Jason Bonham: "Eu seria um tolo se dissesse que não gostaria"
(Foto por Ivan Nikolov / WENN)

A Mojo magazine entrevistou o baterista Jason Bonham, filho de John Bonham do Led Zeppelin e que tocou com Jimmy Page, Robert Plant e John Paul Jones no Celebration Day, último show da banda, que aconteceu em 2007 e que virou filme.

Jason, assim como muitos fãs, ficou desapontado porque a banda não quis continuar tocando após o referido show:

Por mais que eu soubesse que seria apenas uma vez, minha mãe me perguntou: “Você vai ficar bem ao se afastar de tudo isso?”, e eu disse: “Sim, eu ficarei”. E, para ser sincero, foi muito difícil. Quando você senta naquele banco, é a melhor sensação. Eu tive uma real sensação de realização, mas enquanto eu estava tocando, eu esperei que, a qualquer momento, as portas se abririam e meu pai iria aparecer.

O músico também disse que ficou orgulhoso quando assistiu Celebration Day. “Não me enviaram uma cópia. Então eu assisti pela primeira vez na estreia em Nova York, com a plateia gritando e aplaudindo. Quando Jimmy ia começar um solo, todos enlouqueciam. Foi como viver tudo aquilo mais uma vez”, comentou.

Perguntado se ele gostaria de tocar mais uma vez com a banda, Jason respondeu:

Eu seria um tolo se dissesse que não gostaria. Na coletiva de imprensa em Nova York havia três pessoas perguntando uma atrás da outra: ‘Vocês vão fazer algo mais uma vez?’. Robert Plant não ficou de mau-humor, mas ele conseguiu finalizar bem. Então ele disse: ‘Vocês têm mais perguntas sobre o filme?’. Mas eu entendo o motivo das pessoas perguntarem. Quando você assiste o filme, todos percebem que nós estávamos nos divertindo, e não há dúvidas de que as pessoas gostariam de saber se iremos fazer algo juntos novamente.

Confira a entrevista na íntegra, em inglês, aqui. E para conferir um trecho de Celebration Day, clique aqui.