Fabio Mozine
 

Fabio Mozine

Fabio Mozine é natural do Espirito Santo e um dos maiores responsáveis (culpados?) pela divulgação do hardcore do seu Estado ao país e também por lançamentos importantes de bandas lindamente podres daqui e lá de fora através da sua gravadora, a Läja Records.

Tocando em nomes como Mukeka Di Rato, Os Pedrero e Merda o cara tem uma quantidade enorme de bagagem pra falar de música o convidamos para a nossa seção Meus Discos, Meus Amigos, onde ele falou sobre sua coleção de discos, a volta dos discos de vinil e muito mais.

Confira!

TMDQA!: Qual o disco de vinil mais importante da sua coleção?
Mozine: Sinceramente ainda não sei se tenho esse disco. Mas eu gosto dos meus LPs simples, daqueles que eu não tenho medo de colocar pra ouvir, daqueles que infelizmente têm um aranhãozinho aqui ou ali, que eu sei milimetricamente aonde estão, daqueles que estão comigo para serem ouvidos e já estão quase gastos, e não daquele mega raro ultra vinil prensagem não sei de país com rotulo rosa, bla bla bla etc, sacou?

TMDQA!: O que você acha da volta dos discos de vinil?
Mozine: É óbvio que existe um pequeno frenesi no momento, que poderá passar certamente, mas um determinado público que sempre existiu, continuará existindo.  Que fique claro que respondo essa pergunta como Mozine da laja records, uma pessoa que está observando o mercado, afinal eu vendo LPs, os produzo, etc.  Se essa pergunta fosse num âmbito pessoal minha resposta seria um pouco diferente. Eu gosto muito de vinil, mas também gosto de CDs, DVD e escuto música na internet também. Quando estou trabalhando aqui, ouço mais musicas no computador, porque naquele momento é pratico.  Escuto musica no iPhone. Ou seja, pra mim, não existe volta do vinil, o vinil sempre existiu, assim como as outras mídias.

TMDQA!: Qual foi seu primeiro disco (vinil/CD)?
Mozine: Creatures of the Night, do KISS. É sério.  Antes mesmo de discos infantis, eu tinha o disco do KISS, porque eu via passando na TV a propaganda de “I Love it Loud” e eu lembro PERFEITAMENTE como se fosse hoje meu pai comprando esse vinil pra mim na Mesbla ou lojas Americanas. Eu tenho ele até hoje.

Stand up comedy – eu respondi essa mesma questão na MTV uma vez. Eu acho que vc gostaria de ouvir como eu pronunciei “Creatures of the Night” ao vivo na TV.

TMDQA!: Que bandas tem ouvido ultimamente?
Mozine: Acabei de escutar uma banda chamada Refrigerantes, do RJ, gostei muito.  Escutei também uma banda chamada Los Valientes, de Buenos Aires.  Foram as duas últimas coisas boas que escutei.  Fora isso, por motivos lúgicos, eu escuto os discos que tenho lançado, principalmente os últimos, como Skate Aranha e Leptospirose.  Sempre escuto Fuck on the Beach em casa, e fico a noite fazendo disputa de música brega com minha namorada no YouTube, cada um coloca uma.

TMDQA!: Você tem mais discos que amigos?
Mozine: Óbvio, eu nem sei se tenho amigos.

TMDQA!: A Laja Rex sempre lança seus discos em vinil. Qual é a motivação para isso e como têm sido as vendas do formato para a gravadora?
Mozine: Eu lançava mais CDs, eu gostava muito da praticidade do formato e facilidades.  Hoje não dá mais, única e exclusivamente por falta de interesse comercial.  Meus vinis eu lançava sempre fora do país em parcerias com outras gravadoras, pois sendo bem sincero, eu não gostava da qualidade de alguns discos que eram feitos no Brasil antigamente.  O vinil de 7” do Merda / Hellnation pula dependendo do som, tem vinil nacional dos anos 90 que parece plastico velho. Com a volta da Polysom reformulada, ficou um pouco mais fácil trabalhar.  Mas apesar do contato com eles, não faço apenas vinis na polysom.  Os Pedrero fiz na inglaterra, Merda / MPE e Boom Boom Kid fiz nos EUA, e por aí vai.  Eu também estou lançando alguns DVDs e Livros.  Meus próximos lançamentos serão nesses formatos, ou seja, eu lanço materiais em vários formatos, e não apenas no vinil.  Não queria ser visto como um grande entusiasta do vinil, afinal, existiram varios outros selos de hardcore nacional que lançaram mais coisas do que eu, quando as condições eram menos favoráveis.

TMDQA!: Quais são os próximos lançamentos da Laja no formato?
Mozine: BB kid, 7”, vinil azul (LINDISSIMO) prensado nos EUA, com adesivos colados a mão com desenhos do proprio Nekro, já está disponível.
Merda / Leptospirose, split Lecker, relançado em vinil rosa, pela Polysom, sai até dia 21 de Abril, e o Leptospirose vai estar vendendo essa jóia rara em seu show no Abril Pro Rock.

Você pode encontrar produtos da Laja Records aqui.