Lisabi - Au Diable Les Bananes
 

Lisabi - Au Diable Les Bananes

Assim como fizemos com o Lomba Raivosa, hoje é dia de lançar oficialmente em formato digital o disco de estreia do Lisabi, intitulado “Au Diable Les Bananes”.

Vá fundo e aperte play logo abaixo para ouvir um baita disco desses paulistas, que sabem misturar melodias interessantes, seção de metais e vocais alternados em algo que resultou em um trabalho inovador, de primeirae que vai chamar principalmente a atenção de fãs de bandas como Los Hermanos e Bomb The Music Industry!

Aproveite o disco e leia a resenha que fiz do mesmo logo abaixo!

Lisabi – Au Diable Les Bananes (2011) by Lisabi

O Lisabi é uma banda de Campinas que me chamou muito a atenção desde a primeira vez que ouvi as suas  músicas disponibilizadas no MySpace e acabei eventualmente entrando em contato com membros da banda.

Fazendo um som que incorpora elementos de Los Hermanos, Vanguart, Bomb The Music Industry! e Ska terceira onda, as 9 faixas do primeiro disco dos caras me hipnotizaram desde a primeira audição, e com muito prazer eu os convidei para fazer o lançamento digital do álbum aqui no Tenho Mais Discos Que Amigos!

“Au Diable Les Bananes” abre com “Thank You All” e uma bela demonstração da seção de metais da banda, que dão uma boa ideia do que vem por aí, e ao ser colada com a segunda faixa, “Quit Your Life” faz com que você entre no clima do disco rapidinho.

“Fred Phelps: American Terrorist” é um punk sujão e rápido, de menos de 1 minuto que faz ponte para a bela introdução de  “Share”, um dos pontos altos do disco com sua melodia e letra aguçadíssimos e uma bridge que me lembrou demais alguns sons do NOFX.

“Dó Maior” poderia facilmente ser do Bomb The Music Industry! e mistura vocal desesperado com instrumentos de sopro, ska, oitavadas e berros que ao mesmo tempo mostram que o Lisabi bebe das melhores fontes mas sabe muito bem o que está fazendo com seu som próprio.

Enquanto “Language Itself Is Profane” tem cara e jeito de andar de bandas de ska da terceira onda, “Ambiência” tem uma introdução escura e dá uma pesada no clima do disco, com uma introdução de 2 minutos que prepara o terreno para a entrada do resto da banda, novamente com a seção de metais mandando muito bem.
Em alguns trechos essa faixa vai até te lembrar de nomes do post-rock e bandas como Mars Volta.

Na sequência vem “Zelda”, a minha preferida de todo o trabalho, que conta com vocal feminino e uma introdução + melodia que poderiam facilmente estar em “Ventura”, dos queridos Los Hermanos.

A última música é “Satyagrahi”, que tem 8 minutos e meio de duração e é uma demonstração de tudo que a banda sabe de melhor, ideal para fechar o discão e deixa o gosto de quero mais.

Ouça o Lisabi sem medo de ser feliz e descubra esse grande novo nome da música independente brasileira, com certeza uma das bandas que mais me impressionou nos últimos tempos.

Twitter: @lisabilisabi

Bandcamp: lisabi.bandcamp.com