Iron Maiden. Não só uma das maiores bandas do mundo: uma marca implacável na história da música e da cultura pop do século XX. Formada 40 anos atrás, a banda lançou esse mês The Book of Souls, seu primeiro trabalho duplo, com uma jovialidade para colocar muita banda novinha no chinelo.

É um novo capítulo em uma história cheia de hits e músicas marcantes. Comemorando o lançamento do novo trabalho, vamos passar por todos os álbuns da banda, escolhendo uma música de cada disco. Perfeito para começar a gostar da banda ou para relembrar clássicos e ficar o dia inteiro cantarolando.

E com um diferencial: tem uma surpresa incrível dos nossos amigos da Warner Music no fim desse post!

E só lembrando: The Book of Souls já está nas lojas e você pode comprá-lo no iTunes e na Saraiva.

Vamos lá?

 

Iron Maiden (1980)

“Sanctuary”

Iron Maiden-1980

Com um Eddie na capa bem diferente do que foi consagrado anos depois, a estreia da banda mostra um grupo ainda em busca de um caminho e uma cara sua. Liderada pelo fundador Steve Harris e com Paul Di’Anno nos vocais, o disco teve uma produção bem conturbada e não está nos favoritos da banda.

Críticos que resenharam o disco na época disseram que ele tinha influências do punk, e isso deixou integrantes do grupo, como Harris, furiosos, já que ele sempre se mostrou contra o estilo.

Para conhecer esse começo da banda, vale muito ouvir “Sanctuary”, faixa lançada antes do disco como single e presente na edição americana do álbum.

 

 

Killers (1981)

“Purgatory”

Iron Maiden - Killers

O segundo álbum do Iron mostrou uma evidente evolução da banda. Muito disso fruto da mão do produtor Martin Birch, que produziu todos os álbuns da banda até Fear of the dark, de 1992.

Foi o último álbum com Di’Anno nos vocais, pouco antes de sua demissão da banda.

 

 

The Number of the Beast (1982)

“Run to the hills”

Iron Maiden-beast

O primeiro álbum com Bruce Dickinson também é um dos mais emblemáticos da banda. Recheado de clássicos, o disco foi o primeiro #1 do grupo e um sucesso de crítica.

Até hoje considerado um dos melhores discos de rock de todos os tempos, Number of the beast é necessário para a sua coleção.

 

Piece of Mind (1983)

“The Trooper”

Iron Maiden - Piece  of Mind

Piece of Mind tem uma das capas mais legais de todos os discos do Iron. Com o trabalho ingrato de seguir um clássico, “Piece” serviu pra consolidar o estilo da banda.

“The Trooper”, um dos maiores clássicos de toda a carreira, está nesse disco.

 

Powerslave (1984)

“2 minutes to midnight”

Iron Maiden - Powerslave

Outro disco clássico do Iron. Gravado nas Bahamas, mostra uma banda refletindo sobre os medos do seu tempo com uma inspiração na estética do passado.

A sequência que abre o disco, com “Aces High” e “2 minutes to midnight”, é um dos melhores momentos da discografia do Iron Maiden.

 

Somewhere in Time (1986)

“Wasted Years”

Iron Maiden-somewhere

Os anos 80 e os sintetizadores chegam na música do Iron. Desde a capa até o tema das canções, o clima de um futuro desolado estilo “Blade Runner” povoam o álbum.

Uma boa indicação é a clássica “Wasted Years”.

PS: Essa música ganhou um cover sensacional do Ryan Adams

 

 

Seventh Son of a Seventh Son (1988)

“Can I Play With Madness”

Iron Maiden-SEVENTH SON OF A SEVENTH SON

Um dos discos conceituais mais densos do Iron, é considerado o último da “Fase de Ouro” da banda nos anos 80. O disco foi gravado no Musicland Studios, do produtor Giorgio Moroder, em Munique.

“Can I Play With Madness” foi o primeiro single.

 

 

No Prayer for the Dying (1990)

“Bring Your Daughter… to the Slaughter”

iron_maiden-no_prayer_for_the_dying(1)

Os anos 90 chegaram com o Iron Maiden deixando os synths de lado e buscando a sonoridade inicial da banda de volta. O resultado não agradou uma boa parte dos fãs.

