Mixtape SWU

TMDQA! sorteia um par de ingressos do SWU

Hoje é o dia em que todos nós Insiders do SWU marcamos para realizarmos uma postagem coletiva em nossos blogs.
A ideia surgiu em conversa entre todos e chegamos ao consenso de que seria legal se cada um postasse uma mixtape no blog do outro, criando assim uma espécie de corrente entre todos os nomes que estão participando.

Cada um poderia escolher o tema que achasse mais interessante e a mixtape seria postada em um blog vizinho, criando assim uma grande corrente de blogs que você pode percorrer por inteiro se for ouvindo todas as mixtapes.

A lista postada aqui veio do Marcos Xi, da RockinPress.

A minha lista foi parar no blog A Vida Como A Vida Quer, e tem como tema “Músicas Recicladas”.
Já que o assunto é sustentabilidade, resolvi montá-la com 7 artistas que fizeram belíssimas covers para músicas das mais diversas. Pra conferir é só clicar aqui.

Navegue entre os elos da corrente:

RockinPress <- TMDQA! -> A Vida Como A Vida Quer

Com vocês, Marcos Xi:

Não sei se foi falta de vergonha na cara ou detrimento da eterna falta de tempo, mas até pouco tempo desta mixtape entrar no ar, ela não tinha um tema. Hoje – pois espero ter sido a primeira de muitas vezes – eu vim aqui para mostrar 7 músicas que contam a minha história de vida e estarão no SWU. Particularmente, tem umas figuras nesse estelar lineup do evento que escreveram minha história como homem, como músico e como gente. Acabou que, na falta de um assunto mais bem pensando, esse se encaixa doce para alguém que pensou em incluir Linkin Park na sua playlist. Espero que o brother Totonho Chamex goste do que o caboclo do RockinPress trouxe para estas linhas de nome grande.

(97-98) Rage Against The Machine – Killing in The Name: Eu era pagodeiro lá pra 97. O namorado de uma prima de 2º grau do meu pai (?) me emprestou o 1ºcd do RATM e falou “ouve a 4”. Virei homem.

(2001) Los Hermanos – Além do Que Se Vê: Fique entre essa e Último Romance e tinha que ser Live. Banda que me acompanha sempre e me causa arrepio a cada audição. Público inflamado!

(2006) Incubus – Anna Molly: Os irmãos que fiz no fórum do Incubus… Já tive banda cover. Meu bass hero é deles, inclusive. Já fui no camarim e o escambal. Bons tempos.

(2006) The Mars Volta – Drunkship of Lanterns: Fingia que estagiava e roubava a internet pra downloads. 3 das 4 bandas da minha vida saíram daí, que são Mew, Sigur Rós e o The Mars Volta.

(2006) Mombojó – O Mais Vendido: Esses dias reparei que essa música está nos meus players a 4 anos! Reflete a revolta e a leveza envolta do meu ser e me lembra a infância.

(2008) Mallu Magalhães – J1: Com Mallu aprendi o folk, a tocar violão, a acreditar em mim e que a grande exposição tapou um talento nato. As demos são melhores que o CD.

(2010) Tulipa Ruiz – Do Amor: Ao Futuro. É nela que eu enxergo um exemplo de futuro e crescimento em mim e na música brasileira. “Como uma história que inventa o seu fim”.