No próximo Domingo os ataques de 11 de Setembro de 2001 ao World Trade Center, nos Estados Unidos, irão completar 15 anos.

Os atos terroristas que espantaram o mundo todo e não apenas a cidade de Nova York foram responsáveis por 2.996 mortes e seis mil pessoas feridas, tudo por conta de dois aviões comerciais sequestrados que se chocaram contra as torres gêmeas do WTC naquela terça-feira.

É bom lembrar que justamente por ter acontecido em uma terça-feira, a data carrega vários lançamentos de discos, já que até há pouco tempo, esse era o dia da semana oficial para as gravadoras disponibilizarem seus álbuns.

Por conta disso, várias coincidências bizarras cercam a data na música, e relembramos aqui diversas bandas que tiveram suas carreiras afetadas pelos ataques de 11 de Setembro de uma forma ou de outra, seja com discos, clipes ou até mesmo mudança de nome da banda.

Leia na sequência.

 

Explosions In The Sky

Explosions In The Sky - Those Who Tell the Truth Shall Die, Those Who Tell the Truth Shall Live Forever

Além do nome que, obviamente, não pega bem ao se falar de um ataque que veio pelos céus e causou explosões, exatamente uma semana antes, em 04 de Setembro de 2001, o grupo de post-rock lançou seu segundo disco.

As coincidências horríveis continuam na capa, que traz um avião iluminando um anjo, e no nome do disco: Those Who Tell the Truth Shall Die, Those Who Tell the Truth Shall Live Forever, ou “Aqueles que falam a verdade devem morrer, Aqueles que falam a verdade devem viver para sempre”.

Para piorar a situação, a primeira música se chama “Greet Death”, ou “Cumprimentar a Morte”, e após os ataques muita gente chegou até mesmo a acusar a banda de estar envolvida de alguma forma.

Boatos disseram que o disco foi lançado um dia antes da data fatídica, mas a gravadora confirmou que o lançamento oficial foi em 04 de Setembro e a banda disse que todas as ideias de capa, temática e canções vinham sendo trabalhadas há um ano.

10 anos depois, em 2011, quando a banda marcou um show para 11 de Setembro na cidade de Boise, Idaho, a polêmica voltou por conta do anúncio da apresentação.

Show do Explosions In The Sky em 2011

 

Jimmy Eat World

Jimmy Eat World - Bleed AmericanTambém em 2001 o Jimmy Eat World lançou um dos discos mais bem sucedidos do ano e o melhor de sua carreira, Bleed American.

Lançado em 24 de Julho daquele ano, o álbum tornou-se rapidamente um grande sucesso por conta de músicas como “The Middle” e “Sweetness”, mas precisou ter lotes retirados das lojas para substituição após os ataques.

O nome Bleed American, ou algo como “Sangrar Americano”, obviamente não pegou bem, e o disco foi disponibilizado novamente como Jimmy Eat World, sendo que a faixa título foi rebatizada como “Salt Sweat Sugar”.

Anos depois o disco voltou a ser comercializado com seu nome original.

 

The Strokes

The Strokes - Is This It

Outro disco muitíssimo bem sucedido em 2001 foi Is This It, a estreia da banda The Strokes.

O disco contou com várias datas de lançamento sendo que a primeira delas foi 30 de Julho na Austrália.

Is This It sairia em 25 de Setembro nos Estados Unidos mas a data foi alterada para 09 de Outubro e havia um motivo bastante crítico para isso.

Sendo de Nova York, a banda escreveu uma música chamada “New York City Cops” e a incluiu no álbum.

O problema é que a letra da canção dizia que os policiais da cidade não eram muito espertos, e isso obviamente não pegaria bem dias depois de vários deles terem resgatado vítimas e/ou perdido a vida após os ataques terroristas de 11 de Setembro.

Uma música chamada “When It Started” substituiu a canção original no álbum.

 

AC/DC, Alice In Chains, Beatles, Metallica, U2

AC/DC

Logo após os ataques de 11 de Setembro, várias rádios dos Estados Unidos pararam de transmitir música e passaram a trabalhar em programações com informações sobre vítimas, pontos de ajuda, relatos de sobreviventes e mais.

As que continuaram tocando música passaram a colocar em sua programação canções com mensagens positivas e chegaram a excluir algumas que poderiam ser consideradas inadequadas, como “Sunday Bloody Sunday” do U2 e “Crash Into Me”, da Dave Matthews Band.

