Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)
 

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

Escrito por Angélica Albuquerque e João Pinheiro

Após uma noite memorável que deu início a festa de comemoração dos dez anos do Festival DoSol, em Natal, as expectativas para o segundo dia do evento eram enormes. Diferente do dia anterior, os shows se alternaram entre o Centro Cultural DoSol e o Armazém Hall, e começaram ainda na parte da tarde, às 15h30.

Alguns fãs de música dispostos enfrentaram o calor e chegaram bem cedo para curtir o Zurdo, projeto recém-lançado do incansável Henrique Geladeira (Calistoga, Talma & Gadelha, laMirage), Artur Porpino (Ar, Tu e o Vendaval), Leandro Menezes (Mahmed) e Daniel Nec. A banda, que foca em composições instrumentais e tem músicos virtuosos com a competência necessária para executá-las, captou a atenção do público presente ao mostrar sua sonoridade que mescla math rock e muito experimentalismo.

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

Em seguida, vindos direto da cidade de Santa Cruz, interior do Rio Grande do Norte, os meninos da Rollercoaster continuaram com a festa celebrando o aniversário do Festival e o lançamento de I Can’t Wait, seu primeiro EP, disponibilizado na última quinta-feira (8). O público, que ainda estava chegando, conferiu músicas como  “Some Blood”, “The Memory” e “Just Open the Doors”, canção com um forte apelo pop e que, por isso, destoa do repertório mais pesado dos garotos.

Logo depois, foi a vez da banda potiguar Ar, Tu & o Vendaval levar sua psicodelia e folk misturados com poesia ao palco do DoSol. Artur Porpino (vocais e guitarra), Henrique Geladeira (guitarra), Marcus da Silva (guitarra), Adriano Sudário (baixo) e Daniel de Morais (bateria) apresentaram as sua faixas mais recentes, que são resultado da parceria entre o grupo e o poeta norte-riograndense Diógenes da Cunha Lima. Ao finalizar sua apresentação, Porpino ainda dedicou uma música a sua namorada e a todos os “brothers” que estavam curtindo o festival.

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

Por volta das 17h, os cearenses da Rocca Vegas mostraram seu rock com pitadas de música eletrônica para o evento. Eles começaram os trabalhos com a enérgica “O Grito” e conseguiram agradar a plateia, que ainda estava um pouco tímida. Após fazer um brinde ao festival, o vocalista Maurílio Fernandes finalizou a animada apresentação da banda com “O Espelho”.

No Centro Cultural DoSol, o quarteto Lupe de Lupe aproveitou a oportunidade para divulgar seu recém-lançado EP, intitulado Distância, que viu a luz do dia neste mês de Novembro. O noise-rock/punk experimental feito por Cícero, Gustavo, Renan e Vitor preparou o público para assistir ao Single Parents no Armazém Hall.

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

Formada por Fernando Dotta (voz, guitarra), Zeek Underwood (guitarra), Martim Batista (baixo) e Rafael Farah (bateria), a banda paulistana Single Parents já mostrou que o seu show agradaria os ouvintes de grunge dos anos 90 ao passar o som com riffs de clássicos do Nirvana. “Unrest”, faixa que dá título ao álbum lançado pelo grupo no ano passado, marcou o início do show dos paulistanos e o inquieto Zeek Underwood (que também é membro do Fire Driven) já começou a dar seus característicos pulos que seriam vistos até o fim de toda a apresentação. Apesar da guitarra de Fernando Dotta ter dado problema, o show continuou com Dotta assumindo apenas o seu posto de vocalista em “Escape”. Com o instrumento emprestado pelo guitarrista da Lupe de Lupe, o show voltou a ter mais força e seguiu com “Beginning Of Your Rage”. O show ainda contou com “Stop Waiting (For Me Now)” e “Ecstatic Pleasures”. Sem esconder a influência, a banda deixou o palco com despedida à la Sonic Youth.

A dupla gaúcha Medialunas, projeto de Andrio Maquenzi (Superguidis, Urso e Worldengine) e Liege Milk (Loomer e Hangovers), que já foi até elogiado pelo próprio Robert Smith, líder do The Cure, mostrou seu indie rock no Centro Cultural DoSol no início da noite. Apesar do esforço que o duo demonstrou, a apresentação baseada em Intropologia, disco lançado em 2012, continuou morna e não cativou muito o público que passou para conferir o projeto pela primeira vez.

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

Ora, se estamos em uma festa, vamos dançar! Essa foi a mensagem que o Cassino Supernova, excelente quinteto do Distrito Federal, passou desde o início de seu animado show. O vocalista Gorfo, uma espécie de Iggy Pop candango, é uma atração à parte e exigiu que o público não ficasse parado durante toda a apresentação. Não era sacrifício algum ensaiar passinhos ao ouvir o repertório empolgante do grupo, que teve como destaque as faixas “Torta Alemã”, “Sapatos e Vinis” e “Velho Jack”, que cita Jack Kerouac, escritor e ícone da geração beat.

