James Hetfield, do Metallica
Foto via Shutterstock
 
Ouça o novo single da Majur!

O baterista do Metallica, Lars Ulrich, revelou que o novo álbum de estúdio da banda – o décimo da carreira -, estará pronto “no próximo verão” do hemisfério norte. Por isso pode se entender que, em algum momento entre o final de Junho e o de Setembro, eles terão concluído as gravações.

Importante notar que isso não representa, de maneira alguma, a época de lançamento do trabalho. É preciso colocar na conta, também, o tempo de finalização, mixagem e masterização das músicas, assim como a criação das artes, planejamento de marketing, comunicação, etc, etc, etc.

De toda forma, na mesma entrevista Lars assegura que no mês de Junho eles decidirão o título e tracklist do álbum e, salvo algum tipo de “razão cósmica”, ele será lançado ainda em 2016.

Ulrich conta à Metal Forces, em entrevista divulgada na Team Rock:

Estamos chegando ao final do processo criativo e agora começando a avançar no processo de decisão de como vamos dividir esse álbum com o universo.

O mês de Junho será basicamente quando iremos sentar e descobrir o que vamos fazer com isso tudo – como iremos chamá-lo e o que estará nele.

 

A produção

O Metallica, agora próximo à marca de 8 anos sem lançar material inédito, segue trabalhando novamente com Greg Fidelman em seu “quartel-general” na Califórnia.

Mas como “novamente”? O produtor de Death Magnetic não havia sido o lendário Rick Rubin?

Sim, Rick Rubin estava lá, mas conforme sinalizado anteriormente, ele constava mais como um “produtor executivo”, enquanto era Greg, de fato, o responsável pelo “trabalho pesado” que envolve a participação de um produtor.

O próprio guitarrista Kirk Hammett havia dito à Metal Injection:

“O nome ‘produtor’, em si mesmo, já é ambíguo. Ele difere de pessoa para pessoa. Você pode chamar Rick Rubin de produtor, mas ele não é o mesmo tipo de produtor que Bob Rock, que está ali por cada nota. Ao mesmo tempo, Rick Rubin consegue finalizar as coisas.

Greg Fidelman é um tipo diferente de produtor, no sentido de que ele está sempre com o engenheiro de som procurando experimentar e mover o projeto adiante.

E isso é diferente de, vamos dizer, o Dr. Dre, que é o tipo de produtor que está realmente fazendo faixas de apoio, produzindo música, escrevendo música. No mundo do hip-hop, Dre é um produtor.

É tão ambíguo. Mas se você for pelo termo tradicional, nós estamos fazendo tudo com o Greg, absolutamente.”

Greg já esteve envolvido na produção de discos de bandas como Red Hot Chili Peppers, System of a Down e até o Black Sabbath – tendo contribuído como engenheiro de som no último álbum de estúdio da banda,o elogiado 13. Lars Ulrich finaliza:

Greg Fidelman entrou de cabeça nesse disco e tem sido assim desde o ano passado. Ele está fazendo um trabalho insanamente sensacional e tem colocado sua alma e coração nele praticamente o tempo todo em que passa acordado, nos ajudando a projetar e produzir esse registro.

Se esse disco não sair esse ano, não é porque não está pronto. Seria por causa de alguma razão cósmica onde seria mais inteligente segurá-lo até o ano que vem. Mas o disco estará pronto neste verão.

Analogias esotéricas à parte, anteriormente Lars havia até brincado sobre um retorno à antiga garagem de ensaios da banda dizendo que se eles ainda estivessem por lá, o disco já teria saído. Relembre aqui.

     
 
Compartilhar