Foto por Marcos Bacon

Uma das mais respeitadas vozes do rock nacional, a cantora baiana Pitty fez um show maravilhoso no Lollapalooza Brasil (confira nossa resenha aqui).

Um pouco antes da apresentação, a cantora mandou um recado para os fãs que estavam acompanhado nossa cobertura pelo site e pelas redes sociais e cedeu uma entrevista, em que falou sobre seus novos lançamentos, a expectativa para o show e sua defesa ao feminismo. Confira.

Pitty no Lollapalooza Brasil

TMDQA: Você acabou de lançar um clipe novo para a música “Um Leão”, do SETEVIDAS, em que aparece dançando num ambiente fechado. Como surgiu a ideia para produção e gravação do clipe? 

Pitty: Surgiu quando eu liguei pro Spencer (Ricardo, diretor do vídeo) uma vez e falei pra ele: ‘Então, olha só, eu tava aqui ouvindo o disco e comecei a dançar’. É uma coisa que eu gosto de fazer, colocar um disco e ficar dançando pela casa, sem compromisso, deixando a música levar. E aí, eu tinha acabado de mixar o meu disco, isso faz muito tempo já. E aí eu tava ouvindo essa música, e começou a rolar esse lance de eu, comigo, sozinha na sala. Na mesma hora eu liguei pro Spencer e falei ‘Eu acho que eu tenho uma ideia. Eu acho que para essa música eu queria captar esse momento que eu tô vivendo aqui na sala da minha casa, sabe?’. Eu sabia que ele teria o olhar dele, sensível, estético e poético, que é muito bonito para captar isso da forma certa.

TMDQA: Você sempre foi uma mulher muito importante para todas as questões relacionadas ao empoderamento feminino, tanto por sua atitude e porque isso está na pauta das suas músicas desde o começo da sua carreira, quanto pelos seus depoimentos e pela sua história. Nos últimos tempos, você tem se posicionado com mais firmeza quando estes temas aparecem, tanto em entrevistas quanto nas redes sociais. Como você vê essa questão? 

Pitty: Eu acho que esse é um outro lado mesmo aparecendo mais firme, porque, como você falou, isso sempre existiu e sempre foi natural. Eu acho que as pessoas estão percebendo. E também porque talvez apareceram mais oportunidades de isso aparecer. Pintaram momentos, pintou o assunto, então é uma coisa que está acontecendo naturalmente.

TMDQA: Você também acabou de lançar um DVD, que é o “Pela Fresta”, com material exclusivo e bastidores da gravação do SETEVIDAS. Como foi a ideia de mostrar esse formato para o público, ao invés de por exemplo, fazer mais um DVD com cenas de shows?

Pitty: É que são duas coisas separadas. Uma coisa é o show, que talvez a gente vá fazer, eu nem sei se vou fazer, e a outra coisa é o documentário dos bastidores da gravação. Esse é pra galera entender o processo criativo, como foi feito esse disco, a gente falando sobre as músicas, sobre composição. É inclusive por isso que se chama “Pela Fresta”, porque é realmente alguém olhando pelo buraquinho da fechadura, é algo muito íntimo nosso que a gente resolveu abrir.

TMDQA: E a expectativa pro show de hoje (a poucos instantes de entrar no palco do Lollapalooza)? 

Pitty: Ai, eu tô muito ansiosa! Vai ser uma apresentação com as músicas do SETEVIDAS, mas vai ter muita coisa dos outros discos, porque festival é isso, tá todo mundo junto e misturado, e eu vou tentar trazer um pouco desse equilíbrio pro palco.