Créditos: Steven Klein/revista Interview
 

A revista americana Interview é uma das mais criativas e inovadoras do mundo. E não é por menos. Ela foi criada no finzinho da década de 60 por Andy Warhol e pelo jornalista John Wilcock. A proposta é fazer com que artistas de diversas áreas conversem entre si, sobre o assunto que quiserem, e que essa entrevista seja publicada sem cortes.

Pois bem. Eis que a edição de setembro da revista nos traz como destaque de capa uma entrevista com Jaden e Willow Smith feita por Pharrell Williams!

Os filhos de Will Smith, que têm 18 e 15 anos, respectivamente, são famosos desde que nasceram. No início de sua matéria, o dono do hit “Happy” e 11 vezes ganhador do Grammy lembra que os dois já foram considerados estrelas de cinema e da música.

Jaden já trabalhou em filmes como “À Procura da Felicidade” (2006) e “Após a Terra” (2013), recentemente gravou a série “The Get Down”, da Netflix, e também se aventura pela música, tendo lançado recentemente o single “Labor V2”. Jaden também participou de filmes como “Eu Sou a Lenda” (2007) e no ano passado lançou o disco Ardipithecus, que trouxe o hit “Whip My Hair”.

Mas com a maturidade cada vez mais próxima, os dois começaram a se preocupar com outros assuntos. Se tornaram, por exemplo, embaixadores da moda transgênero. Ambos mesclam peças masculinas e femininas, de todos os estilos do mundo, retrô ou vanguarda. Muitos dizem que eles são o futuro da moda.

Em seu artigo para a Interview, Pharrell Williams vai mais longe e diz que eles são o futuro. Ponto final. Segundo o cantor, em alguns anos não haverá distinção entre moda, design, sexo, música, cinema e tecnologia.

Separamos abaixo os principais trechos dessa maravilhosa entrevista, que conta ainda com uma linda sessão de fotos feita por Steven Klein. E clicando aqui você pode ler a matéria original, completa, em inglês.

 

A entrevista

Créditos: Stevem Klein/revista Interview
Créditos: Steven Klein/revista Interview

Pharrell Williams começa perguntando se Jaden e Willow sentem um “conflito de gerações” quando conversam com pessoas mais velhas. E é a garota quem responde:

Com certeza. Eles não entendem nosso processo. Parece que eles estão sempre bravos com coisas que aconteceram no passado. A gente só quer aceitar as coisas e seguir em frente. Eu vejo claramente que as coisas ruins que estão acontecendo deprimem os mais velhos. Mas a minha geração só quer transcende-las.

Pharrell diz que esse caminho é muito positivo, e pergunta de onde eles tiraram isso, quais são as maiores inspirações. Novamente é Willow quem fala:

Meus pais. Enquanto a gente crescia, podia observar nossos pais tentando ser o melhor que podiam ser. As pessoas vindo a eles para pedir conselhos, e eles não se colocavam em pedestais, conversavam frente a frente com essas pessoas e as davam amor.

Jaden completa:

Eu concordo totalmente. Foi daí que eu e Willow tiramos nossa inspiração para mudar o mundo. Queremos afetar o mundo positivamente. E isso passa por todas as áreas: tecnologia, música, ciência, espiritualidade, educação… Queremos fazer a sociedade se tornar mais eficiente para que as crianças não chorem por precisar estudar.

Pharrell pergunta se algum deles tem um papel dos sonhos ou o sonho de trabalhar com algum artista. Jaden não hesita:

Eu adoraria trabalhar com Christopher Nonal. 100 por cento. Também seria um sonho estar com você em estúdio. Não pra fazer música, só conversar.

Pharrell diz que ele está convidadíssimo, e dá a palavra para Willow:

Eu sonho em trabalhar com uma banda chamada Hiatus Kaiyote. Nai Palm, a vocalista, eu tenho muita afinidade com a voz dela. E tudo que ela fala nas letras, tudo que ela defende, é tudo lindo. E como Jaden disse, nem pra fazer música juntas, só observa-la como espírito e como ser humano.

Pra terminar, Pharrell pergunta onde eles se veem em dez anos. Jaden surpreende:

Morto.

Willow é um pouco mais suave. Mas só um pouquinho:

Eu me vejo em algum lugar nas montanhas, em uma barraca, cozinhando um esquilo.