Operation Ivy
 

Recentemente o site Alt Press fez uma lista com 12 bandas que se tornaram lendas e acabaram em quatro anos ou menos de existência. Resolvi, além de traduzir a matéria, colocar algumas informações a mais.

Espero que você leitor do Tenho Mais Discos Que Amigos! goste de todas as histórias e conheça novas bandas para ampliar seu gosto musical. Boa leitura!

Sex Pistols

Sex Pistols

Anos em atividade: 3 anos (1975-1978)

Sem dúvida a banda que apresentou o Punk Rock para o resto do mundo foi o Sex Pistols. Com apenas um disco na sua carreira, “Never Mind The Bollocks, Here’s The Sex Pistols”, onde está os dois hits da banda, “Anarchy In The U.K.” e “God Save The Queen”.

Liderado por Johnny Rotten, por muito tempo os Pistols foram os inimigos públicos da Coroa Britânica por querer espalhar anarquia na terra da Rainha Elizabeth. A banda também tinha um dos maiores ícones do Punk, o baixista Sid Vicious.

A banda que começou como para promover a loja de roupas Sex, do empresário Malcom McLaren e da estilista Vivienne Westwood. Sempre entre altos e baixos, os Pistols terminaram durante uma conturbada tour pelos os Estados Unidos em Janeiro de 1978.

McLaren até tentou dar uma sobrevida a banda, chamando outros vocalistas, mas a formação clássica dos Pistols com Rotten, Vicious, Steve Jones e Paul Cook, nunca mais voltou a se apresentar juntos.

X-Ray Spex

X-Ray Spex

Anos em atividade: 3 anos (1976-1979)

O X-Ray Spex surgiu durante a onda Punk que tomou conta da Inglaterra em meados dos anos 70. Porém com um grande diferencial, uma garota como vocalista, Poly Styrene.

Eles foram a primeira banda de Punk Rock que se tem notícia, com uma mulher tomando conta dos microfones. Outra coisa que chamou a atenção da banda, foi que no seu início, eles contavam com uma saxofonista chamada Lora Logic.

Assim como os Sex Pistols, o X-Ray Spex lançou apenas um disco, o “Germ Free Adolescents” de 1978. Muitos críticos consideram o trabalho como a melhor definição do “Punk 77”. Um ano após o lançamento do seu único Full Lenght, a banda acabou, pois Poly Styrene se tornou Hare Kristina.

The Dead Boys

Dead Boys

Anos em atividade: 3 anos (1976-1979)

Se existiu uma banda tão caótica quanto o Sex Pistols, só pode ter sido o Dead Boys. A banda que começou em Ohio, mudou-se para Nova York sendo apadrinhados por Joey Ramone, e logo fez parte da cena Punk que crescia na cidade.

A banda fez shows memoráveis no CBGBs, com bastante atitude e energia. O vocalista Stiv Bators se machucou várias vezes, algumas simulando um estrangulamento com o fio do microfone.

Durante a sua curta carreira, o Dead Boys gravou dois discos, “Young, Loud and Snotty” e “We Have Come for Your Children”. Este último álbum por muito pouco não foi produzido por Lou Reed.

Em 1979, segundo boatos, a banda resolveu encerrar suas atividades, pois a gravadora Sire teria exigido que os Dead Boys fizessem um som mais comercial e também mudassem o seu visual Punk.

Joy Division

Joy Division

Anos em atividade: 4 anos (1976-1980)

O Joy Division durou apenas quatro anos, mas influenciou muita gente, não apenas do Pôs-Punk, como de diversos outros estilos. Nascida no meio do furacão Punk Inglês dos anos 70, muitas vezes abriu os shows de bandas como o Buzzcocks.

Mesmo assim, o vocalista Ian Curtis preferia escrever letras mais melancólicas a falar sobre anarquia e caos. Enquanto estavam em atividade, a banda lançou dois discos, “Unknown Pleasures” de 1978 e “Closer” de 1980.

Este último trabalho foi lançado meses depois do suicídio de Curtis. Morte que ocorreu às vésperas da primeira tour do Joy Division pelos os Estados Unidos, colocando o fim na história do grupo de Pós-Punk.

