Em mais um capítulo da novela envolvendo o Black Sabbath, Bill Ward, (ex?) baterista da banda, deu uma entrevista para a revista Rolling Stone e falou sobre o relacionamento conturbado com o grupo desde que a formação original se reuniu quase por completo para lançar um disco em 2013.

Durante a semana, Ward veio a público para falar que não voltou com Ozzy, Tony Iommi e Geezer Butler porque eles não lhe ofereceram um contrato “assinável” e disse que ficou muito chateado com as mentiras e insultos ditos por Ozzy a seu respeito, por isso, só voltaria após pedido de desculpas.

Ontem à noite, Ozzy veio a público e fez justamente o contrário, dizendo que Bill deve parar de se fazer de vítima e ser honesto consigo e com seus fãs, já que ele sabe que não tem condições físicas de gravar e excursionar com a banda.

Na entrevista da RS, feita antes da declaração de Ozzy, o baterista admite que passou por sérios problemas de saúde recentemente, mas que pode sim fazer um show com a banda:

Eu sei que eles sugeriram que eu tocasse meio show, e eu não quero tocar meio show. Eu consigo tocar uma porra de um show completo do Black Sabbath. Então esse lance da saúde tem sido dito por aí, e é verdade que eu tenho problema no coração, e é verdade que fiquei doente algumas vezes depois do fato. Mas quando o cartão da saúde está sendo usado por aí, no final das contas o que importa é que eu tentei cuidar de mim. Todos os dias eu paro e penso, “Eu poderia fazer um show, não importa o que esteja acontecendo comigo?” E a resposta é sempre, “Sim.” Eu me cobro muito mais do que esses caras poderiam me cobrar.

Você pode ler a entrevista na íntegra, onde Ward ainda diz que não sabe se está no Black Sabbath, clicando aqui.