Estreia exclusiva: Far From Alaska -
 

Estreia exclusiva: Far From Alaska - "Dino vs Dino"

E, finalmente, chegou o grande dia!

Depois de aumentar a curiosidade de seu público sobre o lançamento de “Dino vs Dino, uma das mais surpreendentes revelações do rock nacional, a banda potiguar Far From Alaska, apresenta nesta terça-feira, 8 de Outubro, sua nova música e seu novo videoclipe, exclusivamente no Tenho Mais Discos Que Amigos!.

Conforme já havíamos comentado, “Dino vs Dino” foi gravada, mixada e masterizada por Pedro Garcia, no estúdio Cantos do Trilho, no Rio de Janeiro, e é a primeira faixa inédita do álbum que Emmily Barreto, Cris Botarelli, Edu Filgueira, Rafael Brasil e Lauro Kirsch preparam para lançar em 2014. O registro irá suceder o aclamado EP Stereochrome, lançado em 2012, via Vigilante/Deck, e recomendado por ninguém menos que Shirley Manson (Garbage).

Já o videoclipe, filmado em Setembro nas Dunas do Rosado (RN), conta com direção de Cléver Cardoso e Pedro Margherito, produção da Granada Filmes e direção de fotografia de Lourenço Barsi-Gomes.

Para deixar este lançamento ainda mais especial, o Tenho Mais Discos Que Amigos! divulga, também com exclusividade, a letra completa de “Dino vs Dino” e entrevistas realizadas com a integrante Cris Botarelli e com o diretor Cléver Cardoso, revelando detalhes tanto sobre a música quanto sobre o vídeo.

Confira!

TMDQA!: Como a música “Dino vs Dino” surgiu?
Cris: “Dino vs Dino” é a história de uma história mal contada, que gerou um desentendimento entre dois grandes amigos. Na letra, se conta o que seria a outra versão de uma história cabulosa divulgada, inicialmente, em termos no mínimo injustos com uma das partes, comprometendo todo um círculo de amizades.

TMDQA!: Vocês gravaram a faixa no Rio de Janeiro, com Pedro Garcia (Planet Hemp, Rockz). Como foi feito o convite para trabalharem com ele?
Cris: Nosso contato com o Pedrinho se deu através da Larissa Conforto, nossa amiga-anjinho da Deck, que inventou tudo isso sozinha e organizou essa gravação-presente pra nós!

TMDQA!: Ele ajudou na produção ou ela é assinada mesmo pela banda?
Cris: Nós que produzimos mesmo, tivemos pouquíssimo tempo pra gravar e etc, então mantivemos o roteiro que trouxemos pronto da pré-produção.

TMDQA!: Por que vocês acham que “Dino vs Dino” é a melhor escolha para dar ao público uma prévia do que estará no primeiro álbum da banda?
Cris: A gente acha isso? Ah, não sei se a gente acha que é a melhor escolha, é difícil dizer, estamos muito apegados a todas as músicas do álbum novo, sabe como é? Mas, com certeza, essa faixa é uma amostra de que, apesar de sermos uma banda nova, essa já é uma nova fase! “Dino vs Dino” ilustra bem isso.

TMDQA!: Aliás, podem nos adiantar algumas novidades sobre o disco?
Cris: Podemos! A pré-produção está bem adiantada, temos muitas coisas prontas, novos instrumentos dando as caras, novos timbres, muita maluquice. O rock vai ser doido, cês vão ver!

TMDQA!: Aconteceu algo curioso durante as filmagens? E como foi a experiência de trabalhar novamente com o Cléver?
Cris: Noooossa! Só aconteceu! Imagina, ficamos nas dunas das 3h30min da manhã até às 18h! Teve areia, carros atolados (sim, no plural), resgate de trator, areia, tempestade de areia, insolação, chuva, equipamentos soterrados, gente furada com os espinhos da única árvore que tinha de abrigo, areia, quentinhas de almoço sem talher (se vira nos trinta, amigão), areia, cansaço, falta de água, areia. Enfim, uma aventura que dava um filme, sério.

TMDQA!: Como vocês definem o trabalho da Granada Filmes para quem irá conhecê-lo através deste vídeo?
Cris: Os meninos da Granada são uns guerreiros espartanos. Sério. Nunca vimos isso na vida! Não tem tempo ruim, não tem adversidade, não tem cansaço, não tem stress, não tem areia (só que tinha. Muita.), não tem nada disso pra eles. Se eles decidiram que iam gravar o clipe em tal lugar e em tal condição, velho, o clipe VAAAI ser gravado, no matter what. Muito louco, eles são demais!

