Após protesto, membro do Pussy Riot é detida em Moscou
 

Na última sexta-feira, 12 de Junho, a integrante da banda punk Pussy Riot, Nadya Tolokonnikova, foi detida em Moscou, após fazer um protesto ao lado da ativista Yekaterina Nenasheva.

A manifestação foi feita em uma praça em frente ao Kremlin, em Moscou. Elas se vestiram de prisioneiras enquanto costuravam a bandeira da Rússia. O protesto foi feito no feriado nacional em que os russos celebram a criação da Federação Russa.

De acordo com o jornal americano The New York Times, a polícia emitiu um comunicado para a agência de notícias russa, Interfax, confirmando que as manifestantes foram acusadas ​​de “perturbar a ordem pública”. O comunicado diz que elas foram liberadas e que a audiência pública com um juiz será definida uma semana após a detenção.

“Durante 30 dias a ativista Katherine Nenasheva vai viver sua vida vestindo um robe de prisão de uma condenada”, escreveu Tolokonnikova em um comunicado sobre o protesto intitulado “Não Tenha Medo”. “Ela vai para os exames, a reuniões, vai ao cinema, compra comida, sai – ela continua a sua vida diária”. 12 de junho foi o 18º dia da ação de Katherine Nenasheva.

Tolokonnikova havia sido presa em 2012, junto com a colega de banda Maria Alyoknia, quando protestaram em frente ao altar de uma catedral ortodoxa e zombaram do presidente russo, Vladimir Putin.

Fonte: Rolling Stone