Wes Borland, guitarrista do Limp Bizkit, deu uma declaração sobre como não estava muito empolgado por ter que embarcar em um cruzeiro que a banda encabeça até o dia 06 de Fevereiro.

Depois disso ele disse que estava brincando a respeito, mas aceitou conversar com o pessoal do Stereogum para esclarecer a piada e também falar sobre diversos outros aspectos da carreira, principalmente sua banda.

Quando perguntado se odeia o Limp Bizkit, ele disse:

Hmm, não, eu não odeio estar no Limp Bizkit. Sei bem o que minha banda é. Sabe, eu entendo que milhares de pessoas não gostem e achem que é uma piada. Ao mesmo tempo temos uma base de fãs enorme que é ótima. E é algo em que sempre estive, mesmo que saindo e voltando, sempre foi minha banda, mesmo que algumas pessoas pensem que é idiota, ou que alguns elementos dela não são descolados. Sempre fizemos shows muito divertidos.

Eu gosto muito da minha banda. Ouço esse tipo de música? Não. Mas participo da minha banda e gosto de tocar com os caras? Sim, me sinto em casa.

Ele também falou sobre como a banda é apontada como uma das que “arruinou” o heavy metal nos Anos 90 e 2000:

Eu acho que heavy metal é chato pra cacete, tanto que eu quero acertar meus olhos com chaves de fenda. Nos Anos 90 tentamos fazer algo com o metal, levá-lo a uma nova direção, misturando bandas de metal com coisas que estava na cola do movimento grunge, como Helmet e Primus ou até Pantera e Melvins – pegando aqueles riffs matadores do Helmet, combinando com riffs do Carcass e tratando tudo como uma música de hip hop do Ministry.

Você pode ler a entrevista na íntegra clicando aqui.

Carreira

Além do Limp Bizkit, Borland tem um projeto chamado Black Light Burns e já esteve associado a nomes como Marilyn Manson.

https://www.youtube.com/watch?v=uR98kZWA-k8

     
 
Compartilhar