Zander inicia as gravações de seu segundo álbum de estúdio
 

Conheça a Trajetória do Zander

Em março, os amantes de hardcore serão presenteados com o split e a mini-tour Chumbo, que, fazendo jus ao seu título, reunirá bandas que contribuem cada vez mais para que o estilo seja propagado e que tenha cada vez mais qualidade. São elas: Zander, Plastic Fire, Bullet Bane e Fire Driven.

O TMDQA! é um dos parceiros desse projeto de peso e, portanto, está fazendo posts especiais para que você, caro leitor, possa descobrir ou redescobrir os excelentes trabalhos de cada uma das bandas que nele estão envolvidas.

Finalizando a série, hoje escrevemos sobre a trajetória de uma das bandas mais queridas do hardcore nacional: Zander.

O grupo deu as caras no Rio de Janeiro, no final de 2008, após o término do Deluxe Trio e, originalmente, foi composto por Gabriel “Bil” Zander (vocal, guitarra), Gabriel Arbex (guitarra), Philippe Fargnoli (vocais e guitarra), Leonardo Mitchell (bateria) e Gustavo Tolhuizen (baixo).

Em outubro de 2008, eles lançaram o EP Em Construção (que rendeu o videoclipe de “Pólvora”); Em 2009, no mês de julho, a música “Do The Shindo” (que faz parte da Coletânea Superfuzz – o estúdio da banda) e no mês seguinte o EP Já Faz Algum Tempo (de onde extrairam mais uma música para videoclipe, “Dialeto”).

Após todos esses lançamentos, shows e alguns acontecimentos marcantes, como a chance de abrir o show da banda californiana Samiam, em dezembro de 2009, no Hangar 110 (São Paulo), o baixista Guta deixou a banda antes mesmo de chegar a fazer essa apresentação.

Como eles tinham alguns shows marcados para a mesma e não dava tempo de arrumar um baixista, Gabriel Arbex largou sua guitarra e foi assumir os graves nessas apresentações.
Mais compromissos foram surgindo e, felizmente, Celso, o baixista do StripClub, topou dar essa ajuda ao grupo, cobrindo alguns shows. Inclusive, ele chegou a fazer as primeiras apresentações da banda em 2010.

Celso acabou não assumindo o posto de baixista oficial. A missão foi concedida a Marcelo Adam (conhecido pelo seu trabalho nas bandas A Sangue Frio, Jonas, Hoje Você Morre, Autamata, Yun Fat e Viver Mata), que veio para o Rio de Janeiro diretamente da Bahia.

Por conta desse momento de turbulência na vida do Zander (de transição de integrante) e para explicar também mais detalhes sobre esse fato aos admiradores da banda, eles lançaram, no Youtube, um mini-documentário produzido pela 2r² Produções, de Rodrigo Galha (Catch Side). Round 2, como foi intitulado, foca exatamente nessa nova fase do Zander e registra também o primeiro ensaio e o primeiro show com o novo baixista.

Com a banda novamente arrumada e com os fãs sedentos por pelo menos mais um EP, o Zander, então, entrou em estúdio em meados de 2010 para gravar o seu primeiro álbum completo. Brasa (clique aqui para conferir a resenha e fotos) foi lançado, em versão digital, no dia 15 de setembro de 2010 e em formato físico (CD) no mês de novembro, com shows no Rio de Janeiro e São Paulo.

O disco foi bem recebido pela crítica e pelos fãs do Zander, e seu lançamento auxiliou o grupo a ser convidado para abrir o show do Green Day, no Rio de Janeiro, na lotada HSBC Arena, em outubro daquele mesmo ano.

Tendo na bagagem registros aclamados; shows lotados; milhares de fãs pelo Brasil e usando o lema “jamais se repetir”, o futuro parece ser cada vez mais promissor para o Zander, que, segundo o próprio Bil, é uma continuidade do trabalho, mas que espera que o ciclo “termina um, vem outro” acabe por aí.

Vida longa ao Zander!

Contatos:

Site | Facebook | Twitter | Myspace | Trama Virtual | Fotolog | Youtube | zandershows@gmail.com

 

Para saber todos os detalhes sobre a mini-tour Chumbo, que acontecerá nesta semana no Rio de Janeiro, em Santos, em São Paulo e em Curitiba, clique aqui.

Abaixo, assista à videografia do grupo!