A banda britânica Muse iniciou as suas atividades em 1994 e de 1999 pra cá, já lançou sete discos de estúdio.

Para acompanhar o caldeirão de elementos que forma o seu som, o grupo sempre optou pelo lançamento de clipes grandiosos, com muita história e performances cheias de energia da banda.

Isso tudo sempre serviu como um grande acompanhamento para o space rock/hard rock da banda e alavancou a divulgação dos seus singles para que hoje a banda lotasse estádios mundo afora.

Mais recentemente o Muse lançou um grande vídeo oficial para o single “Mercy”, e pensando nele, criamos uma lista com 10 grandes momentos da videografia do trio.

Veja e divirta-se na sequência!

 

“Sunburn”

Em 1999 o Muse lançou seu disco de estreia, Showbiz, e logo foi bem recebido pelo público e crítica, tanto no Reino Unido quanto nos Estados Unidos.

Entre os singles do álbum está “Sunburn”, que mostrou os primeiros traços da grande mistura de elementos que forma a sonoridade da banda e também ganhou um grande clipe.

No vídeo, o Muse aparece tocando de forma misteriosa em um espelho enquanto uma história se desenrola ao melhor estilo “casa mal assombrada” com uma menina e um menino como protagonistas.

A garota é Brooke Kinsella, que anos depois entraria para o elenco da famosa novela britânica EastEnders.

 

“Plug In Baby”

Dois anos depois o Muse lançou seu segundo álbum, Origin Of Symmetry, e conquistou o público britânico de vez.

Um dos grandes responsáveis foi o single “Plug In Baby”, sendo tocado tanto nas rádios quanto nos canais de televisão, através de clipe que mostra a performance cheia de energia da banda, bem como faz referências ao tema da canção através das mais diferentes imagens de mulheres.

 

“New Born”

No mesmo disco está outro grande hit que nasceu (desculpem o trocadilho) através de “New Born”.

O belo vídeo para a canção, que traz a banda tocando e atuando, foi dirigido por David Slade, nome que trabalhou com bandas como System Of A Down, AFI, Stone Temple Pilots e o próprio Muse em outras ocasiões.

 

“Hysteria”

Sem parar, o Muse gravou mais um disco e o lançou em 2003 na forma de Absolution.

Um dos grandes sons do álbum é “Hysteria”, que tem um clipe onde a banda conta uma história eletrizante ao mesmo tempo que serve como trilha sonora com todas as suas guitarras, batidas e a voz característica de Matthew Bellamy.

 

“Sing For Absolution”

Do mesmo disco, “Sing For Absolution” tem um clipe que leva a banda para um mundo paralelo, recheado de efeitos especiais.

Para acompanhar a balada, uma viagem nada fácil pelo espaço foi criada com a mesma arte que acompanha o single.

 

“Invincible”

Para o clipe de “Invincible”, música que aparece no disco Black Holes And Revelations, a banda decidiu que gostaria de aparecer tocando novamente, mas de um jeito diferente.

Em um carrinho de parque de diversões, o Muse passeia por um brinquedo que traz as mais diferentes animações ao seu lado, enquanto os três integrantes do grupo tocam seus instrumentos.

O final, como é comum com a banda, é grandioso.

 

“Supermassive Black Hole”

Já no clipe de “Supermassive Black Hole” as coisas ficaram um pouco mais artísticas, e também bizarras.

O Muse recrutou Floria Sigismondi, que já trabalhou com nomes como Marilyn Manson, Incubus, The White Stripes e The Cure para dirigir o vídeo e o resultado veio na forma de roupas, máscaras e cenas nada convencionais.

Segundo Floria, a ideia veio a partir de um sonho recorrente que a artista italiana vinha tendo.

 

“Resistance”

Em 2009 o Muse lançou seu quinto disco de estúdio e foi com The Resistance que o grupo tornou-se um dos nomes mais quentes do rock no planeta.

Muito disso aconteceu, é claro, pelas músicas do álbum em suas versões de estúdio, mas também pelas performances ao vivo que as acompanharam, sempre com ar de grandeza, estádios lotados e muita energia.

O vídeo de “Resistance” retrata exatamente isso.

 

“Madness”

Até certo ponto o sexto disco de estúdio do Muse, The 2nd Law, é diferente do resto da carreira da banda.

Mesmo que o trio sempre tenha experimentado com elementos diferentes da guitarra, baixo e bateria em álbuns anteriores, foi aqui que o grupo assumiu de vez a influência da música eletrônica e incorporou suas batidas aos novos sons.

“Madness” é um dos sons que deixa isso bem evidente e ganhou um clipe sombrio, sensual e que retrata o paralelo entre a calma e a urgência do som do grupo através do contraste de situações em uma estação de metrô.

 

“Mercy”

Tudo voltou a ser novamente guiado pelos instrumentos analógicos em Drones, sétimo disco da banda, lançado em 2015.

O álbum aborda a temática de um mundo onde as pessoas são controladas por “forças sombrias” em uma realidade cada vez mais robotizada, até que cada indivíduo perca o que tem dentro de si e acabe se transformando em um drone.

“Mercy”, segundo single do disco, fala exatamente sobre isso em um vídeo que traz o que há de melhor em toda a discografia e videografia do Muse: ficção científica, ligação com a letra da música, construção de clima e explosão apoteótica.