O motivo? A saída do guitarrista Adrian Smith.

 

 

Fear of the Dark (1992)

“Fear of the dark”

Iron Maiden-fear

Sim, clichê. Mas confesse, ouvir essa música ao vivo no Rock in Rio arrepia desde que você era novinho ou novinha. O disco, último produzido por Martin Birch (com co-produção do próprio Steve Harris), foi um sucesso de vendas e criou gerações de headbangers nos anos 90.

Foi o último disco da primeira passagem de Dickinson pela banda.

 

 

 

The X Factor (1995)

“Lord of the Flies”

Iron Maiden - X Factor

Com a saída de Bruce, muito mudou no Iron. O novo vocalista Blaze Bayley tinha um tom de voz bem diferente e a sonoridade da banda mudou bastante.

Novo vocalista, novos rumos na produção, novo estilo… “The X Factor” não figura numa lista dos favoritos dos fãs.

 

Virtual XI (1998)

“Futureal”

iron maiden virtual xi

Fase mais conhecida pelas ações de marketing da banda (se lembram dos jogos de futebol?) do que pela música.

“Virtual XI” foi pior recebido do que o já complicado The X Factor. Esse balde de água fria somada à uma fase complicada na vida dos integrantes gerou a demissão de Blaze e a volta de Bruce Dickinson.

 

Brave New World (2000)

“Wicker Man”

Iron Maiden - Brave New World

“Wicker Man” é um ótimo cartão de visita para o Iron dos anos 2000. Gravado ao vivo no estúdio, com produção de Kevin Shirley ao lado de Steve Harris.

As voltas de Bruce e do guitarrista Adrian Smith agradaram os fãs e o disco vendeu muito bem na época.

 

Dance of Death (2003)

“Dance of Death”

Iron Maiden - Dance of Death

Segunda parceria da banda com Kevin Shirley e o principal legado é mais uma obra elogiada (exceto por sua capa de gosto duvidoso). A música-título é uma das melhores faixas da discografia da banda e uma daquelas canções que não tem a fama merecida.

 

A Matter of Life and Death (2006)

“The Pilgrim”

Iron Maiden - a matter

Guerras e batalhas eram temas comuns na obra da banda, mas esse disco beira o conceitual. Com canções pesadas em temas e (muitas delas) inspiradas em batalhas reais, o Iron soou muito atual na época, com as Guerras do Iraque e Afeganistão.

 

 

The Final Frontier (2010)

“El Dorado”

iron maiden - The-Final-Frontier

Um dos álbuns mais elogiados da história recente da banda, o disco foi lançado com uma campanha ótima e cercado de tours. Uma época de muito trabalho coroada com #1 em muitos países e um Grammy para “El Dorado”.

 

 

“Speed of Light”

THE BOOK OF SOULS (2015)

Iron Maiden The Book Of Souls

Eis que chegamos até 2015. O primeiro álbum duplo do Iron chegou chutando portas e deixando muita gente boquiaberta com o clipe fantástico de “Speed of Light”. A sonoridade da banda continua forte e jovial, Bruce está firme de saúde e o resultado é um dos melhores e mais divertidos álbuns da banda.

Nós aqui do TMDQA! adoramos.

 

Promoção – Discos e Vídeos

Esse é o lançamento mais recente da banda, pela Warner Music Brasil. Eles estão fazendo um barulhão com esse lançamento e querem levar muito som pra casa de vocês. Se vocês, como eu, após ouvirem o novo álbum do Iron ficaram com vontade de ouvir mais, está aqui a solução para os seus problemas.

Em parceria com a Warner vamos sortear um kit do Iron com tudo isso que está aí abaixo: boa parte da discografia e da videografia (muitos deles em edição deluxe). Olha só o que tem:

11992625_968346729894988_365852498_n

No total, o vencedor irá levar para casa 16 CDs, 3 DVDs duplos e um Blu-Ray.

Para concorrer siga os seguintes passos:

  • Siga o TMDQA! e a Warner no Twitter
  • Twitte a seguinte frase:
    Hey @mdiscosqamigos e @WarnerMusicBR eu quero esse kit com discos e vídeos do Iron Maiden! #IronTMDQA http://ow.ly/Supju
  • Pronto!

 

O resultado sai no dia 29/09. Boa sorte!