Os outros integrantes remanescentes criaram o New Order, que continua em atividade até hoje, porém a lenda do Joy Division continua conquistando fãs.

The Germs

The Germs

Anos em atividade: 3 anos (1977-1980)

Criado em 1977, The Germs foi a primeira banda Punk de Los Angeles a gravar um single.

O quarteto também é um exemplo de carreira meteórica. Capitaneado pelo vocalista Darby Crash, a banda tinha em sua formação original o guitarrista Pat Smear, que anos mais tarde tocou com o Nirvana e Foo Fighters.

Assim como as primeiras bandas de Hardcore da Califórnia, as performances agressivas e caóticas do Germs contribuíram para que ficassem conhecidos em boa parte do Estados Unidos, criando o status de lenda.

O único álbum deles foi “(GI)” de 1979, foi produzido por Joan Jett, e tem as duas músicas mais famosas do Germs, “Lexicon Devil” e “Midia Blitz”.

Em 1980, a banda havia se separado por desentendimento entre os membros. Em Dezembro do mesmo ano, o Germs fez um show de reunião. Infelizmente, dias depois da apresentação Crash foi encontrado morto por overdose de heroína.

Minor Threat

Minor Threat

Anos em atividade: 3 anos (1980-1983)

O Minor Threat precisou de apenas três anos para se tornar uma banda lendária do Hardcore. Além do título de “pai” do movimento Straight Edge, Ian MacKaye influenciou muita gente não apenas com o seu trabalho na banda, mas também com a ideologia “faça-você-mesmo” que gerou o selo Dischord.

Enquanto estava em atividade a banda lançou apenas dois EPs, “Minor Threat” e “In My Eyes”, ambos de 1981. No mesmo ano, a banda teve uma pequena pausa quando o guitarrista Lyle Preslar mudou de Washington para fazer faculdade. A pedido de H.R., vocalista do Bad Brains, Preslar voltou a capital americana, e o Minor Threat seguiu tocando novamente até 1983, quando se separam alegando divergências de ideias.

Atualmente, o disco “Complete Discography” é indispensável para qualquer amante do Hardcore, contendo todas as músicas lançadas pelo o Minor Threat.

Rites Of Spring

Rites Of Spring

Anos em atividade: 2 anos (1984-1986)

Se o Minor Threat foi o “pai” do Straight Edge, o Rites Of Spring junto com o Embrace foram os “pais” do Emo. A banda usava a velocidade do Hardcore, trocando as letras politizadas por letras mais confessionais. Mas isto não significa chorar pela garota que o largou, e sim dar o troco através de uma letra cheia de raiva.

A carreira da foi realmente curta, eles só fizeram 15 shows durante dos dois anos de existência. A banda lançou único álbum homônimo pela Dischord e um EP chamado “All Through A Life”, e até hoje são cultuados por uma legião de fãs que vão atrás da verdadeira origem do Emo. A coletânea “End On End” de 19991, apresenta todas músicas lançadas pela banda.

Após o fim do Rites of Spring, o guitarrista e vocalista Guy Picciotto e o baterista Brendan Canty se juntaram a Ian MacKaye e Joe Lally e fundaram o Fugazi.

Operation Ivy

Operation Ivy

Anos em atividade: 3 anos (1987-1989)

Em 1987, quatro garotos de Berkeley na Califórnia, resolveram misturar elementos do Punk Rock com as raízes do Ska e formaram o Operation Ivy. Destaque da cena local que se apresentava no clube de ska-punk chamado 924 Gilman Street, em 1988 a banda lançou EP, “Hectic” pelo selo Lookout!, aumentando ainda mais a fama do OpIvy. Após lançar o único álbum, o clássico “Energy” de 1989, a banda resolveu se separar.

O baixista Matt Freeman e o guitarrista Tim Armstrong mais tarde montaram o Rancid. O fim da banda sempre foi um mistério, mas Tim escreveu a sua versão na música “Journey To The End Of The East Bay”.

