10 – Behemoth

The Satanist

behemoth-the-satanist

The Satanist é um dos melhores, senão o melhor, trabalhos da carreira do Behemoth, grupo polonês que sabe unir, como ninguém, os elementos pesadíssimos do black metal e do death metal com músicas destinadas para os mais variados públicos.

Coeso, repleto de mística, pesado e pegajoso, o disco é uma boa pedida para quem é e quem não é fã do estilo.

 

09 – White Lung

Deep Fantasy

white-lung-deep-fantasy

Se alguém soube misturar punk rock com indie rock em 2014 esse alguém foi o White Lung, através do ótimo Deep Fantasy.

A banda canadense traz 10 faixas rápidas, sujas, bem costuradas e lideradas pela mistura infalível de guitarra, baixo, bateria e vocal feminino.

 

08 – Mastodon

Once More ‘Round The Sun

mastodon-high-road

Em seu mais recente álbum, o Mastodon soube muito bem como dosar o peso de suas guitarras com a melodia de seus refrães e chegou em Once More ‘Round The Sun, um baita disco liderado por uma das músicas do ano: “The Motherload”.

 

07 – Cloud Nothings

Here And Nowhere Else

Cloud Nothings - Here and Nowhere Else

8 músicas, 30 e poucos minutos e o Cloud Nothings se colocou definitivamente entre os grandes nomes da música alternativa.

Here And Nowhere Else é uma nova prova de que a banda sabe o que está fazendo quando entra em estúdio tão bem quanto a festa que promove em seus shows. “I’m Not Part Of Me”, que encerra o álbum, também é um dos sons marcantes de 2014.

 

06 – Ryan Adams

Ryan Adams

ryan-adams-capa-2014

Ryan Adams se aventurou pelo punk e pelo metal nos últimos anos, mas quando decidiu voltar ao rock alternativo e alt-country em seu novo disco homônimo, acertou a mão.

São 11 faixas que mostram o talento do músico bem como influências discretas de artistas que ele andou produzindo recentemente, como Jenny Lewis, Fall Out Boy e Ethan John.

 

05 – Swans

To Be Kind

swans-to-be-kind

O Swans não é nem se propõe a ser uma banda de fácil digestão, e é aí que está a graça da trupe liderada por Michael Gira.

Desde 2010, quando o grupo saiu de um hiato de 14 anos sem novos trabalhos, o Swans tem lançado excelentes álbuns, e To Be Kind coroa essa série de lançamentos com mais de duas horas de tensão e experimentalismo visceral.

 

 

04 – Jack White

Lazaretto

Jack White anuncia novo álbum solo e disponibiliza música inédita

Jack White jamais erra, e com o segundo disco solo de sua carreira, não foi diferente.

Lazaretto é mais um trabalho que traz os mais diversos talentos do ex White Stripes em canções que vão das baladas até petardos roqueiros que deixam qualquer guitarrista impressionado.

E ano que vem ele vem mostrar tudo isso pra gente no Lollapalooza Brasil.

 

03 – Mac DeMarco

Salad Days

mac-demarco-salad-days

Mac DeMarco é um homem simples, de sonoridade simples, e postura simples.

Nesse caso, menos mostra ser mais e Salad Days, último álbum do cara, é um verdadeiro presente recheado de folk, lo-fi, indie e rock psicodélico para quem é fã desses estilos.

De forma precisa, ele mistura todos esses elementos em um som que já vem padronizando e carimbando como seu.

 

02 – Run The Jewels

Run The Jewels 2

run-the-jewels-rtj2

Run The Jewels é uma dupla nova de hip hop que lançou seu primeiro disco, homônimo, em 2013.

Em 2014 os caras apareceram com o segundo álbum e participações mais do que especiais de nomes como Zack De La Rocha (Rage Against The Machine), Travis Barker (blink-182, Transplants), Boots, Gangsta Boo e Diane Coffee.

No final das contas, o disco chama a atenção mais pela forma como é coeso, bem composto e bem executado do que por todas as estrelas em suas faixas, já que elas atuam como parte integrante do todo, em um álbum sujo, pesado e direto.

 

01 – Against Me!

Transgender Dysphoria Blues

Against Me! - Transgender Dysphoria Blues

Em tempos onde todos cobramos mais postura, mais peso, mais verdade, mais rock, o Against Me! fez tudo isso em uma das fases mais difíceis de sua carreira.

Depois que a vocalista Laura Jane Grace assumiu a sua transgeneridade e resolveu falar a respeito do assunto, integrantes deixaram a banda e tudo poderia ter ido por água abaixo.

Apesar disso, o grupo partiu para a gravação de Transgender Dysphoria Blues por conta própria, trazendo para a sua formação o experiente baterista Atom Willard (The Offspring, Alkaline Trio, Social Distortion) e para algumas canções o baixista do NOFX, Fat Mike.

O resultado é um disco que passa a mensagem da difícil situação em que vivem os transgêneros no mundo todo sem ser chato, através de narrativas impecáveis das experiências de vida de Laura, que até então atendia por Tom Gabel.

Corajoso, competente, verdadeiro e mais honesto impossível: o melhor disco de 2014 é Transgender Dysphoria Blues, do Against Me!

     
 
1
2
3
4
5
6
Compartilhar