Glastonbury 2017
 
Ouça o novo single da Majur!

É sempre animador ver grandes nomes da indústria apoiando boas causas e agindo para que a inclusão social atinja cada vez mais minorias. Pensando nisso, e em como a mulher ainda é pouco representada no cenário musical, o Glastonbury decidiu criar uma área especial no festival feita para todas aquelas que se identificam como sendo do gênero feminino.

A área ganhou o nome de “The Sisterhood” (“A Irmandade”, em português) e contará com atrações e funcionárias mulheres, além de ser definida também como “um espaço interseccional, gay, trans e inclusivo para pessoas deficientes”. Em comunicado à NME, os organizadores disseram:

Os produtores da ‘The Sisterhood’ acreditam que espaços apenas para mulheres são necessários em um mundo que ainda é comandado e concebido para beneficiar principalmente os homens. A opressão contra as mulheres continua em várias manifestações em todo o mundo hoje em dia, em diferentes contextos culturais.

Em conjunto com as atrações da área, que ainda não foram anunciadas pelo festival, o Glastonbury trará também workshops e palestras sobre os mais diversos assuntos envolvendo a temática do espaço, que estará “escondido” na zona Shangri La.

Vale lembrar que o Austin City Limits, que acontece nos EUA, virou notícia por ter em seu lineup apenas uma banda liderada por uma mulher, o HAIM, dentre 20 outras lideradas por homens.

A lista de atrações do Glastonbury, que conta com nomes como Muse, Adele, Coldplay, Foals, Beck, PJ Harvey, entre outros, pode ser conferida aqui. O evento rola nos dias 22 a 26 de Junho.