Far From Alaska no Rio de Janeiro
 

Texto por Gabriel Von Borell

Fotos por Fabrício Mainenti

No último domingo antes do Natal em 2015, dia 20 de Dezembro, as bandas Supercombo e Far From Alaska se apresentaram no Teatro Odisseia, na Lapa, zona da boemia carioca, onde foram as atrações principais do Cena Rock, que completou um ano de existência. O evento ainda contou com os grupos convidados Radioativa e Ollie, que está de volta à ativa com nova formação. O evento começou às 17h e por volta de 20h30 o Far From Alaska subiu ao palco para mostrar seu som que mescla influências de rock alternativo e hard rock.

Criado em Natal em 2012, o grupo é formado por Emmily (vocal), Rafael Brasil (guitarra), Cris Botarelli (teclado), Edu Filgueira (baixo) e Lauro Kirsch (bateria). Em seu show, com uma hora de duração, eles apresentaram as canções do primeiro disco do grupo, modeHuman, como “Thievery”, “Deadman”, “Dino Vs Dino”, “”Rolling Dice” e “About knives”, contagiando o público do início ao fim.

Já o Supercombo subiu ao palco do Teatro Odisseia pouco antes de o relógio marcar 22h e disposto a fazer uma apresentação inesquecível, digna de fechar 2015. E assim foi. A banda de Vitória, no Espírito Santo, mas radicada em São Paulo, levou os fãs ao delírio com um repertório focado no mais recente trabalho deles, Amianto (2014), mas sem esquecer faixas dos álbuns anteriores,  Festa? (2008), Sal grosso (2011).

Muito entregues e interagindo bastante com a plateia, o grupo composto por Léo Ramos (voz e  guitarra), Pedro Ramos (guitarra e voz), Carol Navarro (baixo e voz), Paulo Vaz (teclado e efeitos) e Raul de Paula (bateria) executou ao vivo todos os sucessos da carreira, desde “O Calculista”, do seu disco de estreia, passando por “Anestesia”, do segundo trabalho, até as famosas músicas do último e cultuado disco, como “Matagal”, “Campo de Força”, “Piloto Automático”, “Menino”, “Sol da Manhã”, “Soldadinho”, “Autonomia” e a faixa homônima “Amianto”.

Teve até pedido de casamento para definitivamente marcar a apresentação no Rio de Janeiro. O protagonista da história foi o ex-baterista e co fundador da banda, Marcel, que fez um emocionante depoimento sobre como sua amada Carol lhe ajudou em momentos difíceis e depois pediu a sua mão diante de todos. No final do show, que acabou às 23h20, o Supercombo chamou ao palco mais uma vez o Far From Alaska e juntos eles apresentaram “Surrendo”, canção composta em parceria entre as duas bandas. Todo mundo então surtou com o belo exemplo de rock n’ roll, que certamente provou não estar morto no país do Carnaval.

     
 
Compartilhar