No próximo dia 24 de Abril, também conhecido como amanhã, o Titãs irá gravar um DVD no Audio Club, em São Paulo, como forma de registrar a turnê de seu mais recente álbum, o bem sucedido Nheengatu.

“Nheengatu Ao Vivo”, nome dado à turnê do grupo, foi premiado como melhor show do ano pela APCA, traz diversas canções do álbum e ainda clássicos da carreira de um dos nomes mais importantes da história do rock brasileiro.

Conversamos rapidamente com o guitarrista Tony Bellotto a respeito da gravação:

 

TMDQA!: A turnê de “Nheengatu”, bem como o disco, foi uma das mais procuradas pelos fãs do rock brasileiro no último ano. Esse resultado positivo teve a ver com a decisão de registrar o momento em vídeo?

Tony Bellotto: Sim! Pois o show acrescentou virulência ao disco, e trouxe novidades, como as máscaras que usamos e se tornaram um sucesso pelos palcos do Brasil profundo.

TMDQA! O que os fãs podem esperar do show que será gravado para o DVD? “Nheengatu” será tocado na íntegra? Que tipo de visita ao vasto e influente catálogo da banda será feita para complementar o setlist?

Tony Bellotto: Não na íntegra, apenas um número significativo de canções do Nheengatu, pois o público tem a expectativa de ouvir também coisas mais antigas. O show privilegia também canções que há muito não tocávamos ao vivo, como “Desordem”, “Jesus Não tem Dentes No País Dos Banguelas”, “Pela Paz” e outras.

TMDQA!: Que material extra os fãs da banda podem esperar no DVD além da apresentação em si?

Tony Bellotto: De extras terão nossos sangue, suor e lágrimas.

Titãs no Porão do Rock

TMDQA!: Aqui no TMDQA! elegemos “Nheengatu” como um dos melhores discos nacionais do ano passado. Sem muito alarde, o Titãs falou da situação do país, pintou a cara, lançou canções de protesto e voltou a mostrar sua relevância. Que tipo de cuidado houve nesse processo todo para que o disco não soasse como aproveitamento do momento pura e simplesmente?

Tony Bellotto: Nunca fomos panfletários, nem mesmo políticos. Nossa preocupação é sempre puramente estética. Somos obsessivos com a construção de nossas canções e isso nos difere.

TMDQA!: Como vocês enxergam o rock nacional hoje em dia e projetam o seu futuro, já que o underground pulsa com novas bandas como há bom tempo não fazia, mas o mainstream é quase inexistente?

Tony Bellotto: Não nos preocupamos com isso. O rock é um organismo que sabe a hora certa de dar o bote. Never Mind The Bullocks!!
TMDQA!: Já há planos para o sucessor de “Nheengatu”?

Tony Bellotto: Por enquanto estamos focados em registrar o “Nheengatu ao Vivo” da melhor maneira possível. Ou da pior. Como diz Branco Mello em “Nem Sempre Se Pode Ser Deus”: “não é que eu vou fazer igual, eu vou fazer pior!”.

TMDQA!: Vocês têm mais discos que amigos?

Tony Bellotto: Não, nós queremos ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar.

     
 
Compartilhar