Em muitíssimo breve, o quinteto mezzo-carioca/mezzo-petropolitano Hover lança Never Trust The Weather, primeiro álbum da carreira. Com 13 faixas e produção de Diego Marx (Scalene), Never Trust The Weather aprofunda e equilibra as influências do grupo, que se firmam no rock alternativo mas alcançam elementos distintos do rock recente, esse morto-vivo que não cansam de matar, mas sempre reaparece de um jeito ou de outro.

Fundado em 2008, o Hover é filho legítimo da metade mais sombria dos anos 90, aquela expectativa pré-virada de século onde muitos conviviam com a certeza do fim do mundo, do bug do milênio, ou de um mercado fonográfico disposto a nos convencer que os Backstreet Boys seriam os novos Beatles. Felizmente, nada disso aconteceu (ou seria Nick Carter o próximo Paul McCartney? A conferir), e as virtualidades da era pós-internet permitem não apenas o surgimento, mas a existência contínua de um grupo com três guitarras e letras em inglês na capital mundial do samba, o Rio de Janeiro, em conexão direta com Petrópolis, onde os integrantes cresceram e se conheceram.

Recebi o disco ontem, então ainda não deu pra absorver muita coisa. Por ora, o veredito é que Never Trust The Weather – que tem participações de Carol Navarro, do Supercombo, e Luiza Pereira, do Inky – é um álbum denso, pesado, mas misteriosamente acessível – as canções, ainda que complexas, são de fácil assimilação, especialmente para os iniciados no rock alternativo da era pós-grunge supracitada. Um bom exemplo disso é “Teeth”, segundo single e primeiro clipe oficial de Never Trust The Weather, que você assiste em primeira mão aqui no blog:

Em menos de 5 minutos, “Teeth” remete ao post-hardcore, ao post e ao math rock, e à faceta mais pesada do grunge, com riffs tipo Alice In Chains. Tudo isso com os vocais de Saulo Von Seehausen, que em forma lembram os cantos looooongoooos de Chino Moreno, do Deftones, e em timbre evocam uma versão menos escandalosa de Jonny Craig (Dance Gavin Dance, Emarosa, Slaves).

“Escolhemos esse single porque julgamos ser a música do disco novo mais diferente do EP [Open Road, 2014], e queríamos marcar bem isso. É uma nova proposta de som, de clima e estética”, explica Saulo sobre a seleção de “Teeth” como carro-chefe do disco. O clipe, com direção de Fabrício Abramov e Hugo Gama, tem conexão real com o nome do disco, segundo a experência descrita por Saulo. “A gravação do clipe em si foi bem complicada, pois decidimos gravar num lugar de acesso ruim, um teleférico desativado, no alto de uma montanha em Petrópolis”, conta. “Tínhamos de cara o problema de transporte, além de depender do clima, e é lógico que choveu muito. Chegamos a cancelar e remarcar o primeiro dia e quase sofremos um acidente no último. Mas corremos contra o tempo e conseguimos filmar tudo em três diárias”.

Never Trust The Weather chega aos serviços digitais logo mais, e atualizo o post quando puder incluir o link. Enquanto isso, indico a recém-lançada apresentação da banda no AudioArena Originals, com várias músicas do disco novo: