E sábado (16/5) acontece a versão paulista da festa de 1 ano da coluna Mixed Up. Depois de muitos sets, bate papos com DJs e produtores, era hora de tirar um tempo e comemorar de maneira inusitada.

A festa acontecerá das 16h00 às 22h00 na Consolação, 2223, apt 91 com entrada franca e número limitado de pessoas. Mais infos aqui.

mixed up festa flyerOK

No som? Este que vos escreve, Luís Depeche (do projeto Suntrax), Renato Del Rio, Adriana Marroni (Delicious Beats) e o duo Protection DJs. Compareçam.

Bezzi – Mixed Up Dreams by Deepbeep on Mixcloud

PROTECTION DJS @ #1 by Dj Rogerio Real on Mixcloud

 

ASCIO REMIXADO POR F82

O projeto solo de Lucio Morais (Database) está cada vez mais fino e seu novo single “Heart Hides” ganhou um tratamento de classe do F82. Ouçam

 

CHARLIE SHEEN E VAN DAMME NA FESTA DE DIMITRI VEGAS E LIKE MIKE

The Hum” é o novo hit da dupla Dimitri Vegas e Like Mike (que tocaram há pouco tempo na versão brasileira do festival Tomorrowland). O vídeo conta com as presenças ilustríssimas dos astros Jean Claude Van Damme e do polêmico Charlie Sheen. O cenário é uma festa absurda que fariam os rapazes do “Se Beber Não Case” morrerem de inveja.

 

OS PODEROSOS FONES DA SENNHEISER

sennheiser_HD7-DJ

A Sennheiser sempre foi um marca que prezou por produtos resistentes e com alta fidelidade sonora. Com muita alegria que faço minha primeira resenha sobre dois headphones que já fazem parte da minha vida.

O parrudo HD7 DJ7 (foto acima) é “tanque de guerra” da marca. Um fone que além de ter presença, conta com um isolamento acústico que bate de frente com Beats By Dre e do clássico Technics. Ele tem duas opções de cabo (liso e espiralado) e podem ser desconectados após o uso. Conta também com um mini case e um par de almofadas reserva.

Características

Resistente e aguenta quedas e longas apresentações.

95 Ω de impedância nominal para compatibilidade universal

sennheinser_hd25

O HD 25-1 II já goza de um status de fone obrigatório para DJs profissionais. Leve, de fácil transporte e com partes substituíveis, ele já consolidou sua fama e gerou diversas cópias no mercado. Ele é feito de plástico, vem com bag para transporte e um par de almofadas para substituição.

Características

Muito leve e confortável, mesmo em uso por longas períodos.

70 Ω de impedância nominal para compatibilidade universal.

 

COMO FOI A QUINTA EDIÇÃO DO OLD ROGER

old roger

Sábado passado aconteceu a quinta edição do Old Roger. Se trata de um mix de mercado e feira de arte que agrega música a seu cardápio. Focada em house com influências étnicas, tech house e jazz. Vale a pena destacar os DJs Márcio Vermelho (foto), Ale Salles, Monsters At Work,o Live Teto Preto e a faceta mais “world music” da querida Thaysa Azevedo com o projeto Psicofilia.

marcio vermelho

A ocupação aconteceu no Via Matarazzo, um interessante espaço próximo ao Audio Club, em que foram improvisadas duas pistas e espaço para performances e expositores. Esse é o tipo de evento que agrada desde frequentadores de festas de rua a fãs das sunset party focadas em e-music.

Aproveitei a ocasião para bater um papo com meu amigo Ale Salles, que além de ser um dos DJs presentes, faz parte do staff da Casa 92, do projeto Hungry DJs e volta e meia toca em clubes bacanas como Yatch, Lions, Garage e Pan Am.

Ele fez um set matador e incluiu pedradas como Knights of Jaguar do Dj Rolando Underground Resistence e fechou com “The Man With The Red Face” do mestre Laurent Garnier.

ale salles

Como você acha que anda a cena eletrônica atual?

Eu acho que entramos num ótimo momento, com todos esses festivais acontecendo, trazendo todos os tipos de gêneros musicais. Festas de vários núcleos acontecendo toda semana e artistas nacionais com produções parrudas despontando pelo mundo.

Que festas continuam boas para os fãs de house, deep e afins?

Muitas são as opções pra se escutar boa música, Old Roger, Inner Multi.Art, Carlos Capslock, Selvagem, Sundaze, Cio, Moving, Mothership, Luv n´Beats, Gop Tun e muitas festas em clubes, como por exemplo a “day party” Supergroove que vem crescendo.

Ela acontece aos domingos no Garage Club numa pegada bem underground. O lance é ficar de olho nos artistas e se alguém te agrada, vá na festa para prestigiá-lo.

O que mais você gosta de tocar? Reparei um mix de clássicos e novidades que são raros de ouvir numa pista.

Eu gosto muito de música, no geral, toco de tudo mesmo. Quando estou discotecando house e techno sinto uma satisfação sem tamanho, principalmente por que esse foi o som do começo da minha carreira. E os clássicos existirão para sempre nos meus sets. Tocar faixas conhecidas cria uma conexão nostálgica entre o DJ e a pista. Misturar o “velho” com o novo facilita a aceitação de músicas recentes que ainda poucos conhecem.

 

PENCAS DE SETS

dj mix

Fechando a coluna, três DJ sets e estilos diferentes.

Mari Vass já é conhecida em Brasília e toca em festas do circuito eletrônico/indie. Para a coluna, ela gravou um set e um vídeo. Intitulado “Lombras da vida“, o mix capta um clima viajante com muito bom gosto.

Em seguida temos o interessante projeto Macross 82-99 que resgata samples de cartoons japoneses e investe no dream pop. Neste set, eles foram longe e misturaram sons que vão do pop dos anos 60 a esquisitices modernas..

Para finalizar, um set especial com uma garimpadinha da nova EDM e Future House para agitar a sua balada. Tem Nervo, Oliver Heldens, Pryda, e muito mais.

Lombras da Vida by Mari Vass on Mixcloud

 

Mixed Up: Future House and Edm Mix 2015#1 by Mixedupbezzi on Mixcloud