Lou Reed era um monstro, diz nova biografia

O lendário músico e fundador do The Velvet Undergound, Lou Reed, morto em 2013, é acusado de ser um “monstro”, com um histórico de abuso de mulheres e racismo, em uma nova biografia.

“Notes From The Velvet Undergound” foi escrito por Howard Sounes. Após a morte de Reed, o escritor entrevistou mais de 140 pessoas, entre amigos de escola, colegas de banda, namoradas e membros de sua família.

“Eu adoro suas músicas, mas é preciso ir aonde a história se passa”, disse Sounes ao The Daily Beast. “Os obituários foram muito gentis, ele era realmente um homem muito desagradável. Um monstro realmente; eu acho que realmente a palavra monstro é aplicável”.

O gênio por trás de um dos melhores discos dos anos 1960 era instável, egoísta, misógino, violento e egocêntrico, segundo depoimentos de algumas pessoas que o conheceram melhor.

Lou Reed era conhecido por suas declarações públicas ultrajantes. Uma vez ele disse a uma jornalista: “Não gosto de negras como Donna Summer”. Em privado ele era tão ofensivo que um de seus amigos contou que ele descreveu Bob Dylan como um “judeu pretensioso”.

A biografia foi editada pela Random House, e sua versão original em inglês chega às livrarias em 22 de outubro. Lou Reed morreu em 2013, por conta de uma crise de hepatite. Este ano, foi homenageado pelo Hall da Fama do Rock.

Fonte: The Daily Beast