YouTube
Foto: Reprodução Youtube.com
 

Trent Reznor, que agora além de músico também é diretor criativo da Apple Music, criticou recentemente o Youtube dizendo que a plataforma era “construída com base em conteúdo gratuito e roubado”. A empresa emitiu nota oficial comentando as declarações.

No comunicado à revista NME, a assessoria de imprensa do site negou as informações dadas pelo líder do Nine Inch Nails:

A maioria esmagadora de selos e gravadoras tem acordos de licenciamento em vigor com o YouTube que permitem que os vídeos enviados por fãs continuem na plataforma e, assim, possam gerar receita para os artistas.

A nota ainda fala sobre os números pagos em royalties:

Atualmente, o repasse feito por causa dos carregamentos de vídeos feitos por fãs gira em torno de 50 por cento da receita da indústria da música no YouTube. É falsa uma afirmação que alega que este conteúdo é, em grande parte, sem licença. Até hoje, pagamos mais de 3 bilhões de dólares para a indústria da música – e esse número está crescendo ano a ano.

Reznor ainda não comentou as declarações da nota.