Além disso, a Clear Channel, hoje conhecida como iHeartMedia, enviou a todas as suas mais de 1.200 rádios na época, uma lista com 150 canções que entendia que não deveriam ser executadas.

Entre as bandas aparecem nomes como AC/DC com sete canções incluindo “Highway To Hell”, Alice In Chains com quatro, The Beatles com quatro e Metallica com o mesmo número.

Até “Aeroplane” do Red Hot Chili Peppers aparece na lista.

 

Rammstein

Rammstein

Na véspera dos ataques, em 10 de Setembro, a banda alemã Rammstein lançou um single chamado “Ich Will”.

Seu clipe deveria estrear nos Estados Unidos na noite de 11 de Setembro, mas trazia cenas de um ladrão com bombas amarradas no corpo e tudo foi cancelado.

 

P.O.D.

P.O.D. - Satellite

Se a maioria das repercussões até agora foi negativa, para o P.O.D. veio um salto na carreira.

O grupo lançou seu quarto disco de estúdio, Satellite, exatamente em 11 de Setembro de 2001, e foram vendidas mais de 3 milhões de cópias nos EUA e 7 milhões de cópias no mundo tudo.

Muito disso aconteceu por conta do single “Alive”, que se tornou uma espécie de hino de recuperação para as pessoas envolvidas no ataque.

 

Blink-182

blink-182 - Take Off Your Pants and JacketEm Junho de 2001 o grupo de pop-punk lançou o disco Take Off Your Pants and Jacket, e a banda cancelou uma turnê que faria pela Europa para divulgar o álbum por conta dos ataques terroristas.

Além disso, o clipe oficial original de “Stay Together For The Kids” tinha cenas de destruição de um prédio para fazer uma analogia com o divórcio dos pais de Tom DeLonge.

A banda e o diretor Samuel Bayer decidiram que havia muitas semelhanças com a maneira como os prédios do World Trade Center ficaram e resolveram regravar várias cenas.

 

Shihad

Shihad

A banda de rock alternativo da Nova Zelândia resolveu mudar o nome de Shihad para Pacifier porque a palavra era semelhante a jihad, termo utilizado pelos muçulmanos para falar de uma “grande guerra”.

Entre 2001 e 2004 o grupo ficou conhecido assim e até lançou um disco chamado Pacifier, mas depois disso voltou ao nome original.

 

30 Seconds to Mars

30 Seconds To Mars

A banda emo do ator Jared Leto achou melhor alterar a capa do seu primeiro disco de estúdio, homônimo, lançado em Agosto de 2002.

A original teria uma imagem de um piloto sendo ejetado de um avião em chamas, e a final acabou com o retrato de um jovem vestido de piloto.

 

Ben Folds

Ben Folds - Rockin' The SuburbsNo dia 11 de Setembro de 2001, Ben Folds lançou seu primeiro disco solo após sair da banda Ben Folds Five.

Para divulgar o bem sucedido Rockin’ The Suburbs, diz a lenda que Folds estava dando uma entrevista interrompida exatamente no momento em que os ataques aconteceram em Nova York.

 

Dream Theater

Dream Theater Live Scenes From New York (capa original)Talvez a coincidência mais sombria daquele 11 de Setembro, uma Terça-feira onde vários discos foram lançados, seja com um álbum do Dream Theater.

O grupo de heavy metal lançou um disco triplo ao vivo chamado Live Scenes From New York, com músicas gravadas em 30 de Agosto de 2000 no Roseland Ballroom, que fica na cidade.

A capa original do disco mostra parte do skyline de Nova York, incluindo as torres gêmeas, pegando fogo.

Nem é preciso dizer que uma capa alternativa foi lançada.

Dream Theater Live Scenes From New York (capa alternativa)

Bush

Bush - Golden StateQuem também teve que mudar uma capa de disco foi o Bush, que lançou o álbum Golden State em 23 de Outubro de 2001.

A arte original tinha o desenho de um avião, e foi alterada para outra apenas com o nome da banda e o título do álbum.

Bush - Golden State (Capa original)Além disso, o primeiro single do disco se chamava “Speed Kills”, e estava na lista da ClearChannel sobre a qual falamos aqui anteriormente.

Por conta disso, o nome foi alterado para “The People That We Love”, e a banda falou a respeito:

Já que a música fala sobre amor, apreciação e se levantar contra as adversidades, esperamos que essa mudança reflita o nosso desejo de ser parte do alívio que a arte traz em tempos difíceis.