Promoção “A Grande Roubada”

A Grande Roubada

Como você já está sabendo, nos dias 25 e 26 de Junho acontecerá no Rio De Janeiro o festival A GRANDE ROUBADA, com nomes como Matanza, Os Pedrero, Mukeka Di Rato e Zumbis Do Espaço.

Pois bem, aqui no Tenho Mais Discos Que Amigos! a gente vai de dar uma forcinha pra comparecer a esse puta evento, sorteando um ingresso VIP para cada um dos dias!

Para participar, você precisa ter uma conta no twitter. Se não tem, faça uma nem que seja só pra participar, a gente te perdoa.

Você deve seguir os usuários @mdiscosqamigos e @agranderoubada, aí basta twittar as frases, dependendo do dia que você quer ir ao show:

“Aeeee o @mdiscosqamigos vai me dar um ingresso VIP para o festival @agranderoubada dia 25 http://migre.me/Rh5B
“Aeeee o @mdiscosqamigos vai me dar um ingresso VIP para o festival @agranderoubada dia 26 http://migre.me/Rh5B

Pode twittar quantas vezes quiser, e a gente vai sortear os ingressos a todos que o fizerem.
O resultado será divulgado na Sexta-Feira, dia 25, então corra para participar!

ATENÇÃO: Será necessário comprovar o seu nome com documento de identidade na porta do evento.


Dead Fish / Mukeka Di Rato

A volta da Polysom no Brasil, que marca o reinício da era de fabricação de discos de vinil no país contou com títulos de Pitty, Cachorro Grande, Fernanda Takai, Nação Zumbi, entre outros.
O primeiro compacto em 7 polegadas dessa nova safra é das bandas capixabas de hardcore Dead Fish e Mukeka Di Rato.

O split conta com 2 faixas de cada banda, e arte toda inspirada em artistas bregas dos anos 70, como você viu aqui no TMDQA!, feita por ninguém menos que o prolífico Fabio Mozine, o baixista do Mukeka, líder do Merda, dono da Laja Records entre outras atividades que não mencionaremos aqui.

A arte do disquinho ficou realmente legal, já que retrata bem a fonte de inspiração tomada como base e ficou com cara de disco velho. Gostei também do selo central do disco, que também me lembrou lançamentos tradicionais no formato.

O lado negativo é que não há encarte algum, nem mesmo uma folhinha simples com as letras e informações técnicas, que já faria diferença e agregaria valor ao produto final.

As faixas do Dead Fish são sobras de estúdio das sessões de “Zero E Um” e “Um Homem Só”, e já haviam sido lançadas anteriormente em coletâneas virtuais da Deck, mas aqui ganham o primeiro lançamento em formato físico, enquanto as 2 músicas do Mukeka Di Rato ficaram de fora do disco “Carne” e foram lançados apenas como bônus na versão japonesa do álbum, sendo também inéditas aqui em terras brasileiras.

Fique ligado que em breve vai pintar uma promoção bem bacana com essas bandas por aqui.

Clique nas fotos para ampliá-las


Dead Fish / Mukeka Di Rato (Vinil de 7 polegadas)

Dead Fish / Mukeka Di Rato (Vinil de 7 polegadas)

Dead Fish / Mukeka Di Rato (Vinil de 7 polegadas) Dead Fish / Mukeka Di Rato (Vinil de 7 polegadas)

Dead Fish / Mukeka Di Rato (Vinil de 7 polegadas) Dead Fish / Mukeka Di Rato (Vinil de 7 polegadas)

Dead Fish / Mukeka Di Rato (Vinil de 7 polegadas) Dead Fish / Mukeka Di Rato (Vinil de 7 polegadas) Dead Fish / Mukeka Di Rato (Vinil de 7 polegadas)

Against Me!

No dia 17 de Abril comemorou-se nos Estados Unidos e em alguns outros esparsos pontos do mundo o Record Store Day, uma iniciativa que une a volta do vinil a uma vontade de ajudar lojas de discos independentes, que foram massacradas por grandes cadeias comerciais e pelo declínio acentuado da venda de registros físicos nos últimos tempos.

Várias bandas e gravadoras fizeram questão de lançar discos exclusivamente para esse dia, e o Against Me! junto com a Sire Records foi uma das bandas que o fez.

Os folk-punkers da Florida lançaram um EP de “I Was A Teenage Anarchist”, primeiro single do novo álbum de estúdio dos caras, o aclamado “White Crosses” e eu tive a sorte de encontrar uma cópia a 4 dólares no eBay.

A caixinha do disco é simples, porém muito bonita. Toda preta e com um selo enorme no canto superior esquerdo dizendo que esse é um lançamento exclusivo do Record Store Day.
O buraco central da caixa é do tamanho do selo do disco, o que permite visualizar de fora que se trata de um lançamento do Against Me!, com um selo central contendo as informações e uma foto de tachinhas, já que não há nenhuma outra menção à banda na arte da caixa.

Fora isso, infelizmente, a arte para por aí, e não há encarte, folha, cartão de download, nada.
Outro ponto negativo é que o EP conta apenas com a versão de estúdio de “I Was A Teenage Anarchist” de um lado e uma versão acústica da mesma faixa do outro lado, sem uma inédita, cover, ou algo do tipo, o que seria bem legal.

De qualquer forma é um registro histórico, que marca uma data especial para todos nós, amantes do vinil.

Clique nas fotos para ampliá-las.

Against Me! - I Was A Teenage Anarchist

Against Me! - I Was A Teenage Anarchist

Against Me! - I Was A Teenage Anarchist Against Me! - I Was A Teenage Anarchist

Against Me! - I Was A Teenage Anarchist

Against Me! - I Was A Teenage Anarchist Against Me! - I Was A Teenage Anarchist Against Me! - I Was A Teenage Anarchist Against Me! - I Was A Teenage Anarchist

Against Me! - I Was A Teenage Anarchist

Saiba todos os detalhes sobre o Record Store Day clicando aqui.

Screeching Weasel

Outro disco bem barato que acabei encontrando meio que sem querer.
A Vinyl Collective parou de vender discos esse ano, passando tudo para a Interpunk e passando a dedicar todas as suas forças a lançar novos artistas.
Nesse meio tempo, durante a transição de itens em estoque, os caras deram descontos em vários álbuns, e um desses era o “Wiggle”, do Screeching Weasel, que eu ainda não tinha em minha coleção nem mesmo em CD.

Sendo fã da banda, não podia deixar passar o disco em vinil colorido e caixa gatefold a 6 dólares, nem pensei 2 vezes.

Originalmente pedi o disco em vinil transparente, e o adesivo no plástico de fora da caixa dizia isso, mas quando abri veio a surpresa, e um vinil branco, que talvez combine mais com a capa do disco.

A caixa é bem legal, em formato gatefold contando com todas as letras do disco e várias fotos da época da gravação, contando inclusive com momentos constrangedores de Ben Weasel e seu lineup da época, já que a formação do SW mudou dezenas de vezes ao longo do tempo.

O selo central do disco contém o tradicional mascote da banda e é bem legal, e além disso não há encarte, já que toda a informação está na contra-capa do disco.

Musicalmente esse disco contém o mega hit do Screeching Weasel, “Like A Parasite”, e as favoritas dos fãs “Teenage Slumber Party” e “Automatic Rejector”, mas fora esses destaques, eu acho o resto do disco bem fraco, fazendo com que seja um dos menos atraentes da banda de pop-punk na minha opinião.

Clique nas fotos para ampliá-las.

Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle

Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle

Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle

Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle

Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle

Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle Screeching Weasel - Wiggle