TMDQA!: Cléver, você já havia trabalhado com o Far From Alaska neste ano no projeto Fábrica do Som. Foi nessa época que conheceu a banda ou a amizade já havia surgido há mais tempo?
Cléver: Foi sim, conheci eles no Fábrica do Som.

TMDQA!: Eu sei que a ideia inicial era lançar apenas um lyric video de “Dino vs Dino”. Como surgiu a proposta para torná-lo um videoclipe oficial?
Cléver: O Rafael me perguntou se eu sabia quem fazia lyric videos, eu ouvi a música e falei que tínhamos que fazer um clipe, porque era muito boa só pra um lyric video. Ele conversou com a banda e rolou. No início, eles ficaram reticentes, porque a chance de dar tudo errado era enorme. Chegamos a cancelar tudo, ficou um tom de velório nas nossas conversas e depois fizemos o projeto renascer.

TMDQA!: O que levou a escolherem as dunas do Rosado para ser o local das filmagens?
Cléver: Nossa completa falta de bom senso. Ninguém em sã consciência escolheria filmar no deserto com a pouca estrutura que tínhamos. A ideia inicial era fazer em outra locação, nem o pessoal da banda sabia que existia um lugar desses no Brasil. Mas, no final, deu tudo certo. A ideia era, obviamente, brincar com o nome da banda. O primeiro clipe deles, que é ótimo, remete ao Alaska, é frio, P&B, com efeitos de neve. Agora tinha que ser longe do Alaska mesmo e de verdade. Deserto, sol e controle nenhum da situação. Um lugar inóspito. hehe

TMDQA!: Quais foram as maiores dificuldades para realizarem as gravações por lá?
Cléver: Tudo! É longe (500km de Natal), não tem muita coisa por perto, um vento de 60kM/h de areia na sua cara e nos equipamentos, carregar quilos de coisas nas costas com suas pernas afundando na areia até o joelho.

TMDQA!: O roteiro foi elaborado em parceria com a banda ou você já apareceu com todas as ideias?
Cléver: Eu tive a ideia e conversei com a banda e com o Pedro Margherito, que dirigiu o clipe comigo. A banda deu umas sugestões e foi isso.

TMDQA!: Quais foram as principais referências para o trabalho?
Cléver: Todos os clipes que tenham uma banda tocando no deserto que você possa imaginar. Principalmente, o solo de guitarra do Slash em “November Rain”. Queríamos fazer igual, mas infelizmente não conseguimos um helicóptero. haha

TMDQA!: O que aconteceu de curioso durante as filmagens? Conta pra gente como foi trabalhar de novo com o Far From Alaska.
Cléver: Uma 4×4 enterrada até a metade na areia, um motorista de boogie bêbado da região que também conseguiu atolar o próprio boogie, o almoço sem talheres debaixo de uma árvore cheia de espinhos e merda de jumento pelo chão (era o único lugar que dava pra sobreviver com o sol do meio-dia no meio das dunas), os pedais do Rafael que sumiram enterrados…

TMDQA!: Como você define a banda para quem irá conhecê-la através deste vídeo?
Cléver: Rock longe do Alaska.

Far From Alaska – “Dino vs Dino”

Direção: Cléver Cardoso e Pedro Margherito
Direção de fotografia: Lourenço Barsi-Gomes
Produção: Granada Filmes
Assistente de Produção: Bruno Sarmento
Montagem: Cléver Cardoso
Colorização: Cléver Cardoso e Lourenço Barsi-Gomes
VFX: Pedro Margherito

Letra

(Cris Botarelli/Emmily Barreto/Edu Filgueira)

“You’re so nice”, he said to them a while ago
Back in the time when they were good to go
“Weird nights” rephrasing what he said before
Twisting words, summoning everyone

“You knew I couldn’t hold my words,
Even though I wanted to…
And I knew what I supposed to do
But chose to blame it all on you”

She says: I gotta tell you my story, man
The right story, man
(because yours is a lie)
Wait, shut, I gotta tell you my story, man
The whole story, man

Have you lost your mind? We know you were a part of it
I should haven known that you would screw it all again
I’ll tell you what’s so funny: I thought that I could trust in you
‘Cause when you did the same I was taken for a fool
Well done, you won your bloody prize
I hope you’re happy and satisfied

She says: I gotta tell you my story, man
The right story, man
(because yours is a lie)
Wait, shut, I gotta tell you my story, man
The whole story, man