(créditos: youtube/Loudwire)
 

Sabe aquela sensação que nós (loucos por música) temos às vezes, de que não se faz mais rock como antigamente? De que não estão mais surgindo cenas e estilos diferentes, e de que a qualidade das músicas diminuiu consideravelmente?

Pois é, alguns dos músicos que participaram daqueles tempos ainda estão na ativa. E, infelizmente, eles também têm essa sensação.

Foi o que deixou claro em uma entrevista à Loudwire o baterista do Red Hot Chilli Peppers, Chad Smith. A ocasião: os 25 anos do lançamento do maravilhoso Blood Sugar Sex Magik, de 24 de setembro de 1991. Confira abaixo os principais trechos.

 

Red Hot mais entrosado do que nunca

Red Hot em 1991

Chad Smith lembrou o entrosamento que a banda tinha no início dos anos 90:

A gente morava juntos naquela época, então foi divertido e rápido. Fizemos o álbum inteiro em dois meses. Eu me lembro de ter pensado: ‘essa é a primeira vez que nosso som e nossa energia foi capturada em fita de forma natural e orgânica’. É provavelmente meu disco favorito da banda. E nos tornamos muito populares depois daquilo.

O baterista também falou sobre as participações que o mega-produtor Rick Rubin e o guitarrista John Frusciante tiveram no trabalho:

A banda estava em um momento maravilhoso. Foi a primeira vez que Rick Rubin trabalhou conosco. Tínhamos muitas músicas, e John, especialmente, estava se encontrando como um compositor e se sentindo muito confortável na banda. Eu e ele tínhamos entrado no Red Hot só no disco anterior, o Mother’s Milk.

 

O início da cena grunge

Flea e Kurt Cobain

Imagine que sonho. Estar no nascimento de um dos estilos mais importantes da história do rock n’ roll. O Red Hot não apenas estava lá, como fez parte disso:

O rock estava mudando. A cena de Seattle estava surgindo com Nirvana e Pearl Jam. Também fizemos uma turnê com o Smashing Pumpkins. Aliás, eu nem sabia que o Nevermind tinha sido lançado no mesmo dia do Blood Sugar! O Nirvana era incrível, uma banda maravilhosa. Eu lembro de assistir a um show em que eles tocaram ‘Teen Spirit’. Nossa… o público, o espaço… tudo sacudiu. Eu não consigo explicar a sensação. Foi… maravilhoso. Eu sabia que estava assistindo a algo especial.

Assista abaixo ao vídeo na íntegra, em inglês: