50 – Lupe de Lupe

Quarup

lupe-de-lupe-quarup

Em seu perfil oficial, o grupo de Belo Horizonte define seu som como “loud rock”, “noise pop” ou “punk experimental”, e é por todos esses diferentes estilos que você irá viajar, junto com os mineiros, no álbum duplo Quarup, uma das boas surpresas do ano.

 

 

49 – Thiago Pethit

Rock’n’roll Sugar Darling

thiago-pethit-rock-n-roll-sugar-darling

Thiago Pethit definiu o som do seu último disco como “afetado, safado e cretino”, e nele viaja por diversas das características mais marcantes, e por muitas vezes clichês, do rock’n’roll.

Mas isso não é nada ruim. Com produção de Adriano Cintra e Alexandre Kassin, o álbum traz momentos eufóricos, canções dançantes, letras melancólicas e um músico que parece disposto a aproveitar e compartilhar essa nova fase da carreira.

 

 

48 – Water Rats

Ugly By Nature

water-rats-ugly-by-nature

Capilé, vocalista do Sugar Kane, montou um grupo de punk/hardcore em Inglês e chamou para a sua formação ex integrantes da sua banda principal, bem como músicos que estiveram em outras bandas do estilo renomadas no underground.

O resultado veio através do Water Rats e o disco Ugly By Nature, que agradou em cheio fãs de nomes como Black Flag e rendeu uma turnê da banda pelos Estados Unidos.

 

 

47 – Luziluzia

Come On Feel The Riverbreeze

luziluzia-come-on-feel-the-riverbreeze

É um disco repleto de fusões. Se iniciando pela formação da banda, que tem metade do Boogarins, gente da extinta banda Riverbreeze que também faz parte da Carne Doce… e por aí vai. A fusão ainda se arrasta pela sonoridade do grupo, que mescla gloriosas pitadas de psicodelia a um som mais pop e ritmos brasileiros. São diversas camadas de instrumentos, vozes, riffs e efeitos que se encaixam de forma interessante.

A maioria das letras é em português, ressaltando a brasilidade da banda que inclusive empresta ritmos bem tropicais em alguns momentos do álbum, como o batuque dançante de “Summertime”, além de se aproximar bastante de um rock mais “dentro dos padrões” em “Alegria”, por exemplo. É um disco livre, experimental e com ótimo resultado.

 

46 – D.F.C.

Sequência Animalesca de Bicudas e Giratórias

dfc-sequencia-animalesca-de-bicudas-e-giratorias

O D.F.C. é um dos mais influentes grupos de hardcore da história do nosso país, e há um bom tempo não lançava um disco cheio.

Com Sequência Animalesca de Bicudas e Giratórias os caras voltaram à ativa e mostraram que ainda estão afiados, com características como peso, velocidade e ironia mais marcantes do que nunca.

 

45 – Russo Passopusso

Paraíso da Miragem

russo-passopusso-paraiso-da-miragem

Russo Passopusso é uma das gratas revelações de 2014 e seu disco, Paraíso da Miragem, traz diversas canções que deixam em evidência todo o talento do cara para mesclar música brasileira, rock e dub.

 

44 – Clara Valente

Mil Coisas

clara-valente-mil-coisas

Clara Valente vai do pop ao afrobeat, do samba ao tango, com uma naturalidade e fluidez fora do comum no plural e belo Mil Coisas.

Dona de uma voz forte e ótimas letras, Clara se mostra como uma artista em ascensão, com uma visão forte e bonita do que é ser mulher e como você pode ser e fazer o que quiser. Destaque para a ótima ciranda “Pra te encontrar”.

 

43 – Ian Ramil

Ian

ian-ramil-ian

Compositor de mão cheia, Ian Ramil traz em sua estreia uma segurança de um artista maduro e cheias de personalidade. São canções urbanas e melódicas tão boas quanto as que o pai de Ian, Vitor Ramil tem feito nos últimos anos.

Destaque para “Nescafé”, anteriormente gravada pela Apanhador Só e pelo Filipe Catto, com citação aos Beatles.

 

42 – Câmera

Mountain Tops

camera-mountain-tops

Mountain Tops é resultado de três anos de trabalho da banda Câmera e mais um grande lançamento da gravadora Balaclava, com outra banda mineira.

Rock alternativo, post-rock, indie e diferentes camadas transportam o ouvinte para o alto da montanha com belas canções que são cativantes e convidativas, mesmo que musicalmente complexas.

 

41 – Racionais MC’s

Cores e Valores

racionais-mcs-cores-e-valores

O Racionais MC’s é um dos grupos mais influentes do país, e não apenas do seu estilo, o hip hop.

12 anos depois de seu último disco, o grupo mostrou em Cores & Valores que resolveu absorver elementos ouvidos pelo mundo todo, principalmente da música eletrônica, e criou um álbum singular em toda sua carreira, tanto que a absorção inicial é bastante difícil para fãs mais tradicionais da banda.

Com demonstração clara de quem sabe o que está fazendo, o Racionais partiu para rumos como os que tomou Kanye West, por exemplo, e o resultado foi frutífero.