Zebra Zebra
 

Zebra Zebra

O Zebra Zebra é um quarteto de São Vicente-SP, que começou com os pés no hardcore mas incorporou elementos de indie e MPB a seu som e hoje é uma das bandas independentes mais interessantes do país.

Em 2009 eles lançaram o excelente disco de estreia “Cabeças Novas Também Mofam”, que você pode baixar aqui, e agora estão prestes a lançar um novo EP, capitaneado pelo clipe de “Dois Copos D’Água”, que ainda nem foi lançado e já está indicado a prêmios no festival Curta Santos, onde a banda inclusive já ganhou em algumas categorias nos anos anteriores.

Conversamos com o vocalista/guitarrista da banda Kennedy Lui a respeito dos novos trabalhos do grupo, seus belíssimos videoclipes e mais. Acompanhe logo abaixo!

TMDQA!: O Zebra Zebra é uma banda conhecida por seus belos clipes, e fica nítido para os fãs e espectadores que isso é algo com que vocês se preocupam bastante. Como surgiu essa vocação pelos vídeos para divulgar seu trabalho?
Kennedy Lui: A preocupação com a qualidade do material que a gente produz é algo que parte de todos integrantes. A preocupação com o trabalho em vídeo, em especial, vem do fato de que eu trabalhei em algumas produtoras de vídeo e cinema, e ainda hoje, trabalho na área como freelancer. Acabei conhecendo pessoas e fornecedores que nos ajudam e facilitam o processo. Fica mais fácil com essa experiência e apoio.

TMDQA!: O que podemos esperar do novo vídeo de “Dois Copos D’Agua”? Aonde ele foi gravado?
Kennedy Lui: O clipe tá lindo. Saímos um pouco do modelo “banda tocando e história paralela acontecendo”. Nada contra a fórmula. Apenas quisemos mostrar a música de uma maneira diferente. A banda atua apenas como figurante. A equipe que trabalhou é muito parecida com a que produziu o clipe “Já dizia minha vó”.
Eu escrevi o roteiro e fui co-diretor, Ricardo Santini fez grande parte da produção e dirigiu o clipe e o Mauricio Franco foi o diretor de fotografia. O clipe rolou em 3 locações principais: a loja de bike Tag and Juice (São Paulo), a oficina de bike do Mario Canna (também São Paulo) e o Centro Histórico de Santos. O foco central da trama é a bicicleta, que é atual e muito legal de gravar.

TMDQA!: Essa música fará parte de um EP que sucede o excelente full-length “Cabeças Novas Também Mofam”, de 2009. Quando esse EP será lançado? Há planos para um novo disco de estúdio?
Kennedy Lui: O EP, que vai se chamar Agora é que são elas, tem 6 músicas. Já tá na fábrica e acreditamos que em Setembro faremos um show de lançamento. Ainda é cedo pra pensar num novo full-length. Vamos ver como vai ser a resposta desse EP, e então vamos decidir se vamos lançar singles, EPs ou discos cheios.

TMDQA!: Como tem sido para a banda a transição de “uma banda de hardcore” para uma banda que flutua entre o indie, o rock e até mesmo a MPB, e como isso poderá ser visto no novo trabalho da banda?
Kennedy Lui: Acho que já faz um tempo que o Zebra Zebra não é visto como uma banda de hardcore e sim uma banda de várias influências. O nosso som é reflexo dessas influências. A gente literalmente flutua nesses estilos. Dá pra tocar num Shopping Center, dá pra tocar no Hangar 110 e numa casa descolada indie sem ficar deslocado e sem ter que mudar nosso repertório. Achamos isso bem interessante.

TMDQA!: Muitos, inclusive eu, apontam o Zebra Zebra como uma das bandas independentes brasileiras mais interessantes hoje em dia. Como tem sido a recepção do som de vocês em shows pelo país e os downloads do disco da banda, que é disponibilizado totalmente de graça em seu site oficial?
Kennedy Lui: A recepção tem sido muito legal. Tocamos, em 2011, em Fortaleza, Curitiba, interior de São Paulo. Em todos esses lugares tinha gente que já conhecia nosso som, ou que passaram a acompanhar a banda. Modéstia a parte, nossos shows são descontraídos, com interação com o público e várias músicas. Isso nos ajuda a conquistar mais fãs. Assim o som da banda vai se espalhando.

TMDQA!: Falando nesse assunto, a banda parece se apoiar muito em novas tecnologias para distribuir seu som. Como vocês vêem a indústria da música hoje? Essa relação com ela e a constatação de novos tempos fez com que vocês decidissem disponibilizar seu disco na íntegra para download?
Kennedy Lui: Pra quem é independente não dá pra ficar pensando que vai vender centenas de cds. O momento que passamos é de tornar a banda conhecida através de shows e espalhar as músicas. A internet não é uma tendencia, é uma realidade. É ela quem nos ajuda a chegar a mais pessoas.

TMDQA!: Vocês são admiradores dos discos de vinil? Têm pretensão de lançar algum trabalho do Zebra Zebra no formato?
Kennedy Lui: Amamos os Lps, seria lindo um discão do Zebra Zebra. Queremos muito fazer um disco de vinil com nossas músicas. Quem sabe num próximo lançamento. Esse EP que vamos lançar se saísse em vinil seria maravilhoso. O encarte tá muito bonito.

TMDQA!: Você tem mais discos que amigos?
Kennedy Lui: Temos bons amigos. Amigos que nos ajudam muito. Mas, sim, temos mais discos que amigos. Viva a música!

Ouça o novo disco de Caetano Veloso!    
 
Compartilhar