Com seis anos de carreira e cinco turnês realizadas no Brasil, o trio argentino Petit Mort, liderado pela fofíssima vocalista e guitarrista Michu, manteve o pique enérgico de seu show até o fim. Sorridentes durante o tempo todo e esbanjando carisma, Michu e o virtuoso baixista Juan – que parecia dar aulas de aeróbica enquanto apresentava as canções – dançavam, pulavam e instigavam a plateia a ficar mais à frente do palco. Apesar de não ter suas músicas cantadas pelo público presente, o power trio agradou aqueles que já conheciam os trabalhos de seus três EPs – Petit Mort (2010), Spit In (2010) e Du Bist (2012) – e cativou os que foram para conhecer o projeto com pitadas de grunge, metal e rock alternativo no Centro Cultural DoSol. No final do show, comprovando que o carinho da banda pelo Brasil é sincero, o trio fez questão de tirar uma foto com o público.

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

Com Pedro Souto, baixista da Cassino Supernova, assumindo também os graves do show, o multi-instrumentista Alf tocou no Armazém Hall, fazendo sua agradável estreia no Festival DoSol. O músico, que segue em carreira solo, mas que não ignora canções que marcaram sua passagem por bandas influentes do rock nacional,  iniciou a apresentação com duas músicas do Supergalo, “Ela É” e “Perigo! Perigo!”. Alf também apresentou músicas novas, incluindo a densa “Guarde um Lugar” e “Pra Onda Boa Me Levar”, com o público ajudando nos vocais do último refrão. Quem também estava bastante ansioso para conferir o show do Alf e acabou participando do mesmo foi Anderson Foca (Camarones Orquestra Guitarrística, The Sinks), que soltou a voz em “O Mapa da Mina” (do Rumbora). Para finalizar sua apresentação, Alf mandou mais uma do Rumbora, “Chapírous”.

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

Composto por Anderson Foca (baixo), Dante Augusto (vocal e guitarra) e Daniel Araújo (bateria), os roqueiros do The Sinks celebraram justamente no palco do Festival DoSol 2013 o lançamento de SinksMania, álbum de estúdio que viu a luz do dia na terça-feira, 5 de Novembro.
O grupo, que após 4 anos em hiato retornou às atividades em 2013 com o EP SunSuperStar, tocou no Centro Cultural DoSol para uma plateia bastante disposta a festejar o retorno da banda, que montou seu setlist com músicas autorais em inglês (como “Why” e “Before You Lose“) e em português (como “Desapego” e “Fé Na Pedra“), além de cover do Weezer – uma das maiores e mais notáveis influências do power trio, cujo show fez jus às expectativas.

Os goianos do Hellbenders prometiam ser uma das atrações mais surpreendentes e empolgantes de toda a programação do DoSol 2013 e, de fato, os caras não desapontaram. Abrindo o show com a faixa-título de seu recém-lançado primeiro disco de estúdio, “Brand New Fear”, Braz Torres (vocal e guitarra), Diogo Fleury (vocal e guitarra), Vitor Noah (baixo) e Rodrigo Andrade (bateria) não deixaram o show cair de ritmo, instigando crescentemente o público a pirar com cada pedrada “heavy garage stoner rock” lançada. Como resposta à animação da banda no palco – principalmente a de Diego Fleury, que não ficava quieto e fazia gestos que representavam a essência espontânea e sem pudor do grupo – o público logo tratou de fazer a primeira roda de pogo vista no festival. Já no final show, que contou ainda com “Whorehouse Murder”, “3 Times or More”, “Holy Whiskey” e “Smashing Cars, Chasing Stars”, os caras apresentaram a viciante “Outburst” (que cairia muito bem como seu próximo single) e “Hurricane” (cujo videoclipe feito pela Granada Filmes ainda será divulgado).

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

Sob aplausos e assobios do público que batalhava por um espaço no Centro Cultural DoSol mesmo antes do horário marcado para o início da apresentação, o Far From Alaska fez a lição de casa, em casa. Logo de cara, se via que aquele era um dos mais aguardados shows do festival. Atrelado a isso, é possível constatar a enorme a evolução da banda em apenas um ano: Em 2012, o grupo foi a banda de abertura do festival. Já nesta edição se apresentou em horário nobre, com casa cheia e sem ficar devendo nada do que era esperado – uma atração digna de ser headliner. A evolução do Far From Alaska não está só na receptividade dos ouvintes; os integrantes do grupo também estão musicalmente mais maduros. Cris Botarelli é um grande exemplo disso. Ela tem crescido a cada apresentação da banda e uma prova disso é que, além de tocar seu “tecladinho”, tem se aventurado em lap steel e se mostrado cada vez melhor como vocalista, abrilhantando ainda mais as músicas e os shows.

Emmily Barreto (vocal), Cris Botarelli (synth), Lauro Kirsch (bateria), Rafael Brasil (guitarra) e Eduardo Filgueira (baixo) apresentaram as faixas “Thievery”, “Mama” e “Monochrome”, retiradas do EP Stereochrome (de 2012) e as novas “Deadmen”, “Rolling Dice” e “Dino VS. Dino”.

