Paul and Linda McCartney
 

Que o universo ama/odeia Paul McCartney, todo mundo sabe. Os que amam, falam sobre a carreira com os Beatles, as inovações nos trabalhos solo, suas ações pró-vegetarianismo e seu apoio a causas sociais nobres, além de ele ser um lorde. Os que odeiam, falam que ele deveria ter morrido no lugar do John Lennon, que foi o sósia que assumiu seu lugar em 1966, que a Yoko Ono é mais simpática que ele… enfim.

O que não dá mesmo para negar é que esse cara fez grandes coisas pela música mundial dentro e fora dos Beatles, e que até hoje faz a diferença por onde quer que passe com seu sotaque britânico e sua bela voz, que o tempo fez questão de marcar, mas não de apagar. Hoje você acompanha aqui no Tenho Mais Discos Que Amigos! uma lista – feita em parceria com Eduardo Paulo – com dez grandes feitos do cantor, coisas que a gente tem que lembrar para justificar tanto amor e tanto sucesso, numa carreira que a gente tem certeza: está longe de acabar.

 

Clique nos botões “Anterior” e “Próximo” ou arraste com o mouse (desktop) e os dedos (mobile).

 

10) A Música Mais Regravada do Mundo

yesterday manuscrito

É dele, é “Yesterday” e é uma das músicas destaque de Help!, álbum dos Beatles de 1965. Grande parte das biografias da banda dá conta de que a música foi composta por McCartney após um sonho. Segundo o músico, ele teria acordado numa manhã com uma melodia nova na cabeça. Saiu correndo e foi tocar a música no piano, em seu quarto na Wimpole Street, em Londres.

Ainda sem letra, Paul ficou com medo, pois achou que tinha escutado aquilo em algum lugar. Para resolver a questão, passou vários dias mostrando a melodia para amigos e perguntando se eles já a conheciam de algum lugar. O resultado era óbvio: o gênio achou que tinha copiado aquela melodia de alguém, mas ninguém nunca havia escutado aquilo antes. O som foi um sucesso absurdo e entrou para o Guinness Book como canção mais regravada da história, com registros de mais de 3 mil regravações.

9) The Fireman

The Fireman Paul McCartney

Em 1993, Sir Paul McCartney se aventurou pelo universo da música eletrônica pela primera vez. Não que precisasse: sua carreira solo estava indo muito bem, obrigado, mas a parceria com Martin Glover (Youth) não poderia ser melhor para ambos, pois o que criaram seria diferente da música eletrônica com a qual o mundo estava acostumado e também um marco para as carreiras dos dois. O projeto já lançou três álbuns e deve continuar presente nas pistas de dança de Londres e de todo o mundo por um bom tempo.

8) Ocean’s Kingdom e a Música Clássica

Oceans_Kingdom

Como o eterno baixista não se cansa de aventuras musicais, no ano passado foi a vez de McCartney se aventurar no mundo da música clássica, escrevendo um álbum inteiro como trilha sonora para o New York City Ballet. Para compor o álbum, Paul visitou a montagem de “Giselle”, obra da Royal Opera House de Londres e, menos de dois meses depois, já tinha pronto um esboço inspirado na “pureza do oceano”.

Segundo o próprio Paul, a obra completa foi feita com o coração, já que lhe faltavam conhecimentos técnicos (aham, sei!). O balé teve sua estreia em Setembro de 2011 e o disco pode ser adquirido por fãs em todo o mundo.

7) Um Amor de Verdade

Paul and Linda McCartney

Que Paul é um cara romântico, todo mundo sabe. Agora o que pouca gente sabe é que ele é um dos poucos artistas do mundo do rock que ficou casado – e fiel – a uma mesma parceira “até que a morte os separasse” de verdade. Essa parceira foi Linda Eastman (ou Linda McCartney), com quem Paul se casou em 1969, meses antes do casamento de John e Yoko. A relação dos dois não era só de amor incondicional: juntos eles gravaram muitas músicas, fizeram turnês e ela foi inclusa em todos os projetos do cantor.

Já ele participou ativamente das lutas da esposa contra a matança de animais e na defesa do vegetarianismo. Linda morreu em 17 de abril de 1998, vítima de um câncer e, durante os 29 anos em que foi casada com Paul, as únicas noites em que o casal não dormiu junto foram as 10 em que Paul ficou preso no Japão por posse de maconha.

