BRAZA: membros do ForFun lançam clipe para
 

Há alguns dias você viu aqui no TMDQA! o anúncio do BRAZA, o novo projeto de ex-integrantes do Forfun, que encerrou as atividades no final do ano passado.

A nova banda é formada por Nicolas, Danilo e Vitor, e o primeiro single do grupo, “Embrasa”, mostra uma sonoridade que lembra o que a banda vinha fazendo nos seus últimos lançamentos, mas o disco de estreia traz uma série de novos elementos que irão surpreender e deixar o som do grupo bastante próprio e característico.

Agora, em entrevista exclusiva ao TMDQA!, o BRAZA fala sobre o que norteou o processo criativo dentro do estúdio, envolvimento de cada um, temas das canções e lançamento do disco.

Leia abaixo!

TMDQA!: Antes de tudo, quem está envolvido nesse novo projeto?
BRAZA: A base do projeto é formada por Nicolas Christ (bateria), Danilo Cutrim (guitarra e voz) e Vitor Isensee (teclados e voz). Porém, muitas outras pessoas estão envolvidas; desde a parte musical com Pedro Garcia, Mario Caldato; até à identidade visual, com o artista plástico Vagner Donasc, e no vídeo com Thiago Calviño.

TMDQA!: O BRAZA surgiu depois que o Forfun acabou ou ele já vinha sendo idealizado por algum tempo?
BRAZA: Surgiu simultâneo ao encerramento do Forfun. Além de nos proporcionar o sustento, música é o que amamos fazer. Não teria como ficarmos sem produzir.
Assim, passamos o segundo semestre de 2015 nos revezando entre a turnê de encerramento do Forfun e a composição, idealização e gravação do disco do Braza.

BRAZA, banda com membros do Forfun
TMDQA!: A partir do disco Polisenso (2008) vocês foram desenvolvendo uma identidade própria, com elementos do reggae, dub e hip hop em cima daquela veia pop-punk que estava lá desde o início. Ao compor esse single, vocês sentiram que estavam recomeçando de onde pararam ou dá pra dizer que foi um processo bem diferente do habitual?
BRAZA: Foi um processo coletivo. Todos escreveram, ritmaram e harmonizaram. Mas é claro que as influências que vinham de antes foram a base para construirmos esse trabalho. A grande diferença é que tínhamos em nossas mãos uma matéria-prima virgem e bruta. Por isso, tivemos oportunidade de direcionar e dar forma quase que do zero. Alinhamos o que gostamos de tocar e falar, com o que intimamente acreditamos que tocamos e falamos melhor. Estamos menos “querendo ser” e mais “sendo”.

TMDQA!: O Forfun costumava se dividir entre críticas sociais, reflexões cotidianas e positivismo. No BRAZA, vocês continuarão se norteando por esses temas?
BRAZA: Certamente. Viver por si só já é refletir e fazer política. Compomos sobre as nossas vidas, o que sentimos, o que acreditamos, e por consequência o que repudiamos. Somos críticos, da sociedade e principalmente de nós mesmos. De certa forma também somos positivos, pois estar vivo é um fato pelo qual agradecemos todos os dias.

TMDQA!: O que a gente pode esperar desse primeiro ano de vocês? Vai vir disco de estúdio e turnê?
BRAZA: Sim! Lançamos o disco no YouTube dia 17 de março, e nas demais plataformas dia 25, com distribuição digital pela Deck.

BRAZA

A banda já está presente na Internet e você pode curtir a página oficial do BRAZA no Facebook clicando aqui, bem como acessar seu site oficial por aqui.

O grupo também está no Instagram.