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

O Autoramas nunca decepciona e não seria dessa vez que esse fato mudaria. Gabriel Thomaz (guitarra e voz), Bacalhau (bateria) e Flávia Couri (baixo e voz) estavam animadíssimos e isso se refletia no público presente. Só pra começar, o trio já mandou “Domina”, “Carinha Triste”, “Abstrai” e “Couldn’t Care At All” na sequência e provou que não tava ali para brincadeira. Um dos momentos mais especiais foi quando eles tocaram “I Saw You Saying (That You Say That You Saw)”, parceria entre Rodolfo Abrantes e Gabriel Thomaz eternizada pelos Raimundos e cantada em uníssono por todo mundo que lotava o Armazém Hall.

Após os clássicos “Você Sabe” e “Lugar Errado”, ao tocar “Guitarrada”, o som estava tão no talo que o baterista Bacalhau acabou furando a pele da caixa, sendo prontamente socorrido pelos meninos da Cassino Supernova. O ápice da apresentação aconteceu em “1, 2, 3, 4”, quando Martim Batista (Single Parents), João Lemos (Molho Negro), Camillo Royale (Turbo) e Ana Morena (Camarones Orquestra Guitarrística) subiram ao palco para participar da performance. Foi um concerto pra ninguém encontrar defeito.

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

Mantendo o clima criado pelo Autoramas, a animada banda curitibana Uh La La! fez, justamente, a festa que pretendia ao apresentar seu rock/new wave bubblegum/surf music doido e dançante, influenciado por bandas desde os anos 60. A empolgação da banda para se apresentar no Festival DoSol era demonstrada até mesmo antes do evento acontecer. A baterista Babi Age chegou, algumas vezes, a levantar a camisa e mostrar os seios, levando a baixista e vocalista Andreza Michel a brincar dizendo que o músico de hoje em dia tem até que tirar a roupa pra vender disco.
Canções rápidas e com refrões fáceis de acompanhar, como “Menina Má”, “Bonequinha de Luxo” e “Meias Azuis”, todas presentes no álbum Volume 10 (de 2011), agradaram o público, que se divertia um tanto quanto timidamente até o quarteto se despedir com o single “Remédio“, que levou a galera à frente do palco.

Festival DoSol 2013: segundo dia (09/11/13)

Uma das bandas mais queridas da cena independente de Natal, Fukai, projeto de funk-soul que une ainda elementos da psicodelia e do rock clássico, tocou no Armazém Hall para o público que estava disposto a embarcar na viagem oferecida por Rodolfo Almeida (guitarra e voz), Pedro Victor (guitarra e voz), João Paulo (baixo), Flávio Dado (bateria e voz) e Dante Augusto (teclado, synth e voz). Com o setlist composto por algumas faixas do EP Era Aquario (o primeiro da banda, lançado em Fevereiro deste ano), o grupo havia anunciado o fim de seu show dizendo que “tocaria nas ondas do mar” com “The Flow”; entretanto, gritos da plateia pedindo por mais uma música fizeram o grupo retornar ao palco para satisfazê-la.

Já se aproximando do fim do segundo dia, vieram as bandas que mais se distanciavam do gênero musical predominante do festival, o rock, provando que no DoSol todo estilo tem vez e voz. A noite foi finalizada com muito música regional, rap, reggae, dub e raggamuffin. Nesse contexto, se apresentaram Carcará na Viagem, Rastafeeling, Digitaldubs e Dusouto.

Carcará na Viagem, projeto de rap com ritmos regionais, chegou mandando ver na rima de improviso, agradecendo ao público presente e ao festival pelo convite. Rolou até rap a capella com a plateia ajudando nas palmas.

Depois, foi a vez do Rastafeeling subir no palco do Armazém Hall e levar seu som e a filosofia rastafari ao público presente. Apesar da pouca visibilidade, a cena do reggae do RN é muito forte e um dos seus expoentes mais queridos é, justamente, o Rastafeeling. Com tempo generoso para performance, o grupo relaxou a galera e preparou o terreno para as bandas que ainda estavam por vir.

Recém-chegados de uma passagem pelos Estados Unidos, o aclamado projeto carioca Digitaldubs — que tem no currículo participações em festivais importantes como Tim Festival, Universo Paralello, Rototom Sunsplash na Espanha, Dubwise Festival na Inglaterra, Raztlan no México, Ostroda Reggae Festival na Polônia — levou seu sound system para o baile e comprovou o hype que envolve seu nome e desperta curiosidade em gringos, cariocas e natalenses.

Finalizando, de fato, a segunda noite do Festival Dosol 2013, o Dusouto apresentou suas odes à cretinagem. A banda definitivamente consegue unir “tribos” que, em teoria, frequentam lugares distintos e ouvem estilos musicais diferentes. Como show de sábado, ficou confirmado que o Dusouto agrada todo mundo, do playboy ao tilelê.

FESTIVAL DOSOL 2013

O evento acontece no Rio Grande do Norte neste mês de Novembro nos dias 08, 09 e 10 em Natal (Rua Chile, Ribeira); entre os dias 13 e 15 em Mossoró Centro Cultural DoSol/Estação das Artes) e no dia 23 em Caicó (Ilha de Santana).

Confira aqui a programação completa.