System Of A Down pode lançar novo disco

SOAD se apresenta em São Paulo

A Chácara do Jockey foi palco do grande System Of A Down, banda que está se apresentando pela 1ª vez no Brasil, com um segundo show marcado no Rock In Rio no domingo. Sem grande enrolação, o show começou pontualmente às 9:30, horário de Brasília.

Como está sendo de costume, a faixa “Prison Song” abre o setlist do show, com Serj dando seus gritos e arrancando berros dos fãs. Com poucas palavras e uma dancinha não muito usual por parte do vocalista, a banda conseguiu conquistar o público facilmente, pois em “B.Y.O.B“, todos pulavam com seus punhos erguidos ao ar, sendo uma das músicas mais aplaudidas do show. O som do System é impressionante, tanto em CD quanto no palco, com Serj alcançando agudos perfeitos na apresentação ao vivo. Nunca fui fã de “lalalalala”/”nanananana” nas músicas, mas posso dizer que a mistura nas faixas do SOAD agradam bastante.

Veio hit atrás de hit, com “Needles“, “Radio/Video” e “Hypnotize“. Daron ajuda nos vocais paralelos de algumas faixas. A junção dos dois é uma coisa sem igual! Poucas bandas conseguem algo assim, ao vivo então, difícil. Mais paulada na sequência com “Question!” e “Psycho” abalaram legal os presentes. Outra faixa cantada em coro unanimemente foi “Chop Suey!“, abrindo rodinhas em diversos lugares da platéia, um aglomerado de mais de 25 mil pessoas. O vocal de Serj se juntava ao dos fãs em “I cry! when angels deserve to die!“, uma coisa realmente muito bonita de ser ver em um show. Este nem parecia fazer grandes esforços para cantar, tampouco nas partes pesadas ou rápidas. Um vocalista nato!

Para dar uma acalmada nos nervos (se é que isso é possível nesta banda), veio “Lonely Day“. Mas não deu tempo de descansar não. Daron pedia a todos para pularem, introduzindo “Bounce” – “It´s time to jump up and down!“, com “Lost In Hollywood” e “Kill Rock ´n Roll” na sequência. Serj não foi dos mais comunicativos, tendo o guitarrista o papel de conversar rapidamente com o público, pois o show do grupo foi corrido, com um extenso setlist, sem necessidade sequer de um bis.

A banda intercalou músicas para todos os gostos nas 28 que tocaram. Clássicos como, “Mind” e “Science” não poderiam faltar na primeira apresentação deles aqui no Brasil. Outro refrão cantado por todos foi na faixa “Aerials“‘, com um empurra empurra enorme na pista e os pés fora do chão. Outra coisa estranhamente típica do Brasil: a divisão de pista e pista premium. Este setor mais perto do palco estava bem cheio também, com espaço apenas na lateral do palco.

Com um som de botar qualquer lugar abaixo, vieram as faixas finais do show. Daron iniciava gritando: “Vocês estão prontos para mais System Of A Down?” Para não tirar nenhuma da lista, as últimas 5 faixas foram: “Cigaro” (cigaro cigaro cigaro!), “Suite-Pee“, “War?“, “Toxicity” e” Sugar“. A primeira animou geral com seu refrão acelerado, deixando para a dupla final “Toxicity” e “Sugar” encerrarem o show de uma forma impecável.

Uma banda que achava que nunca iria ver no Brasil, mas por sorte estava errado. Com uma ótima qualidade sonora ao vivo, o quarteto americano-armeno (ou armeno-americano),  fez uma incrível apresentação, mostrando seu vocal rápido, por parte de Serj e um som bem pesado e sincronizado, sem embromações, atrasos e um setlist completo. Serj, Daron e Shavo (este último, excelente baixista que fez uma ótima apresentação também) não correm enlouquecidos pelo palco (como praticamente todos os integrantes do Iron Maiden), mas são grandes “showmans” por assim se dizer. Valeu a pena, um PUTA show!

SOAD em SP SOAD em SP

Setlist SOAD
Prison Song
B.Y.O.B.
Revenga
Needles
Deer Dance
Radio/Video
Hypnotize
Question!
Suggestions
Psycho
Chop Suey!
Lonely Day
Bounce
Lost in Hollywood
Kill Rock ‘n Roll
Forest
Science
Mind
Innervision
Holy Mountains
Aerials
Vicinity of Obscenity
Tentative
Cigaro
Suite-Pee
War?
Toxicity
Sugar

 
Compartilhar