Mombojó - por José de Holanda
 

Mombojó - por José de Holanda

Os caras do Mombojó estão celebrando 13 anos de carreira neste ano e ao mesmo tempo, um disco novo na bagagem. Alexandre, quinto disco da carreira, traz mais experimentações que diferem de todos os outros trabalhos. Além delas, o trabalho conta com participações especiais do cantor China, que compôs com a banda as músicas “Hello” e “Pro Sol”; da cantora Céu (voz), Pupillo (programação) e Yuri Queiroga (guitarra) na música “Diz o Leão”; de novo de Yuri Queiroga, dessa vez em “Me Encantei Por Rosário”; de Dengue (baixo) em “Dance”; do violinista Pedro Mibieli em “Cuidado” e do pianista Vitor Araújo em “Rebuliço” e “Ping Pong”.

Para falar sobre essas e outras coisas, além de comentar com a gente como será a nova turnê da banda, que começa hoje às 21hs no Centro Cultural Rio Verde, em São Paulo, em evento financiado pelos fãs por meio da plataforma “Queremos”, conversamos rapidamente com o vocal e guitarra da banda, Felipe S. Confira:

TMDQA!: “Alexandre” é o álbum mais distante da sonoridade do Mombojó nestes 13 anos de estrada e ao mesmo tempo, é mencionado como disco que tem uma atmosfera que volta aos primeiros dias da banda. Como vocês veem isso tudo? O tempo tem agido a favor de vocês?

Felipe S: Na minha opinião, o Alexandre gera a surpresa de um primeiro trabalho assim como no nadadenovo. Acho que estamos nos aproveitando do fato de estarmos mais entrosados com o passar do tempo para nesse último disco fazer músicas mais improvisadas.

TMDQA!: Como vai ser essa turnê do Mombojó com o disco novo? Os fãs estão pedindo os shows e financiando o projeto pela plataforma Queremos!, mas como tudo isso vai funcionar na prática? 

Felipe S: Esse formato vai ser diferente em algumas cidades. Lugares como Recife, São Paulo e Rio de Janeiro onde as pessoas estão acostumadas a ver nosso show, não existe uma ânsia para ver a banda. Nessas cidades colocaremos ingressos promocionais para motivar uma venda antecipada, quem compra ingresso pelo Queremos! além de pagar menos, ganha brinde. Nos lugares que tocamos pouco, vamos usar a venda de ingressos antecipados para viabilizar os custos de passagens.

TMDQA!: “Alexandre” também é o disco do Mombojó com maior quantidade de parcerias nas músicas (Céu, China, Laetita Sadier e outros). Como foi o contato com cada um deles e a escolha para participação no disco?

Felipe S: Céu foi uma ideia nossa de chamá-la pra cantar a música “Diz o Leão” pela vibe da música. Chegando no estúdio ela sugeriu dobrar minha voz na música. Achei muito legal porque ela não fez questão de aparecer na música. E funcionou muito a ideia dela deixar a minha voz mais forte. Laetitia tivemos um hiato de dois anos entre o dia que deixamos nosso disco com ela num show dela no Brasil e o dia que ela nos enviou um e-mail falando que adorou nosso trabalho e toparia participar de algo. Foi uma das grandes emoções da minha vida ouvir a participação dela.

TMDQA!:  Com um disco mais eletrônico, fica difícil adaptar as músicas para o palco? Como vão ser os shows da turnê?

Felipe S: Começar um disco novo sempre foi difícil pra gente, mas é prazeroso esse problema. Estamos querendo juntar músicas antigas que fazem sentido junto com as novas.

TMDQA!: Vocês lançaram o último disco “11º aniversário” também em vinil. Podemos esperar uma bolachona de “Alexandre”?

Felipe S: Com certeza!

TMDQA!: Vocês têm mais discos que amigos?

Felipe S: Eu não, mas Chiquinho sim.

Ouça o novo disco de Caetano Veloso!