Phil Anselmo faz gesto nazista e grita
 

Há alguns dias a gente publicou aqui vídeos da última edição do Dimebash, evento que tem como objetivo celebrar a vida e a obra do saudoso guitarrista Dimebag Darrell, que tocava no Pantera e foi morto a tiros no palco. Lá estavam nomes como Dave Grohl e, obviamente, Phil Anselmo, ex vocalista da banda.

Pois um novo vídeo começou a se espalhar nas últimas horas e traz atitudes pra lá de infelizes do músico, que aparece fazendo gestos nazistas e gritando “White Power” a plenos pulmões. Enquanto um membro da equipe tenta tirá-lo do palco, ele insiste em repetir os gestos e parece bastante satisfeito com o que está fazendo.

Você pode ver logo abaixo.

Phil Anselmo, Pantera e Dimebag

Dimebag Darrell

Esse tipo de atitude agrava uma situação já estabelecida e conhecida há tempos, que são as acusações de que os integrantes do Pantera eram racistas. O próprio Dimebag foi acusado várias vezes pelo uso de sua guitarra pintada com a bandeira dos Estados Confederados, considerada por muitos um símbolo de ódio racial.

 

Resposta

Phil Anselmo publicou um comentário através do perfil da Housecore Records no próprio vídeo do YouTube, dizendo que tudo era uma brincadeira:

Ok pessoal, vou me responsabilizar por essa, mas porra, eu estava brincando, e a “piada interna da noite” era porque estávamos tomando vinho branco, hahaha… Entre todas as coisas.

Alguns de vocês precisam se tornar mais casca grossa. Há vários filhos da puta para se tornarem alvos que têm um discurso mais realista.

Eu amo todo mundo, eu detesto todo mundo, e é isso.

Sem desculpas da minha parte.

PHA ’16

Baita declaração, não?

Em 2015 Anselmo foi questionado a respeito do uso da bandeira dos Estados Confederados, principalmente por conta do incidente na cidade de Charleston, nos Estados Unidos, onde negros foram mortos em uma Igreja e a cidade ainda tinha a bandeira em seus prédios oficiais. Após debates e manifestações, a bandeira foi removida dos prédios da cidade que fica na Carolina do Sul.

Phil Anselmo falou a respeito:

Agora na minha vida como adulto e um homem que logo terá 47 anos de idade… qualquer tipo de propaganda de ódio contra qualquer raça ou grupo de pessoas não faz meu tipo. Sabe, eu não inventei a merda da baneira. Eu nasci em 1968. Então eu vejo muitos lados disso. Eu vejo como as pessoas podem dizer, sabe, quando vai acabar? Você sabe quando já é o suficiente? Quando nós, como pessoas, seremos politicamente corretas? A resposta é nunca. Porque o mundo é feito de pessoas com muitas ideias diferentes… nos dizer como viver e o que devemos ou não devemos fazer, sabe? Pensar ou não pensar, sabe… é extremo… é tipo, você nunca irá deixar todo mundo feliz.

 

 

 
 
Compartilhar