Foo Fighters
 

Ah, o Foo Fighters.

Adorado por tantos, odiado por muitos outros, o grupo liderado por Dave Grohl chega aos 22 anos de existência com oito discos na bagagem, 11 prêmios Grammy, uma legião de fãs no mundo todo e, ainda, ares de desconfiança.

Há quem ainda considere a banda apenas um projeto fundado por Grohl após o fim do Nirvana para tocar “canções genéricas de rock”, e é justamente essa a linha de raciocínio utilizada em um artigo publicado no Medium.

Gustavo Ricci, autor do texto, propõe uma fórmula matemática onde leva em consideração elementos como “originalidade”, “número de hits”, “influência” e “expectativa” para chegar em um valor absoluto de “Qualidade” da banda.

Ao aplicar a fórmula para o Foo Fighters, atribuindo sempre notas baixas nos quesitos todos, Gustavo é divertido e até compara a banda a outros nomes como Nickelback, U2, One Direction e Jota Quest.

Para a última no quesito “originalidade”, por exemplo, ele diz que “ao menos o Jota Quest foi a primeira banda de funk de branco mineiro”, dando nota 5 contra a nota 2 do Foo Fighters.

Naturalmente, não dá pra levar o texto a sério, mas ele é muito divertido, e a gente recomenda a leitura e as conclusões todas, com umas boas risadas, por aqui.