Mesmo com apenas três anos de existência, o Operation Ivy se tornou uma lenda, até hoje o Green Day e diversas outras bandas que foram influenciados por eles costumam tocar o clássico “Knowledge”. Os fãs ainda se perguntam se poderia acontecer uma reunião da banda, mas por enquanto este é um sonho distante.

Gorilla Biscuits

Gorilla Biscuits

Anos em atividade: 4 anos (1987-1991)

O Gorilla Biscuits foi um dos responsáveis por uma mudança na cena Hardcore de Nova York. Famosa pelas bandas extremamente pesadas como o Agnostic Front, o GB apresentou um Hardcore mais melódico e com letras positivas. Os responsáveis por esta “inovação” foram o vocalista Civ e o guitarrista Walter Schreifels.

Com o lançamento do EP homônimo, o Gorilla Biscuits começou a destacar ainda mais na cena HCNY. Mas o status de lenda surge depois do lançamento de “Start Today”, único álbum da banda, distribuído pelo o selo de Civ, Revelation Records. Até hoje, a música titulo é um dos clássicos do Hardcore.

O Gorilla Biscuits encerrou suas atividades em 1991. Porém, a banda já se reuniu várias vezes para fazer algumas tours com a mesma energia do início da carreira.

Christie Front Drive

Christie Front Drive

Anos em atividade: 4 anos (1993-1997)

Mesmo sendo uma das bandas mais influentes do Emo nos anos 90, o Christie Front Drive nunca chegou a atingir em cheio o mainstream. Durante os quatros anos em atividade da banda, eles lançaram apenas um full length, homônimo, depois ficou conhecido como “Anthology”. Porém, a banda lançou diversos 7” e Splits com outras bandas contemporâneas, o mais famoso deles foi com o Jimmy Eat World em 1995.

A banda se destacava pelas letras melancólicas e sinceras que ajudaram a moldar o Emo dos anos 90, além das gravações em Lo-Fi que ainda são comentadas pelos os fãs até hoje.

Alguns acreditam que se a banda tivesse durado um pouco mais  alcançaria um reconhecimento maior, ao lado de outras bandas como o próprio Jimmy Eat World, Sunny Day Real Estate, The Get Up Kids. Porém o Christie Front Drive continua sendo essencial para quem quiser conhecer a verdadeira fonte do Emo.

Texas Is The Reason

Texas Is The Reason

Anos em atividade: 3 anos (1994-1997)

Fugindo da atitude Hardcore ou da pregação religiosa, Norm Arenas, guitarrista do Shelter, e Chris Daly, baterista do 108, resolveram montar o Texas Is The Reason. Depois de alguns EPs e um Splits com o The Promise Ring, em 1996, a banda lançou seu único full length, “Do You Know Who You Are?”.

Extremamente elogiado, o disco tinha um som diferente do que rolava na cena Hardcore/Emo da época. Isto fez o Texas Is The Reason serem sondados por várias grandes gravadoras e também sendo incluída na cena Punk que “crescia” na tela da MTV americana.

Um ano depois, a banda assinou com a Capitol Records, porém por problemas internos e algumas pressões externas, antes que eles se tornassem públicos, os membros resolveram encerrar suas atividades. Os fãs acreditam que graças ao seu único disco, o mito do Texas Is The Reason continua intacto.

Kid Dynamite

Kid Dynamite

Anos em atividade: 3 anos (1997-2000)

O Kid Dynamite teve uma carreira bem curta, lançando apenas dois full lengths e um Split com o 88 Fingers Louie. Porém, em apenas três anos eles tiveram tempo para entrar para a história do Hardcore Melódico.

Com letras pessoais sem ser sentimentais demais, combinadas com o Hardcore, a banda caiu no gosto de muitas pessoas, mesmo aqueles que curtiam outros estilos musicais. Infelizmente em 2000, Kid Dynamite encerrou suas atividades quando o vocalista Jason Shevchuk deixou a banda para terminar a faculdade de Cinema.

Em 2006, foi lançado o DVD com o documentário “Four Years In One Gulp” contando a história do Kid Dynamite e imagens das apresentações da banda enquanto estavam em atividade.