguaçu”, disse o cantor. Juntos, Outroeu e Bernardo fizeram uma versão mais rock n’ roll de “Valerie”, canção do grupo The Zutons eternizada na voz da saudosa Amy Winehouse. Na sequência, Mike anunciou que a apresentação estava se encaminhando para o final, fazendo o público se lamentar. “Mas se pedirem muito a gente fica”, brincou Guto. “Todo final tem uma saideira. Qual música vocês querem ouvir?”, questionou Mike.

“Não estou ouvindo”, emendou, enquanto os fãs pediam “Coisa de Casa”. “Gente, que coincidência”, concluiu o vocalista, introduzindo a faixa em seguida. O show, que também teve os sucessos “Outroeu”, “O que Dizer de Você?” e “O que Você Sonhou”, terminou às 1h05, enquanto os fãs pareciam ter pique para aguentar outros 70 minutos. “Quem quiser tirar foto a gente vai estar por aí”, revelou Mike, para a felicidade de quem queria mais um pouco. Passada a despedida, ficou a impressão de que a OutroEu ainda vai criar muita coisa boa para o seu público cada vez maior. Resta aguardar.

Antes do show no Vintage Hall, nós do Tenho Mais Discos que Amigos conversamos com a OutroEu e o resultado da entrevista você confere a seguir:

TMDQA: Como é apresentar na cidade onde vocês se criaram como músicos?
OutroEu: Pra gente tocar em casa é incrível. O nosso público vem assistir à gente. É ótimo, tem uma energia surreal. Você vê no meio da galera os amigos com os quais você sempre conviveu, o pessoal da rua, do bairro. O que fez a gente querer fazer música foi justamente Nova Iguaçu, porque tem o colega que tem um estúdio, aquele outro que pegava a bateria e levava para garagem etc. E hoje a cidade abraça a gente. É muito especial estar aqui recebendo esse abraço de todos.

TMDQA: Como vocês enxergam a cena do rock na Baixada Fluminense?
OutroEu: O cenário é muito difícil, porém rico. Tem muita banda bacana, inclusive o Flores pra Ramona está aqui com a gente. Nós quisemos convidá-los porque eles são ótimos e o som é maravilhoso. Também existem a Lisbela, Karamujos, nosso amigo Bernardo Legrand, entre outros.

TMDQA: Qual é o balanço que vocês fazem da participação no Superstar?
OutroEu: Foi o melhor possível. Desde o início do programa foi tudo lindo. O lance do recorde que a gente bateu, a experiência em si, a convivência com os outros grupos e músicos. O profissionalismo de toda a equipe do programa com a gente também foi demais. Nós pudemos ficar cara a cara com artistas que nunca pensamos que poderiam estar na nossa frente e que também são nossos ídolos. Foi sensacional.

TMDQA: Vocês finalizaram o primeiro álbum recentemente, como vai ser?
OutroEu: Nós estamos executando as últimas etapas para o disco ficar pronto e ele se chamará “Coisa de Casa”. A previsão de lançamento é para novembro e a gente está trabalhando para finalizá-lo logo para gente poder mostrar para o nosso público. Nós estamos bastante ansiosos e vai ter muita coisa especial dentro desse CD. Vem novidades por aí e acho que os fãs vão curtir. Tem uma surpresa no disco que é uma surpresa até mesmo para gente então não dá para falar muito ainda.