6) Não Coma Carne às Segundas-Feiras

meat-free-monday

Foi das lutas de Linda a favor do vegetarianismo e da vontade do cantor e das filhas que sugiu o “Meat Free Monday” ou “Segunda-feira sem Carne” em tradução literal. O projeto, criado em 2009 por Paul, Stella e Mary McCartney, tem o objetivo de ajudar a combater as mudanças climáticas como o efeito estufa por meio de uma mudança de atitude.

Para Paul, Destinar um dia da semana para não consumir carne é uma mudança importante que todos podem adotar e que vai ao centro de várias questões importantes, políticas, ambientais e éticas, todas ao mesmo tempo, se referindo à produção e matança em massa de animais para alimentar as pessoas, que altera o efeito estufa, consome milhares de litros de água, entre outros. O tema é tão defendido por Paul que foi até tema de um episódio dos Simpsons.

 

5) Um Multi-instrumentista

paul multi instrumentista

É, ele foi o baixista dos Beatles, mas será que o mundo sabe que o cara toca muitos outros instrumentos além do baixo? Piano, violão, guitarra, ukelelê, bateria e vários outros. Algumas demonstrações dessa habilidade do tio Macca estão registradas em canções famosas dos Beatles, como “Taxman”, “Paperback Writer” e “Helter Skelter” em que o cara toca guitarra, “Back In The USSR” e “The Ballad Of John And Yoko” em que toca bateria.

Houve até uma situação, já na época do Wings, em que ele e banda foram gravar o álbum Band On The Run na Nigéria, só que dois membros debandaram um pouco antes do vôo sair. No estúdio, Paul assumiu guitarras, baixo e bateria com ajuda apenas de Denny Laine e de Linda. Outra mostra do talento do moço é o instrumental de “Say, Say, Say” parceria do cantor com Michael Jackson que é praticamente inteiro do eterno beatle.

4) Uma Voz Que Pode Fazer Qualquer Coisa

paul cantando

Phil Spector, produtor musical e músico estadunidense, disse uma vez que a voz de Paul McCartney pode fazer qualquer coisa. E o cara tem razão. Paul é mais comumente classificado como barítono, mas também tem registros em que soa mais como tenor e a voz do cantor consegue alcançar uma gama impressionante de notas. Um fã maluco conseguiu captá-las e reuni-las no vídeo abaixo, que tem 13 minutos, mas vale muito a pena ser visto.

3) Uma Trilha Sonora Que Não é do Filme, é Dele

Live and Let Die

Agora vamos falar sério: quando você escuta o nome “Live and Let Die” a primeira coisa que vem na sua cabeça é o filme do James Bond ou o som do Paul McCartney? Se a sua resposta foi a opção 2, você entende do que estamos falando. Paul e Linda compuseram a canção tema do 8º filme de James Bond em um final de semana, após a leitura da adaptação do filme na tarde de Sábado, já que o produtor musical John Barry, que faria a trilha, não estava disponível.

Inicialmente a canção deveria ser composta para ser cantada por outro artista, porém, Paul assinou o contrato desde que a versão dos créditos fosse dos próprios Wings. O filme é de 1973 e de lá até hoje, essa é uma das músicas mais pedidas de Paul em seus shows.

2) Gentil e Delicado

Paul McCartney no Brasil

Paul não seria Paul se não fosse um dos artistas mais simpáticos, atenciosos com os fãs e… fofinho, não tem outra palavra. A simpatia do cantor extrapola os níveis comuns em um universo em que muitos artistas fogem dos fãs, alguns até os maltratando.

McCartney é extremamente pontual em seus shows (chegando a atrasar no máximo 15 minutos do horário marcado para a apresentação começar, quando outros artistas fazem os fãs esperar por até duas horas!), faz questão de conversar com seus admiradores e, em cada show de suas turnês pelo mundo, tenta aprender um mínimo do idioma local para conversar com a platéia e interagir durante o espetáculo.

Veja abaixo algumas demonstrações desse carinho com o público em aparições do cantor aqui no país.

1) O Compositor Mais Bem Sucedido de Todos Os Tempos

Paul Guinness Book

O talento de Paul como compositor lhe garantiu outro lugar no Guinness Book em 1983, cedendo a Paul o título de compositor e músico mais bem sucedido da história, com uma carreira que se estende por cinco décadas e inclui vendas de mais de 100 milhões de álbuns. Não é pra qualquer um né?

É por essas e outras que além de ser extremamente querido e admirado por seus fãs, o é também no mundo artístico, merecendo e recebendo homenagens como essa que você vê abaixo.